O curriculo do ensino fundamental como tema de politica pública: a cultura como conteúdo central

Vi­tor Henrique Paro

Resumo


Derivado de estudo mais amplo sobre a estrutura da escola pública fundamental, este artigo examina a questao do curriculo escolar na perspectiva do direito à escolarização elementar, como preocupação das politicas públicas em educação. A partir da analise de dados colhidos em pesquisa de natureza qualitativa, o texto questiona a estreiteza da atual configuração curricular do ensino fundamental, expressa nas proprias avaliações em larga escala patrocinadas pelas politicas educacionais. Conclui pela necessidade de um conteúdo do ensino que, por razoes tecnicas e politicas, nao pode bastar-se em conhecimentos e informações, mas deve expandir-se para a cultura em sentido pleno, como direito universal, que tambem inclui valores, filosofia, crencas, direito, arte, tecnologia, tudo enfim que e produzido historicamente e que precisa compor a formação plena de personalidades humano-historicas.

Palavras-chave


Curriculo escolar; Ensino fundamental; Politicas educacionais; Direito à educação

Referências


CÂNDIDO, A. A estrutura da escola. In: PEREIRA, L.; FORACCHI, M. M. Educacao e sociedade: leituras de sociologia da educacao. 6. ed. Sao Paulo: Nacional, 1974. p. 107-128.

FRANCA, L. O metodo pedagogico dos jesuitas: o Ratio Studiorum. Rio de Janeiro: Agir, 1952.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

GUDSDORF, G. Professores para que?: para uma pedagogia da pedagogia. Sao Paulo: Martins Fontes, 1987.

HERBART, J. F. Pedagogia geral. Lisboa: Fundacao Calouste Gulbenkian, 2003.

LEAO, A. C. Introducao à administracao escolar: para as escolas de professores dos institutos de educacao, universidades e faculdades de filosofia, ciencias e letras. 3. ed. Sao Paulo: Nacional, 1953.

LOBROT, M. A favor ou contra a autoridade. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

LOURENCO FILHO, M. B. Introducao ao estudo da escola nova: bases, sistemas e diretrizes da Pedagogia Contemporânea. 14. ed. Rio de Janeiro: Eduerj: Conselho Federal de Psicologia, 2002.

MANNHEIM, K. Diagnostico de nosso tempo. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MELLO E SOUZA, A. C. O direito à literatura. In: CARVALHO, J. S. (Org.). Educacao, cidadania e direitos humanos. Petropolis: Vozes, 2004. p. 130-158.

PARO, V. H. Estrutura da escola e educacao como pratica democratica. Sao Paulo: Feusp, 2010. Relatorio de Pesquisa.

______. Gestao escolar, democracia e qualidade do ensino. Sao Paulo: Atica, 2007.

______. Implicacoes do carater politico da educacao para a administracao da escola pública. Educacao e Pesquisa, Sao Paulo, v. 28, n. 2, p. 11-23, jul./dez. 2002.

______. Qualidade do ensino: a contribuicao dos pais. Sao Paulo: Xama, 2000.

______. Reprovacao escolar: renúncia à educacao. 2. ed. Sao Paulo: Xama, 2003.

PARO, V. H. et al. Escola de tempo integral: desafio para o ensino público. Sao Paulo: Cortez, 1988.

WHITEHEAD, A. N. Fins da educacao e outros ensaios. Sao Paulo: Nacional, 1969.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Apoio:




Programa de Apoio às Publicacoes Cientificas (AED) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e tecnologico (CNPq), Ministerio da Educação (MEC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ.
 

SCImago Journal & Country Rank