O Programa Nacional de Inclusao de Jovens: Projovem: uma analise entre a proposta oficial e a experiencia vivida em Goiânia

Marcia Friedrich, Claudio R. Machado Benite, Anna M. Canavarro Benite

Resumo


A escolarização brasileira e fruto da historia desta sociedade em seus modelos econômicos, politicos e sociais ditados por relacoes de poder de grupos ideologicamente dominantes. Neste contexto, a Educação de Jovens e Adultos (EJA) segue à margem, portanto, emerge a constituicao de saberes docentes inerentes a esta modalidade de ensino. Esta e uma pesquisa participante que objetiva tecer reflexoes sobre a EJA, voltando o debate às questoes relacionadas a politicas públicas, especificamente, ao Programa Nacional de Inclusao de Jovens: Educação, Qualificação Profissional e Acao Comunitaria (Projovem), em Goiânia. Apresentamos a caracterização deste tecido social atraves de seus egressos e tambem a analise critica da proposta pedagogica. Consideracoes sobre a relação entre proposta oficial e a experiencia vivida concluem nossa apresentação dos resultados.

Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Politicas públicas; Projovem

Referências


BENITE, A. M. C.; BENITE, C. R. M. O computador no ensino de quimica: impressoes versus realidade: em foco as escolas públicas da Baixada Fluminense. Ensaio: Pesquisas em Educacao em Ciencias, Belo Horizonte, v.10, n. 2, 2008. [ Links ]

BENITE, C. R. M. Uma discussao curricular em um grupo interdisciplinar de professores do ensino medio. Dissertacao (Mestrado)-Programa de Pos-Graduacao em Ciencias e Matematica, Universidade Federal de Goias, Goiânia, 2009. [ Links ]

BORDA, F. O. Por la praxis: el problema de como investigar la realidad para transformarla. In: SIMPOSIO MUNDIAL DE CARTAGENA, 1978, Bogota. Critica y politica em ciencias sociales. Bogota: Ed. Punta de Lanza, 1978. v. 1, p. 209-249. [ Links ]

BRANDAO, C. R. Repensando a pesquisa participante. Sao Paulo: Brasiliense, 1984. [ Links ]

BRASIL, Decreto nº. 5.557, de 5 de outubro de 2005. Regulamenta o Programa Nacional de Inclusao de Jovens – PROJOVEM. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, DF, Brasilia, DF, 6 out. 2005a. [ Links ]

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educacao nacional. Diario Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasilia, DF, 23 dez. 1996. Secao 1, p. 27833-27841. [ Links ]

BRASIL. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusao de Jovens – PROJOVEM. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, DF, Brasilia, DF, 1 jul. 2005b. [ Links ]

BRASIL. Secretaria Nacional de Juventude. Relatorio de atividades 2006. Brasilia, DF, 2007. [ Links ]

CARVALHO, M. C. A. Participacao social no Brasil hoje. Sao Paulo: Instituto Polis, 1998. (Polis Papers, n. 2). Disponivel em:. Acesso em: 7 mar. 2012. [ Links ]

CONSELHO NACIONAL DE EDUCACAO (Brasil). Câmara de Educacao Basica. Parecer CNE/CEB nº. 37, de 7 de julho de 2006. Diretrizes e procedimentos tecnico-pedagogicos para a implementacao do PROJOVEM - Programa Nacional de Inclusao de Jovens. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, DF, 4 ago. 2006a. [ Links ]

______. Resolucao CNE/CEB nº. 3, 15 de agosto de 2006. Aprova as Diretrizes e procedimentos tecnicopedagogicos para a implementacao do ProJovem – Programa Nacional de Inclusao de Jovens, criado pela Lei nº 11.129, de 30/7/2005, aprovado como "Projeto Experimental", nos termos do art. 81 da LDB, pelo Parecer CNE/CEB nº 2/2005. Diario Oficial da Uniao, 16 ago. 2006b. Secao 1, p. 8. [ Links ]

DEMO, P. Participacao e xonquista: nocoes de politica social participativa. 2. ed. Sao Paulo: Cortez, 1993. [ Links ]

DEMO, P. Pesquisa participante: saber pensar e intervir juntos. Brasilia, DF: Liber Livro Ed., 2004. [ Links ]

FREIRE. P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. [ Links ]

GADOTTI, M. Educacao e poder: introducao à pedagogia do conflito. 9. ed. Sao Paulo: Cortez: Autores Associados. 1989. [ Links ]

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarizacao de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educacao, rio de Janeiro, n. 14, p. 108-130, 2000. [ Links ]

KUENZER, A. Z. Exclusao excludente e inclusao excludente: A nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relacoes entre educacao e trabalho. In: LOMBARDI, J. C., et. al. (Org.). Capitalismo, trabalho e educacao. Campinas, SP: Autores Associadas, 2002. p. 77-88. (Colecao educacao contemporânea). [ Links ]

PAIVA, J. Tramando concepcoes e sentidos para redizer a Educacao de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Educacao, Rio de Janeiro, v. 11, n. 33, p. 519-539, 2006. [ Links ]

RUMMERT, S. M.; VENTURA, J. P. Politicas públicas para educacao de jovens e adultos no Brasil: a permanente (re)construcao da subalternidade: consideracoes sobre os Programas Brasil Alfabetizado e Fazendo Escola. Educar em Revista, Curitiba: Ed. UFPR, n. 29, p. 29-45, 2007. [ Links ]

SALGADO, M. U. C. (Org.). Manual do educador: orientacoes gerais. Brasilia, DF: MEC, Programa Nacional de Inclusao de Jovens, 2007. (Colecao Projovem). [ Links ]

SANTIAGO, R. A. A gestao da Educacao de Jovens e Adultos no Brasil. 2004. 261f. Tese (Doutorado em Educacao)-Faculdade de Educacao, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2004. [ Links ]

SILVA, N. "Ser adulto": alguns elementos para a discussao deste conceito e para a formacao de professores de jovens e "adultos". Revista Millenium, Viseu, PT, n. 29, jun. 2004. Repositorio Cientifico do Instituto Politecnico de Viseu. [ Links ]

SIRVENT, M. T. La educacion de jovenes y adultos frente al desafio de los movimientos sociales emegentes em Argentina. Revista Brasileira de Educacao, Rio de Janeiro, n. 28, 2005. [ Links ]

SOUZA, J. F.; MOTA, K. M. S. O silencio e de ouro e a palavra e de prata? Consideracoes acerca do espaco da oralidade em educacao de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educacao, Rio de Janeiro, v. 12, n. 36, 2007. [ Links ]

SPOSITO, M. P. Algumas hipoteses sobre as relacoes entre os movimentos sociais, juventude e educacao. Revista Brasileira de Educacao, Rio de Janeiro, n.13, 2000. [ Links ]


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank