Estabelecendo a Rede Brasileira de Avaliação: um trabalho desafiador sem limites

Angela Cristina Dannemann, Thereza Penna Firme, Ana Carolina Letichevsky

Resumo


Uma avaliação pode ser um importante instrumento para o exercicio da democracia. Para que isso ocorra e preciso assegurar a qualidade da avaliação, bem como a utilização apropriada dos seus resultados (PATTON,1997). Desta forma, a construção de uma sociedade democratica, que busca a melhoria permanente dos seus processos sociais (FETTERMAN; WANDERSMAN, 2005), depende do aprimoramento continuo da sua pratica de avaliação, em suas variadas manifestacoes. No Brasil, ha aproximadamente 3 anos, foi criada a Rede Brasileira de Avaliação. Uma rede que, em sua concepcao teorica, nao possui limites ou fronteiras de discussao. Contudo, existem aspectos culturais e historicos (envolvendo valores), que criam limites para as referidas discussoes e estabelecem fronteiras entre as diferentes instâncias. Este trabalho apresenta alguns destes limites e fronteiras, refletindo sobre a forma como aqueles que encomendam e que conduzem avaliações vem contornando os limites e ultrapassando fronteiras.

Referências


ENCONTRO ANUAL DE PLANEJAMENTO ESTRATEGICO, 1., 2003, Sao Paulo. Relatorio ... Sao Paulo: Rede Brasileira de Avaliacao, 2003. Disponivel em: . Acesso em: abr. 2005. [ Links ]

ENCONTRO ANUAL DE PLANEJAMENTO ESTRATEGICO, 2., 2004, Brasilia. Relatorio… Brasilia, DF: Rede Brasileira de Avaliacao, 2004. Disponivel em: . Acesso em: abr. 2005. [ Links ]

FETTERMAN, D. Foundations of empowerment evaluation. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, 2001. [ Links ]

FETTERMAN, D.; WANDERSMAN, A. (Ed.). Empowerment evaluation principles in practice. New York, NY: The Guilford Press, 2005. [ Links ]

GUARNIERI, M. C. L. Governanca de (em) redes sociais: uma contradicao? Rio de Janeiro, 2004. Disponivel em: < http://www.rits.org.br/redes_teste/rd_tmes_ago2004.cfm >. Acesso em: ago. 2004. [ Links ]

MARTINHO, C. Redes: uma introducao às dinâmicas da conectividade e da auto-organizacao. Brasilia, DF: WWF, 2003. Disponivel em: . Acesso em: 11 jan. 2006. [ Links ]

PATTON, M. Utilization-focused evaluation: the new century text. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, 1997. [ Links ]

PENNA FIRME, T. Avaliacao: tendencias e tendenciosidades. Ensaio: avaliacao de politicas públicas em educacao: revista da Fundacao Cesgranrio, Rio de Janeiro, v.1, n. 2, p. 5-12, jan./mar. 1994. [ Links ]

PENNA FIRME, T. et al. Avaliacao em rede. Rio de Janeiro, set. 2003. Disponivel em: . Acesso em: ago. 2004. [ Links ]

SCRIVEN, M. Evaluation in the new millenium: the transdisciplinary vision. In: DONALDSON, S. I.; SCRIVEN, M. Evaluating social programs and problems: visions for the new millenium. Manwah, New Jersey: Lawrence Earlbaum Associates Publishers, 2003. [ Links ]

SEGONE, M. A comunidade internacional de monitoramento e avaliacao: um movimento global para fortalecer a cultura e funcao de M&A no mundo. Brasilia, DF, 2002. Disponivel em: < http://avaliabrasil.org.br>. Acesso em: abr. 2005. [ Links ]


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank