Analise e proposta de formação de educadores e administradores em Politicas Públicas

Alvaro Chrispino, Fatima Bayma, Frederico Pifano de Rezende

Resumo


O presente trabalho apresenta a necessidade da formação de profissionais em Politicas Públicas e Gestao, considerando o momento social por que passa o Brasil, com cobrancas pela sociedade por melhores resultados no uso do recurso público e, tambem, em obediencia ao Principio Constitucional da Eficiencia da Administração Pública. Analisa pesquisa sobre a existencia, ou nao, da disciplina de Politicas Públicas (vista como processo de formulação, execução e avaliação) em 48 cursos de Pedagogia (mantidos por instituicoes de ensino que possuam Programa de Doutorado em Educação) e 50 cursos de Administração e  para, ao fim, apresentar um proposta de curso piloto de especialização horizontal em politicas públicas, como propoe Carlos Matus, conforme cursos piloto em pos-graduação de instituicao federal de ensino superior. O resultado identifica 16 em 48 IES que mantem pedagogia e 11 em 50 IES com cursos de administração com a disciplina de Politicas Públicas que trate de processos de formulação, execução e avaliação.

Palavras-chave


Politicas públicas; Eficiencia na administração pública; Formação de educadores em politicas públicas; Formação em politicas públicas

Referências


ANDERSON, C. No governo, PT encolhe os pobres. O Globo, Rio de Janeiro, p. 15, 8 jun. 2003,

BAZZO, W.A.; LINSINGEN, I.; PEREIRA, L.T. do V. Introducao aos estudos de CTS :(Ciencia, Tecnologia e Sociedad. Madrid: OEI, 2003.

BERGUE, S. T. Modelos de gestao em organizacoes públicas: teorias e tecnologias para a analise e transformacao organizacional. Caxias do Sul: EDUCS, 2011.

BORGES, Z. N.; MEYER, D. E. Limites e possibilidades de uma acao educativa na redu-cao da vulnerabilidade à violencia e à homofobia. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Ja-neiro, v. 16, n. 58, p. 59-76, mar 2008.

BRANCO, G. C. Tragedias com aviso-previo. O Globo, Rio de Janeiro, p. 6, 3 jan. 2012.

BUCCI, M. P. D. Direito administrativo e politicas públicas. Sao Paulo: Saraiva: 2002.

CARVALHO FILHO, J. dos S. Manual de direito administrativo. 8. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.

CAVALIERE, A. M.; COELHO, L. M. Para onde caminham os Cieps? Uma analise apos 15 anos. Cad. Pesqui., n.119, p.147-174. 2003.

CHRISPINO, A. Binoculo ou luneta: os conceitos de politica pública e ideologia e seus impactos na educacao. Revista Brasileira de Politica e Administracao da Educacao, Brasi-lia, n. 21-1/ 21-2, p. 61-90, jan./dez. 2005.

CHRISPINO, A. O uso de indicadores sentinela na gestao de sistemas educacionais. Re-vista Electronica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educacion, , v. 5, n. 2e, 2007.

CHRISPINO, A.; DUSI, M. L. H. M. Uma proposta de modelagem de politica pública para a reducao da violencia no lar e promocao da Cultura da Paz. Ensaio: aval. pol. públ.Educ., Rio de Janeiro, v.16, n. 6.1, p. 597-624, dez. 2008.

COLLARES, C. A. L.; MOYSES, M. A. A.; GERALDI, J. W. Educacao continuada: a politica da descontinuidade. Educ. Soc., v. 20, n 68, p. 202-219, dez. 1999.

COUTO, C. G. Constituicao, competicao e politicas públicas. Lua Nova, Sao Paulo, n. 65, 2005. Disponivel em: . Acesso em: 21 dez. 2007.

CUNHA, E. da P.; CUNHA, E. S. M. Politicas públicas sociais. In: CARVALHO, A. et al. (Org.). Politicas públicas. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

FABRINI, F. FUNASA culpa prefeituras por fracasso na criacao de aterros sanitarios. O Globo, Rio de Janeiro, p. 4, 3 jan. 2012.

FABRINI, F. A vala do desperdicio. O Globo, Rio de Janeiro, p. 13, 2 jan. 2012.

FERRY, L. Familias, amo voces: politica e vida privada na era da globalizacao. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008.

FRISCHEISEN, L. C. F. Politicas públicas: a responsabilidade do administrador e o Mi-nisterio Público. Sao Paulo: Max Limonad, 2000.

GASPARI, E. O fracasso do UCA Total. O Globo, Rio de Janeiro, p. 6, 8 fev. 2012.

GIAMBIAGI, F. Reforma da Previdencia: o encontro marcado. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

GRAGLIA, E. Diseño y gestion de politicas públicas: hacia um modelo relacional. Cordoba (AR): EDUCC, 2004.

HOFLING, E. de M. Estado e politicas (públicas) sociais. Caderno. CEDES, Campinas, v. 21, n. 55, 2001. Disponivel em: www.scielo.br/scielo. Acesso em: 6 jan. 2008.

INEP. Planilhas ENADE. Brasilia, DF, 2011. Disponivel em: . Acesso em: 6 jan. 2012.

JASANOFF, S. Procedural choices in regulatory science. Technology in society, v. 17, p. 279-293. 1995.

MARINS, S. C. F.; MATSUKURA, T. S. Avaliacao de politicas públicas: a inclusao de alunos com necessidades educacionais especiais no Ensino Fundamental das cidades-polo do Estado de Sao Paulo. Rev. bras. educ. espec., v.15, n.1, p. 45-64, abr. 2009.

MARTINS, P. E. M.; PIERANTI, O. P. (Org.). Estado e gestao pública: visoes do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

MATUS, C. O lider sem Estado-Maior. Sao Paulo: FUNDAP, 2000.

MENDES, A. D.; AZEVEDO, P. H. Politicas públicas de esporte e lazer & politicas públi-cas educacionais: promocao da educacao fisica dentro e fora da escola ou dois pesos e duas medidas?. Rev. Bras. Cienc. Esporte, v. 32, n. 1, p. 127-142, set. 2010.

MOREIRA NETO, D de F. Curso de direito administrativo. 15. ed. Rio de Janeiro: Ed. Forense, 2009.

MOTTA, P. R. Prefacio. In: MARTINS, P. E. M.; PIERANTI, O. P. (Org.). Estado e ges-tao pública: visoes do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

OLIVEIRA, L. G. S. Prefacio. In: CAVALCANTI, B. S.; RUEDINGER, M. A.; SO-BREIRA, R. (Org.). Desenvolvimento e construcao nacional: politicas públicas. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2005.

POLICIA FEDERAL (Brasil). Estatisticas. Agencia de Noticias. Brasilia, DF, 2012. Dis-ponivel em: . Acesso em: 15 jan. 2012

RIBEIRO, S. C. A pedagogia da repetencia. Estudos Avancados, v. 12, n. 5, 1991. Dispo-nivel em: . Acesso em: 26 jan. 2012.

SANTOS, M. L. dos. Politicas públicas (econômicas) e controle. Cidadania e Justica, Rio de Janeiro, 2. Sem. 2002.

SECCHI, L. Politicas públicas: conceitos, esquemas de analise, casos praticos. Sao Paulo: Congage Learning, 2010.

SERRES, M. Os novos desafios da educacao, a proposito dos resultados dos estudantes franceses de 15 anos de idade na pesquisa PISA/OCDE. Paris, 2011. Disponivel em: . Acesso em: 27 mar. 2011.

SILVA, J. A. da. Curso de direito constitucional positivo. 11. ed. Sao Paulo: Malheiros Edi-tores, 1996.

SOARES, T. M.; FERRAO, M. E.; MARQUES, C. de A. Analise da evasao no ProJovem Urbano: uma abordagem atraves do Modelo de Regressao Logistica Multinivel. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 841-860, dez. 2011.

SOUZA, C. "Estado do campo" da pesquisa em politicas públicas no Brasil. Rev. bras. Ci. Soc., v.18, n.51, p.15-20, fev., 2003.

VASCONCELLOS, F.; VICTOR, D.; GALDO, R. indústria que se alimenta das chuvas no Rio. O Globo, Rio de Janeiro, 15 jan. 2012.

VIANA, A. L. Abordagens metodologicas em politicas públicas. RAP, Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 5-43, mar./abr. 1996.

VIEGAS, L. de S. e S.; REBELLO, M. P. R. de. A progressao continuada no estado de Sao Paulo:consideracoes a partir da perspectiva de educadores. Psicol. Esc. Educ., v. 10, n. 2, p. 247-262, dez. 2006.

WERNECK, A.; VICTOR, D.; DAMASCENO, N. Ponte, que e bom, nada. O Globo, Rio de Janeiro, p. 11, 9 jan. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank