Efeitos de um programa de educação infantil em familias de catadores de papel de Belo Horizonte

Beatriz Graveli de Sousa Barbosa, Marisa Ribeiro Teixeira Duarte, Adriana Cancela Duarte

Resumo


Este artigo apresenta os percursos teorico-metodologicos e os resultados de um estudo sobre a avaliação de impacto do Programa Primeira Escola da Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte sobre as familias das criancas que se encontravam matriculadas na Unidade Municipal de Educação Infantil – UMEI - Carlos Prates - Danielle Mitterrand, no ano de 2004. A pesquisa buscou dados sobre a situação das criancas e suas familias no ano de 2004, quando a UMEI foi inaugurada, e em 2008, quando foi realizado o trabalho de campo. Os dados empiricos possibilitaram avaliar o impacto da UMEI na renda e no orcamento familiar, nos habitos de higiene, na saúde e no desenvolvimento cognitivo das criancas.

Palavras-chave


Politicas públicas; Avaliação de programas; Programa Primeira Escola; Educação infantil

Referências


BELO HORIZONTE (Estado). Lei nº 8679 de 11 de novembro de 2003. Cria as unidades municipais de educação infantil e o cargo de educador infantil, altera as leis nºs 7.235/96 e 7.577/98 e dá outras providAancias. Prefeitura de Belo Horizonte, Belo Horizonte, 11 de nov. de 2003. Disponível em: < http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/236625/lei-8679-03-belo-horizonte-mg>. Acesso em: 15 de fev. 2008.

______. Secretária Municipal da Coordenação de Política Social. Secretária Municipal de Educação. Subsídios para o projeto político pedagógico da educação infantil. Belo Horizonte: Prefeitura Municipal, jul. 2001.

______. Resolução nº 1 de novembro de 2000. Fixa normas para a educação infantil no Sistema Municipal de Ensino de Belo Horizonte. Conselho Municipal de Educação de Belo Horizonte, Belo Horizonte, 07 nov. 2000. Disponível em: < www.sinepe-mg.org.br/downloads_restrito.php?...01-2000...>. Acesso em: 15 de fev. 2008.

BEVORT, A. ; TRANCART, D. Capital social. In: ZANTEN, A. V. (Org.). Dictionnaire de l’éducation. Paris: Quadrige/Presses Universitaires de France, 2008. p. 43 - 45.

BECKER, F. da R. Educação infantil no Brasil: a perspectiva do acesso e do financiamento. Revista iberoamericana de educación, Madrid, n. 47, maio/ago. 2008.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

_____. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário oficial [da] República do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 15 de fev. 2008.

______. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o plano nacional de educação e dá outras providAancias. Diário oficial [da] República do Brasil, Brasília, DF, 10 jan. 2001. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm>. Acesso em: 15 de fev. 2008.

______. Ministério da Educação e Desporto. Secretária de Educação Básica. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos A Educação. Brasília: MEC/ SEB, 2006. 32 p. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfpolit2006.pdf>. Acesso em: 15 de fev. 2008.

______. Resolução CEB/CNE nº 1 de 7 de abril de 1999. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Diário oficial [da] República do Brasil, Brasília, DF, 13 dez. 1999. Seção 1, p. 18.

CANO, I. Introdução A avaliação de programas sociais. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas, 2004. 119 p.

DRAIBE, S. M. Avaliação de implementação: esboço de uma metodologia de trabalho em políticas públicas. In: BARREIRA. M. C. R. N.; CARVALHO, M. C. B. (Org.). TendAancias e perspectivas na avaliação de políticas e programas sociais. São Paulo: IEE/PUC-SP, 2001. p. 14 - 42.

GALVEZ, I. E. La educación inicial en el ámbito internacional: situación y perspectivas en Iberoamérica y en Europa. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 22, p. 119 - 153 p., jan./abr. 2000.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96 (especial), p. 797- 818, out. de 2006. Disponível em: . Acesso: 11 fev. de 2008.

MACHADO, D. C. Efeitos da saúde na idade de entrada A escola. Pesquisa e planejamento econômico, Rio de Janeiro, v. 38, n. 1, p. 67- 96, abr. 2008. Disponível em: . Acesso: 29 jul. 2008.

MINAYO, M. C. S. Mudança: conceito-chave para as intervenções sociais e para a avaliação de programas. In: MINAYO, M. C. S.; ASSIS, S. G; SOUZA, E. R. e (Org.). Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2005. p. 53 - 70.

MOSS, P. Panorâmica actual de l’educació infantil en el context europeu: temps d’edu-cació. Revista de la divisió de ciAancies de l’educació, Barcelona, n. 25, p. 169-187. 2001.

OLIVEIRA, D. A. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. 360 p.

UNESCO. Os serviços para a criança de 0 a 6 anos no Brasil: algumas considerações sobre o atendimento em creches e pré-escolas e sobre a articulação de políticas. 2. ed. Brasília, DF, 2004. 39 - 75 p. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001308/130876m.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2012.

______. Políticas para a primeira infância: notas sobre experiAancia internacionais. Brasília, DF, 2005. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001390/139076por.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2012.

UNESCO. Relatório de monitoramento global de educação para todos: EPT 2007: relatório conciso: bases sólidas: educação e cuidados na primeira infância. Brasília, DF, 2007a. 40 p. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001477/147785por.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2012.

______. Relatório de monitoramento global de educação para todos: bases sólidas: educação e cuidados na primeira infância. Brasília, DF, 2007b. 462 p. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001477/147785por.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2012.

REVISTA PENSAR BH: política social. Belo Horizonte: Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, dez.2004/fev.2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Apoio:




Programa de Apoio às Publicacoes Cientificas (AED) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e tecnologico (CNPq), Ministerio da Educação (MEC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ.
 

SCImago Journal & Country Rank