O processo de desenvolvimento profissional visto pelos professores mentores

Maria do Ceu Roldao, Teresa Leite

Resumo


Neste artigo apresentam-se e discutem-se os resultados da analise de 74 reflexoes realizadas pelos mentores relativamente à oficina de formação em que participaram. Os resultados permitem concluir que os professores mentores consideraram que a formação contribuiu para o seu desenvolvimento profissional e, atraves deles, para o desenvolvimento profissional dos professores em periodo probatorio que supervisionavam. No entanto, os professores mentores referem-se consideravelmente menos ao contributo da formação para o desenvolvimento organizacional das escolas e preveem escassas repercussoes a esse nivel. Quanto ao processo de formação, consideram-no útil e de qualidade, valorizando essencialmente os documentos trabalhados nas sessoes e as estrategias utilizadas.

Palavras-chave


Formação de professores; Desenvolvimento profissional; Mentoria; Periodo probatorio

Referências


ALARCAƒO, I. Escola reflexiva e supervisA£o: uma escola em desenvolvimento e aprendizagem. Porto: Porto Editora, 2000.

ALARCAƒO, I.; LEITAƒO, A.; ROLDAƒO, M. C. PrA¡tica pedagA³gica supervisionada e feedback formativo co-construtivo. Revista brasileira de formaA§A£o de professores, GoiA¢nia, v. 1, n. 3, p. 2-29, dez., 2009. DisponA­vel em: < http://www.facec.edu.br/seer/index.php/formacaodeprofessores/article/view/109/157>. Acesso em: 30 out. 2012.

ALARCAƒO, I.; ROLDAƒO, M. C. SupervisA£o: um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde: PEDAGO, 2008.

ALARCAƒO, I.; TAVARES, J. SupervisA£o da prA¡tica pedagA³gica: uma perspectiva de desenvolvimento e aprendizagem. 2. ed. rev. e atual. jan. 2003. Coimbra: Almedina, 2010. (ColeA§A£o: CiAancias da EducaA§A£o e Pedagogia.).

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. Relationship of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of Research in Education, Thousand Oaks, CA, v. 24, n. 1, p. 249-305, jan. 1999.

DANIELSON, C. Melhorar a prA¡tica profissional: um quadro de referAancia para a docAancia. Lisboa: MinistA©rio da EducaA§A£o, 2010.

DAY, C. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001.

ESTEVES, M. AnA¡lise de conteAºdo. In: LIMA, J. A.; PACHECO, J. A. Fazer investigaA§A£o: contributos para a elaboraA§A£o de dissertaA§Aµes e teses. Porto: Porto Editora, 2005.

ESTRELA, M. T. Modelos de formaA§A£o de professores e seus pressupostos conceptuais. Revista de EducaA§A£o, Lisboa, v. 11, n. 1, p. 17-20, 2002.

LEITE, T. Planeamento e conceA§A£o da aA§A£o de ensinar. Aveiro: Universidade de Aveiro. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2010. (ColeA§A£o SituaA§Aµes de FormaA§A£o n. 2).

MARCHAƒO, A. J. Desenvolvimento profissional dos educadores e dos professores: A© possA­vel conciliar a supervisA£o e a avaliaA§A£o de desempenho?. Profforma: Revista on line do Centro de formaA§A£o de professores do Nordeste Alentejano, Portugal, n. 3, jun. 2011. DisponA­vel em: < http://www.cefopna.edu.pt/revista/revista_03/es_06_03_AM.htm>. Acesso em: 30 out. 2012.

MOREIRA, M. A. A avaliaA§A£o do (des)empenho docente: perspetivas da supervisA£o pedagA³gica. In: VIEIRA, F. et al. (Orgs.). Pedagogia para a autonomia: reconstruir a esperanA§a na educaA§A£o. Braga: CIED, 2009. (ENCONTRO DO GRUPO DE TRABALHO-PEDAGOGIA PARA A AUTONOMIA, 4., 2009, Braga. Anais...Braga: CIED, 2009, p. 241-258.).

PUTNAM, R. T.; BORKO, H. What do news views of knowledge and thinking have to say about research on teacher learning?. Educational Research, Berkeley, v. 29, n. 1, p. 4-15, jan. 2000.

ROLDAƒO, M. C. A mudanA§a anunciada da escola ou um paradigma de escola em ruptura?. In: ALARCAƒO, I. (Org.) Escola reflexiva e nova racionalidade. SA£o Paulo: ArtMed, 2001. p. 115-134.

_____. ConstruA§A£o de planos individuais de trabalho e desenvolvimento profissional. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2010a. (ColecA§A£o SituaA§Aµes de FormaA§A£o n. 1).

______. Ensinar e aprender: o saber e o agir distintivos do profissional docente. In: ENS, R. T.; BEHRENS, M. A. (Orgs.). FormaA§A£o do professor: profissionalidade, pesquisa e cultura escolar. Curitiba: Editora Champagnat, 2010b. p. 25-42.

______. EstratA©gias de Ensino: o saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: FundaA§A£o Manuel LeA£o, 2009.

_____. FunA§A£o docente: natureza e construA§A£o do conhecimento profissional. Revista Brasileira de EducaA§A£o, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, jan./abr., p. 94-103. 2007.

_____. Profissionalidade docente em anA¡lise: especificidades dos ensinos superior e nA£o superior. Revista Nuances, SA£o Paulo, ano 11, n. 13, jan./dez., p. 108-126, 2005.

_____. Um currA­culo de currA­culos. Chamusca: EdiA§Aµes Cosmos, 2011.

SCHON, D. A. Educating the reflective practitioner. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1987.

______. The reflective practioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983.

STENHOUSE, L. InvestigaciA³n y desarrollo del curriculum. Madrid: Ediciones Morata, 1998.

STOLL, L et al. Professional learning communities: a review of literature. Journal of educational change, v. 7, p. 221-258. jul. 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank