Politicas de avaliação do ensino naval

Natalia Morais Correa Borges de Aguiar, Maria Judith Sucupira da Costa Lins

Resumo


O presente artigo trata de um estudo de caso referente à avaliação do ensino naval e analisa contribuicoes de uma experiencia de avaliação institucional na Marinha do Brasil. Sao analisadas as contribuicoes da Metodologia de Avaliação do Sistema de Ensino Naval, numa perspectiva comparativa dos resultados alcancados em tres anos de sua implementação no Centro de Instituicao Almirante Sylvio de Camargo (CIASC). A pesquisa analisa a avaliação institucional e os conceitos de meta-avaliação e de “cultura de avaliação” e sua fundamentação teorica sao estudos de Penna Firme e Letichevsky (2002), Dias Sobrinho (2000) e Ristoff (1996, 2000). A partir das analises feitas, concluimos que a qualidade do ensino naval tem melhorado com o alcance progressivo de pontuacoes mais elevadas e verificamos que reunioes para discussao dos assuntos referentes à avaliação tornaram-se mais frequentes na organização de ensino, nas quais foram estabelecidas metas para a melhoria continua em busca da excelencia. Esta pesquisa abre caminhos para a construção de novos modelos de avaliação institucional, adaptados às distintas realidades academicas.

Palavras-chave


Meta-avaliação; Ensino naval; Ensino

Referências


AGUIAR, N. M. C. B.; CANEN, A. Impactos de polA­ticas de avaliaA§A£o institucional: um estudo de caso no sistema de ensino naval brasileiro. Ensaio: avaliaA§A£o e polA­ticas pAºblicas em educaA§A£o, Rio de Janeiro, v. 15, n. 54, p. 53-66, jan./mar. 2007.

BRASIL. Lei nº 11.279, de 09 de fevereiro de 2006. DispAµe sobre o ensino na Marinha. DiA¡rio Oficial [da] RepAºblica Federativa, BrasA­lia, DF, 10 de fevereiro de 2006.

_______. Diretoria de Ensino da Marinha. DEnsM-2001: Manual de AvaliaA§A£o do Sistema de Ensino Naval (2Âa rev.), Rio de Janeiro, 2011.

CANEN, A. Avaliando a avaliaA§A£o a partir de uma perspectiva multicultural. EducaA§A£o Brasileira: revista do CRUB, BrasA­lia, DF, v. 27, n. 54, p. 95-114, 2005.

DIAS SOBRINHO, J. AvaliaA§A£o institucional, instrumento da qualidade educativa: a experiAancia da Unicamp. In: BALZAN, N. C.; DIAS SOBRINHO, J. (Org.). AvaliaA§A£o institucional: teoria e experiAancias. 2. ed. SA£o Paulo: Cortez, 2000. p. 53-86.

HOFFMANN, J. M. L. Contos e contrapontos: do pensar e agir em avaliaA§A£o. Porto Alegre: MediaA§A£o, 1998.

LUCKESI. C. C. AvaliaA§A£o da aprendizagem escolar: estudos e proposiA§Aµes. SA£o Paulo: Cortez, 1995.

PENNA FIRME, T.; LETICHEVSKY, A. C. O Desenvolvimento da capacidade de avaliaA§A£o no SA©culo XXI: enfrentando o desafio atravA©s da Meta-AvaliaA§A£o. Ensaio: avaliaA§A£o de polA­ticas pAºblicas em avaliaA§A£o, Rio de Janeiro, n. 35, v. 10, p. 289-300, 2002.

RISTOFF, D. I. PrincA­pios do Programa de AvaliaA§A£o Institucional. AvaliaA§A£o: Revista de AvaliaA§A£o Institucional das InstituiA§Aµes de Ensino Superior, Campinas, n. 1, 1996, p. 47-68 68.

______. AvaliaA§A£o institucional: pensando princA­pios. In: BALZAN, N.C.; DIAS SOBRINHO, J. (Org.). AvaliaA§A£o institucional: teoria e experiAancias. 2. ed. SA£o Paulo: Cortez, 2000. p. 37-51.

VASCONCELLOS, C. S. AvaliaA§A£o: SuperaA§A£o da LA³gica ClassificatA³ria e Excludente – do “A© proibido reprovar†ao A© preciso garantir a aprendizagem. SA£o Paulo: Libertad, 1998.

YARBROUGH, D. B. et al. The program evaluation standards: a guide for evaluators and evaluation users. 3rd ed. Thousand Oaks, CalifA³rnia: Sage Publications, 2011.

WORTHEN, B. R.; SANDERS, J. R.; FITZPATRICK, J. L. AvaliaA§A£o de Programas: concepA§Aµes e prA¡ticas. Trad. Dinah de Abreu Azevedo. SA£o Paulo: Editora Gente; Edusp, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank