Percursos de estudantes da Educação Superior com trajetórias de insucesso *

Lourdes Maria Bragagnolo Frison, In Memoriam, Ana Margarida Veiga Simão, Paula Costa Ferreira, Paula Paulino

Resumo


Este estudo analisa as trajetórias de insucesso e identifica motivos, estratégias e expectativas percebidas por 38 estudantes – 19 portugueses e 19 brasileiros – que elaboraram uma narrativa de autoformação e comentaram duas escalas para avaliar estratégias de autorregulação, de acordo com sua eficácia e utilização. Os estudantes mostram padrões de resposta semelhantes e refletem crenças e estratégias pouco adaptativas face à aprendizagem. Desmotivação, ansiedade, falta de persistência e características dos contextos universitário e familiar são percebidas como os principais motivos de insucesso. Os estudantes referem que a estratégia mais utilizada é a regulação pelas metas de resultado-evitamento e a mais eficaz, a gestão da atenção; revelam visão positiva do valor do curso para seu futuro, mas identificam uma grande discrepância entre os conteúdos lecionados e as exigências do mundo do trabalho.


Palavras-chave


Estudantes Universitários; Narrativas; Insucesso; Estratégias

Referências


ALMEIDA, A. N. Insucesso e abandono escolares no ensino superior: o caso da Universidade de Lisboa. Lisboa: Educa, 2013.

ALMEIDA, L. Estudantes do ensino superior: desafios e oportunidades. Braga: Psicologia e Educação, 2019.

ALMEIDA, L. S.; ALMIRO, P. A. Percursos e vivências dos estudantes no Ensino Superior. Revista E-Psi , Coimbra, v. 9, n. 1, p. 1-8, 2020, p. 1-8

AMADO, J. Manual de investigação qualitativa em educação . Coimbra: Universidade de Coimbra, 2017.

BANDURA, A. Teoria social cognitiva no contexto cultural. In. BANDURA, A.; AZZI, R. G. Teoria social cognitiva: diversos enfoques. Campinas: Mercado de Letras, 2017. p. 45-82.

BEAUMONT, C.; MOSCROP, C.; CANNING S. Easing the transition from school to HE: scaffolding the development of self-regulated learning through a dialogic approach to feedback. Journal of Further and Higher Education , v. 40, n. 3, p. 331-350, out. 2014. https://doi.org/10.1080/0309877X.2014.953460

BOYD, J. N.; ZIMBARDO, P. G. Time perspective, health and risk taking. In : STRATHMAN, A.; JOIREMAN, J. (orgs.). Understanding behavior in the context of time: theory, research and application. New Jersey: Lawrence Erlbaum, 2005. p. 85-107.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. Diário Oficial da União , 20 jul. 2010.

CASIRAGHI, B.; BORUCHOVITCH, E.; ALMEIDA, L. Crenças de autoeficácia, estratégias de aprendizagem e o sucesso acadêmico no Ensino Superior. Revista E-Psi , Coimbra, v. 9, n. 1, p. 27-38, maio 2020.

DEPS, V.; SIMÃO, A. M. V.; SILVA, A. A. S. Construção de um Instrumento de Estratégias Volitivas pelo Método Q-SORT. In : LYRA, P. (org.). Conhecimento em processo: ensaios interdisciplinares sobre linguagem e cognição. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro EDUENF, 2012. p. 221-242.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Censo da educação superior . Brasília, DF, 2017.

ISHII, I.; KRASILCHIK, M.; LEITE, R.C. Diversidade de alunos: o caso da USP . Revista de Educação Pública, São Paulo, v. 23, n. 54, p. 681-700, set./dez. 2014. https://doi.org/10.29286/rep.v23i54.1896

KOIVUNIEMI, M. et al. Higher education students’ learning challenges and regulatory skills in different learning situations. Infancia y Aprendizaje, Madrid, v. 40, n. 1, p. 19-55, jan. 2017. https://doi.org/10.1080/02103702.2016.1272874

MERETT, G. N. et al. Perfis de autorregulação da aprendizagem e motivação de estudantes universitários. Estudos de Psicologia , Campinas, v. 37, e180126, mar. 2020. https://doi.org/10.1590/1982-0275202037e180126

MIRANDA, C.; NONTICURI, A.; FRISON, L.M.B. Estratégias autorregulatórias para o controle do desempenho em estudantes universitários: mudanças após processo reflexivo. Revista de Estudios e Investigación en Psicologia y Educación , v. extra, n. 1, p. 264-268, 12. 2017. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.01.2726

MIRANDA, M. A.; GUZMÁN, J. Análisis de la deserción de estudiantes universitarios usando técnicas de minería de datos. Formación Universitaria , La Serena, v. 10, n. 3, p. 61-68, jan. 2017. https://doi:10.4067/S071850062017000300007

OLIVEIRA, A. K. D.; LUZ, A. R. J. B.; OLIVEIRA, K. K. As possibilidades da utilização de técnicas de autorregulação da aprendizagem por alunos de graduação. Brazilian Journal of Development , Curitiba, v. 6, n. 3,p. 10228-10243, mar. 2020. https//:doi.org/10.34117/bjdv6n3-050

OLIVEIRA, L. H.; STEIN, L. M. A autorregulação, avaliação e promoção da aprendizagem por meio da prática de recuperação da memória. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo. v. 22, n. 1, p. 55-62, jan./abr. 2018. https://doi.org/10.1590/2175-35392018018540.

PANADERO, E.; ALONSO TAPIA, J. ¿Cómo autorregulan nuestros alumnos? Revisión del modelo cíclico de Zimmerman sobre autorregulación del aprendizaje. Anales de Psicologia , Murcia, v. 30, n. 2, p. 450-462, abr. 2014. http://dx.doi.org/10.6018/analesps.30.2.167221

PAULINO, P.; SÁ, I.; SILVA, A. L. Autorregulação da motivação: crenças e estratégias de alunos portugueses do 7º ao 9º ano de escolaridade. Psicologia: Reflexão e Crítica , Porto Alegre, v. 28, n. 3, p. 574-582, jul./set. 2015. https://doi.org/10.1590/1678-7153.201528316

PELISSONI, A. M. S.; POLYDORO, S. A. J. Programas de promoção da autorregulação da aprendizagem. In : POLYDORO, S. A. J. (org.). Promoção da autorregulação da aprendizagem: contribuições da Teoria Social Cognitiva . Porto Alegre: Letra1, 2017. p. 20-33.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa . São Paulo: Papirus, 1995. Tomo II.

SÁEZ, F. M. et al. Revisão sistemática sobre competências de auto-regulação da aprendizagem em estudantes universitários e programas intracurriculares para sua promoção. Formación Universitaria , La Serena, v. 11, n. 6, p. 83-98, dez. 2018. https://doi.org/10.4067/S0718-50062018000600083

SANTOS, A.; FERRAZ, A.; INÁCIO, A. Adaptação ao ensino superior: estudos no Brasil. In : ALMEIDA, L. Estudantes do ensino superior:desafios e oportunidades. Braga: Psicologia & Educação, 2019. p. 65-98.

SERAFIM, T. M.; BORUCHOVITCH, E. O pedir ajuda: concepções dos estudantes do ensino fundamental. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 1, n. 2, p. 159-171, jun. 2010.

SIMÃO, A. M. V.; FRISON, L. M. Autorregulação da aprendizagem: abordagens teóricas e desafios para as práticas em contextos educativos. Cadernos de Educação, Pelotas, v.45, p.13. maio/ago/ 201. p, 02-20. http://dx.doi.org/10.15210/caduc.v0i45.3814

SIMÃO, J.; SANTOS, S. M.; COSTA, A. Ensino Superior: uma visão para a próxima década. Lisboa: Gradiva. 2003.

STOTEN, D. Managing the transition: a case study of self regulation in the learning of first term business and management undergraduate students at an English university. PostCompulsory Education, v. 20, n. 4, p. 445-459, Apr. 2015. https://doi.org/10.1080/13596748.2015.1081753.

WEINER, B. The development of an attribution-based theory of motivation: a history of ideas. Educational Psychologist , [s. l.], v. 45, n. 1, p. 28-36, Jan. 2010. https://doi.org/10.1080/00461520903433596

WEINER, B. Searching for the roots of applied attribution theory. In : GRAHAM, S.; FOLKES, V. S. (orgs.). Attribution theory: applications to achievement, mental health and interpersonal conflict. New York: Routledge, 2016. p. 1-13.

WOLTERS, C. Regulation of motivation: contextual and social aspects. Teacher’s College Record , New York, v. 113, n. 2, p. 265-283, 2011.

ZIMMERMAN, B. From cognitive modeling to self-regulation: a social cognitive career path. Educational Psychologist , Lafayette, v. 48, n. 3, p. 135-147, 2013. https://doi.org/10.1080/00461520.2013.794676

ZIMMERMAN, B.; SCHUNK, D. H. Motivation: An essential dimension of self-regulated learning. In : SCHUNK, D. H.; ZIMMERMAN, B. J. (orgs.). Motivation and self-regulated learning: theory, research, and applications. Mahwah: Erlbaum, 2008. p. 1-30.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-403620210002902747

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank