Avaliação do processo de formação do caráter em crianças na Educação Infantil

Bruna Rodrigues Cardoso Miranda, Maria Judith da Costa Sucupira Lins

Resumo


Esse artigo trata da possibilidade de avaliação do início do processo de formação do caráter de crianças na Educação Infantil. A fundamentação teórica está na filosofia de Aristóteles. A hipótese é que a interação social e a vivência das virtudes podem contribuir para essa formação durante as práticas escolares diárias. Os objetivos dessa pesquisa são: promover a aprendizagem e a prática das virtudes amizade, honestidade e justiça; contribuir para a interação social e observar a relação entre a prática das virtudes e o processo de socialização e o início da formação do caráter pelas crianças. A abordagem metodológica foi a pesquisa-ação, com maior comprometimento, por meio de observação, intervenções, oficinas e questionários. Atividades especialmente criadas para essa pesquisa foram selecionadas e apresentadas às crianças. Resultados mostram que é possível avaliar a evolução da aprendizagem e a prática de virtudes nas crianças e que é possível ajudá-las a começar o processo de construção do caráter.

Palavras-chave


Avaliação; Formação do Caráter; Virtudes; Educação Infantil

Referências


ACHTMAN, A. ‘They left everything and followed him”: our response ability to ethical exemplars. In: HILDEBRAND SCHÜLERKREIS, 2017, Steubenville. Abstracts and papers. Steubenville: Franciscan University of Steubenville, 2017. p. 1-10.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. O método nas ciências sociais. In: ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAIDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa qualitativa. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1998. p. 109-203.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 4. ed. Bauru: Edipro, 2007.

AUSUBEL, D. P. Psicologia educacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BARTHOLO, T. et al. What do children know upon entry to pre-school in Rio de Janeiro? Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 28, n. 107, p. 292-313, abr./jun. 2020. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002702071

BENAVIDES-MORENO, N. et al. La gestión de los centros de educación parvularia en la Región del Maule (Chile): visiones desde la práctica educativa. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 27, n. 105, p. 881-903, out./dez. 2019. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002702009

BLOOM, P. O que nos faz bons ou maus. Rio de Janeiro: Best Seller, 2014.

BRUNER, J. S. O processo da educação. São Paulo: Companhia Nacional, 1978.

ERIKSON, E Identidade, juventude e crise. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

ERIKSON, E. Infância e sociedade. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

FREUD, S. O ego e o Id. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

HAVIGHURST, R. J. Human development and education. New York: Longmans, 1953.

HILDEBRAND, D. Ethics. Chicago: Franciscan Herald, 1972.

HILDEBRAND, D. The art of living. Steubenville: Hildebrand, 2017.

HILDEBRAND, D. The nature of love. South Bend: St. Augustine, 2009.

LICKONA, T. What is a comprehensive approach to character education? [S. d.]. Disponível em: https://www2.cortland.edu/dotAsset/279703.pdf . Acesso em: 22 set. 2015.

LICKONA, T. What is effective character education? In: THE STONY BROOK SCHOOL SYMPOSIUM ON CHARACTER. 2001. Disponível em: http://www.mtsm.org/pdf/What%20is%20Effective%20Character%20Education.pdf Acesso em: 2 nov. 2017.

MACINTYRE, A. Depois da virtude: um estudo em teoria moral. Bauru: Edusc, 2004.

MAIA, M. V. C. M.; VIEIRA, C. N. M. Criatividade docente: Winnicott e a construção de subjetividades. Revista Subjetividades, Fortaleza, v. 16, p. 79-90, abr. 2016. http://dx.doi.org/10.5020/23590777.16.1.64-77

MARITAIN, J. Os direitos do homem e a lei natural. 3. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1967.

MARITAIN, J. Rumos da educação. 4. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1966.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MONTESSORI, M. The absorbent mind: a classic in education and child development for educators and parents. Henry Holt, 1967.

MORENO, J. L. Psicoterapia de grupo e psicodrama. São Paulo: Mestre Jou, 1974.

PIAGET, J. Estudos sociológicos. Rio de Janeiro: Forense, 1973.

PIAGET, J. O julgamento moral na criança. 4. ed. São Paulo: Summus, 1994.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janerio: Zahar, 1971. (Coleção Plural, v. 10).

PIKUNAS, J. Human development, an emergent science. 3. ed. New York: MacGraw Hill, 1976.

SCRIVEN, M. Avaliação: um guia de conceitos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

SUCUPIRA LINS, M. J. C. Ética se aprende na infância. Jornal Cátedra, Rio de Janeiro, Caderno 14, p. 3, 8 fev. 2004.

SUCUPIRA LINS, M. J. C. Método de pesquisa ação com maior comprometimento. Revista Eletrônica Pesquiseduca, Santos, v. 7, n. 13, p. 52-74, jan/jun, 2015.

SUCUPIRA LINS, M. J. C.; SOUZA, C. C. S. Avaliação do desenvolvimento da personalidade moral. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 26, n. 100, p. 1004-1020, jul./set. 2018. https://doi.org/10.1590/s0104-40362018002601402




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362021002902548

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Apoio:




Programa de Apoio às Publicacoes Cientificas (AED) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e tecnologico (CNPq), Ministerio da Educação (MEC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ.
 

SCImago Journal & Country Rank