Avaliação do nível de satisfação discente de uma instituição de Ensino Superior: uma análise dos métodos da Teoria Clássica da Medida e da Teoria da Resposta ao Item

Anna Cecilia Amaral Petrassi, Antonio Cezar Bornia, Dalton Francisco Andrade

Resumo


O presente trabalho compara as informações geradas pelo processo de autoavaliação de uma Instituição Federal de Educação Superior (Ifes), no contexto do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), analisadas pela Comissão Própria de Avaliação da Ifes, ciclo de 2017, com as mesmas informações tratadas a partir do uso da Teoria da Resposta ao Item (TRI) no lugar da Teoria Clássica da Medida, com objetivo de demonstrar como o processo de análise pode se beneficiar com a utilização da TRI, sendo um instrumento mais robusto para a análise e o desenho de ações de melhorias na gestão institucional. Para isso, foi selecionado o extrato “categoria discente” da avaliação sobre a instituição, no segundo ciclo de 2017. Foram descritas e comparadas as duas teorias, a clássica e a TRI. Com os dados coletados da instituição, foram calculadas e explicadas as curvas de informação dos itens e do teste, por meio da análise propiciada pela TRI foi demonstrado o ganho que se pode obter com a sua utilização na autoavaliação institucional.


Palavras-chave


Autoavaliação Institucional; Teoria da Resposta ao Item; Gestão Universitária

Referências


ANDRADE, D. F. D.; TAVARES, H. R.; VALLE, R. D. C. Teoria da resposta ao item: conceitos e aplicações. São Paulo: Associação Brasileira de Estatística, 2000.

BOCK, R. D.; AITKIN, M. Marginal maximum likelihood estimation of item parameters: application of an em algorithm. Psychometrika, [s. l.], v. 46, n. 4, p. 443-459, Dec. 1981. https://doi.org/10.1007/BF02293801

BOCK, R. D.; GIBBONS, R.; MURAKI, E. Full-information item factor analysis. Applied Psychological Measurement, v. 12, n. 3, p. 261-280, Sep.1988. https://doi.org/10.1177/014662168801200305

BORTOLOTTI, S. L. V. et al. Avaliação do nível de satisfação de alunos de uma instituição de Ensino Superior: uma aplicação da teoria da resposta ao item. Gestão e Produção, São Carls, v. 19, n. 2, p. 287-302, 2012. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2012000200005

BRASIL. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior -SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 abr. 2004.

BRAUM, L. M. S. et al. Percepção dos alunos sobre qualidade no Ensino Superior: identificação das prioridades de melhoria no Curso de Ciências Contábeis. Revista de Estudos Contábeis, Londrina, v. 6, n. 11, p. 62-80, 2015.

CAVALHEIRO, E. A.; TAVARES, C. E. M.; NASCIMENTO FILHO, M. O que determina a satisfação de nossos alunos? Um estudo comparativo entre o Curso de Administração e os demais Cursos do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade de Cruz Alta. In: CONGRESSO UFSC DE CONTROLADORIA E FINANÇAS, 4., Florianópolis, 2011. Anais[...]. Florianópolis: UFSC, 2011.

COSTA, C. E. S. Análise da dimensionalidade e modelagem multidimensional pela tri no ENEM (1998-2008). Dissertação – Programa de Pós-Graduação em Métodos e Gestão em Avaliação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

DEVELLIS, R. F. Classical test theory. Medical Care, Hagerstown, v. 44, n. 11, p. S50-S59, Nov. 2006. 10.1097/01.mlr.0000245426.10853.30

DIAS SOBRINHO, J. Qualidade, avaliação: do Sinaes a índices. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 13, n. 3, p. 817-825, nov. 2008. https://doi.org/10.1590/S1414-40772008000300011

ESPERIDIÃO, M. A.; TRAD, L. A. B. Avaliação de satisfação de usuários: considerações teórico-conceituais. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 6, p. 1267-1276, Jun. 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2006000600016

GALDINO, M. N. D. A autoavaliação institucional no ensino superior como instrumento de gestão. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 2., 2011 São Paulo. Anais[...] São Paulo: PUC-USP, 2011. Disponível em: http://www.unigranrio.com.br/_docs/cpa/autoav-inst-ensino-sup-instr-gestao-mary-galdino.pdf . Acesso em: 15 set 2018.

GROHMANN, M. Z. et al. Uma década de auto avaliação institucional: o que mudou na percepção dos docentes? REICE. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, Madrid, v. 12, n. 1, p. 5-23, enero 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA – INEP. Nota técnica INEP/DAES/CONAES nº 065. Roteiro para Relatório de Autoavaliação Institucional. Brasília, DF, 2014.

LACERDA, L. L. V. D.; FERRI, C.; DUARTE, B. K. D. C. SINAES: avaliação, accountability e desempenho. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 21, n. 3, p. 975-992, ago./nov. 2016. https://doi.org/10.1590/S1414-40772016000300015

LINDER-PELZ, S. Toward a theory of patient satisfaction. Social Science & Medicine, Oxford, v. 16, n. 5, p. 577-582, 1982. https://doi.org/10.1016/0277-9536(82)90311-2

MOREIRA JUNIOR, F. J. Contribuições da Teoria da Resposta ao Item nas avaliações educacionais. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 36, n. ed. especial, p. 58-72, 2014. https://doi.org/10.5902/2179460X13120

MOREIRA JUNIOR, F. J. et al. Avaliação da satisfação de alunos por meio do Modelo de Resposta Gradual da Teoria da Resposta ao Item. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 23, n. 86, p. 129-158, jan./fev. 2015. https://doi.org/10.1590/S0104-40362015000100005

PASQUALI, L.; PRIMI, R. Fundamentos da Teoria da Resposta ao Item –TRI. Avaliação Psicológica, v. 2, n. 2, p. 99-110, 2003.

REISE, S. P.; AINSWORTH, A. T.; HAVILAND, M. G. Item Response Theory: fundamentals, applications, and promise in psychological research. Current Directions in Psychological Science, [s. l.], v. 14, n. 2, p. 95-101, Apr. 2005. https://doi.org/10.1111/j.0963-7214.2005.00342.x

REISE, S. P.; WALLER, N. G. Item Response Theory and clinical measurement. Annual Review of Clinical Psychology, Palo Alto, v. 5, p. 27-48, 2009. https://doi.org/10.1146/annurev.clinpsy.032408.153553

SARTES, L. M. A.; SOUZA-FORMIGONI, M. L. O. D. Avanços na psicometria: da teoria clássica dos testes à Teoria de Resposta ao Item. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alefe, v. 26, n. 2, p. 241-250, 2013. https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000200004

SOARES, T. M. Utilização da teoria da resposta ao item na produção de indicadores sócio-econômicos. Pesquisa Operacional, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 83-112, jan./abr. 2005. https://doi.org/10.1590/S0101-74382005000100006

SOUZA, S. A.; REINERT, J. N. Avaliação de um curso de Ensino Superior atravésda satisfação/insatisfação discente. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 15, n. 1, p. 159-176, 2010. https://doi.org/10.1590/S1414-40772010000100009

TEZZA, R.; BORNIA, A. C. Teoria da Resposta ao Item: vantagens e oportunidadespara a engenharia de produção. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 29., Salvador, 2009. A engenharia de produção e o desenvolvimento sustentável: integrando tecnologia e gestão. Rio de Janeiro: Abepro, 2009. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2009_TN_STP_094_638_13156.pdf . Acesso em: out. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Comissão Própria de Avaliação. Plano de avaliação institucional – 2017. Florianópolis, 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Comissão Própria de Avaliação. Relatório integral de autoavaliação institucional de 2017. Florianópolis, 2018.

VALLE, R. C. A construção e a interpretação de escalas de conhecimento: considerações gerais e uma visão do que vem sendo feito no SARESP. Estudos em Avaliação Educacional, Rio de Janeiro, n. 23, p. 71-92, 2001. https://doi.org/10.18222/eae02320012208




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362021002902192

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank