Avaliação como espaco de aprendizagem em softwares educativos

Carmesina Ribeiro Gurgel, Germaine Elshout de Aguiar, Nayana do Nascimento e Silva

Resumo


Considerando o uso das novas tecnologias nos tempos atuais, especificamente de programas que, tecnicamente, sao chamados de softwares e sua importância no ambiente educacional, objetivou-se neste artigo, analisar as contribuicoes da avaliação como instrumento mediador da aprendizagem em softwares educativos, especificamente de linguas estrangeiras (Espanhol e Ingles), no sentido de verificar quais concepcoes de avaliação estao subjacentes às suas propostas de aprendizagem, assim como examinar em que grau a dimensao da interface do programa favorece a aprendizagem do usuario, no que diz respeito à facilidade de uso, ao conteúdo, aos graus de organização dos conteúdos e de interação entre o que foi ensinado e o que e solicitado nos exercicios, ao exame final de cada licao, à metodologia e aos criterios de avaliação da aprendizagem.

Palavras-chave


Avaliação da aprendizagem; Softwares educativos; Funcoes avaliativas; Ensino de linguas

Referências


AGUIR, Germaine Elshout de. O ensino de língua inglesa. Teresina: Editora da Universidade Federal do Piauí, 2002.

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

BARROS, C. S.G. Pontos de psicologia geral. São Paulo: Atica, 1993.

CARRAHER, D.W. Educação tradicional e educação moderna. In: CARRAHER, T.N (org). Aprender pensando: contribuições da psicologia cognitiva para a educação. Petrópolis: Editora Vozes, 1994, p.10 – 30.

_______________A aprendizagem de conceitos matemáticos com o auxilio do computador. In: ALENCAR, Soriano de, Eunice M.L (org). Novas contribuições da psicologia aos processos de ensino e aprendizagem. São Paulo: Cortez Editora, 1992, p.169 – 201.

COLL, C; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas. v.2, 1996.

EUROPA MULTIMADIA (Ed.). Curso básico de idiomas. Volume Ašnico. Espanhol. Diretores Aydano Roriz; Abílio Cunha. São Paulo: Eurotalk, [s.n.]. CD-ROM. Produzido por Eurotalk Limitad de Londres, em parceria com a Europa Multimídia do Brasil.

GARCIA, E. L. Como informatizar suas atividades. Goiânia: AB, 1994.

GOA‘I, J. Curso de espanhol interativo em 24 CD-ROM. Diretora da Obra Marisa Fernandes Rubí. Madri: F&G Editores, 2000. Importador para o Brasil: Nova Lente Editora – RJ.

_______. Curso de inglAas interativo em 24 CD-ROM. Diretora da Obra Marisa Fernandes Rubí. Madri: F&G Editores, 2000. Importador para o Brasil Nova Lente Editora – RJ.

GURGEL, Carmesina Ribeiro. Tecnologia utilizada como recurso didático. In: Esboços em avaliação educacional. Mc Donald, Brendan Coleman (Org.). et al. Fortaleza: Editora UFC, 2002, p.41 – 59.

_________________________. As práticas avaliativas e a evolução de suas funções. In: Avaliação: Fiat Lux em Educação. Andriola, Wagner Bandeira; Mc Donald, Brendan Coleman (Orgs.). et al. Fortaleza: Editora UFC, 2003, p.67 – 91.

LA TAILLE, Yves de. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.

LAÉTAÉ, Bernard. Correção das dificuldades de leitura pela retroação verbal com o computador: balanço das pesquisas. In: Avaliando as aprendizagens: os aportes da psicologia cognitiva. Trad. Bruno Magne. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

LEVY, Michael. Computer Assisted Language Learning – context and conceptualization. New York: Oxford University Press, 1997.

MILHOLLAN, F. Skinner x Rogers: maneiras contrastantes de encarar a educação. Trad. Aydano Arruda. 3º ed. São Paulo: Summus, 1978.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Vygotski: aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

PAPERT, Seymour. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

SCRIVEN, Michael. The methodology of evaluation (AERAMonograph Series on Curriculum Evaluation,). Chicago: Rand McNally, 1967.

THE LANGUAGE SOLUTION-TLS/US – INTERATIVE. Curso de InglAas – Level one California, 2000.

RICHARDS, Jack C. & Rodgers, Theodore S. Approaches and methods in language teaching. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

RIVERS, Wilga. A metodologia do ensino de línguas estrangeiras. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1975.

SILVA, Teixeira da. Christina Marília e ELLIOT, Gomes Ligia. Avaliação de software educacional: a contribuição de especialistas e usuários. In: Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação. Rio de Janeiro: Fundação CESGRANRIO, 1997, vl.5, p.299 – 311.

VALENTE; FREIRE (Orgs.). Aprendendo para a vida: os computadores na sala de aula. São Paulo: Cortez, 2001.

VIEIRA, Santos. Fábia Magali. Avaliação de software educativo: reflexões para uma análise criteriosa. [Disponível em http://www.edutec.net/Textos/Alia/Misc/edmagali2.htm]. Acesso em 25.01.2010

WOOLFOLK, Anita E. Psicologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Apoio:




Programa de Apoio às Publicacoes Cientificas (AED) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e tecnologico (CNPq), Ministerio da Educação (MEC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ.
 

SCImago Journal & Country Rank