Ensino, formação profissional e a questao da mao de obra

Simon Schwartzman, Claudio de Moura Castro

Resumo


Existem evidencias de que ha falta de mao de obra qualificada em varios setores da economia brasileira, sobretudo em atividades de qualificação tecnica intermediaria, gerando uma demanda por educação profissional que esta sendo atendida, em parte, pelo setor privado, e mais recentemente por iniciativas do setor público. No entanto, o maior problema e a possibilidade de que a economia brasileira esteja se acomodando a um padrao de baixa qualificação de mao de obra e baixa produtividade que nao tem como se resolver pela simples pressao das demandas do mercado de trabalho sobre o sistema educativo. Isso so pode ser atingido por politicas educacionais que lidem de forma decisiva com os problemas da qualidade da educação, que comecam no nivel pre-escolar e vao ate o nivel do ensino superior e da pos-graduação. Alem dos problemas mais gerais da educação brasileira, o Brasil e possivelmente o único pais no mundo que nao permite escolhas na formação de nivel medio e requer, dos que buscam uma formação profissional, um curriculo escolar mais extenso do que o dos que seguem o curso tradicional. O Exame Nacional de Ensino Medio, ENEM, como exame único, reforca esta rigidez do Ensino Medio brasileiro. Este artigo apresenta os dados principais sobre a situação educativa da juventude brasileira e uma analise do quadro atual do Ensino Medio e tecnico-profissional, e conclui com recomendações sobre como reformar o Ensino Medio e desenvolver um sistema adequado de formação tecnico-profissional.

Palavras-chave


Brasil; Juventude; Mercado de Trabalho; Ensino Medio; Educação Tecnica

Referências


ACADEMIA BRASILEIRA DE CIAŠNCIAS. Grupo de trabalho sobre Educação Infantil. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciencias, 2009.

ALVES, M. T. G.; SOARES, J. F. Efeito-escola e estratificação escolar: o impacto da composição de turmas por nível de habilidade dos alunos; School effects and educational stratification: the impact of class composition based on student ability level. Educ. rev, [S. l.], n. 45, p. 25-59, 2007.

AMERICAN ASSOCIATION FOR THE ADVANCEMENT OF SCIENCE. Benchmarks for science literacy. New York: Oxford University Press, 1993.

APPLE, M. W. The politics of official knowledge: Does a national curriculum make sense? Discourse, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 1-16, 1993.

BRASIL. Lei nº 12.513, de 26 de outubro de 2011. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 out. 2011.

______. Medida Provisória n. 593, de 5 de dezembro. 2012. Altera a Lei nº 12.513, de 26 de outubro de 2011, que institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Pronatec, para ampliar o rol de beneficiários e ofertantes da Bolsa-Formação Estudante; e dá outras providAancias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 06 dez. 2011.

______. Ministério da Educacão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Educação Profissional e Tecnológica: Projetos e Ações 2010. Brasília, DF: MEC, 2010.

BROCK, C.; SCHWARTZMAN, S. Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

BURGER, K. How does early childhood care and education affect cognitive development? An international review of the effects of early interventions for children from different social backgrounds. Early Childhood Research Quarterly, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 140-165, 2010.

CASTRO, C. D. M. Desventuras do Ensino Médio e seus Desencontros com o Profissionalizante. In: VELOSO, et al. (Ed.). Educação básica no Brasil: construindo o país do futuro. Rio de Janeiro: Editora Campus; Elsevier, 2009. p. 145-169.

______. Learning an Occupation: practices and policies. Berlin: Klaus Schwartz Verlag, 2011.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATAÉGICOS. Características do Emprego dos Doutores Brasileiros: características do emprego formal no ano de 2004 das pessoas que obtiveram título de doutorado no Brasil no período 1996-2003. CGEE. Brasilia, DF: CGEE, 2008.

COLEMAN, J. S. Equality of educational opportunity. Washington: US. Department of Health, Education, and Welfare, 1966.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer n. 16 de 1999. Trata das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. Brasilia, DF: Ministério da Educação 1999.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CEB n. 40 de 2004. Trata das normas para execução de avaliação,reconhecimento e certificação de estudos previstos no Artigo 41 da Lei nº 9.394/96 (LDB). Brasilia, DF: Ministério da Educação 2004.

COUNCIL OF EUROPE. The Europe of cultural cooperation: Bologna Process. 2004. Disponível em: < http://www.coe.int/T/E/Cultural_Co-operation/education/Higher_education/Activities/Bologna_Process/default.asp >. Acesso em: 28 ago. 2013.

CUNHA, F. et al. Interpreting the evidence on life cycle skill formation. Handbook of the Economics of Education, [S. l.], v. 1, p. 697-812, 2006.

CUNHA, F.; HECKMAN, J. J. A EvidAancia sobre Formação de Capital Humano ao Longo da Vida. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2008.

DEARING, R. The National Curriculum and its Assessment: final report. Londres: School Curriculum and Assessment Authority London, 1993.

FERES, M. PRONATEC - Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Brasília, DF: MEC, 2011.

FERRETTI, C. J. O pensamento educacional em Marx e Gramsci e a concepção de politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 105-128, 2009.

HECKMAN, J. J. Skill Formation and the Economics of Investing in Disadvantaged Children. Science, [S. l.], n. 312, p. 1900-1902, 2006.

HMELO-SILVER, C. E.; DUNCAN, R. G.; CHINN, C. A. Scaffolding and achievement in problem-based and inquiry learning: A response to Kirschner, Sweller, and Clark (2006). Educational Psychologist, [S. l.], v. 42, n. 2, p. 99-107, 2007.

KIRSCHNER, P.; SWELLER, J.; CLARK, R. Why minimal guidance during instruction does not work: An analysis of the failure of constructivist, discovery, problem-based, experiential, and inquiry-based teaching. Educational Psychologist, [S. l.], v. 41, n. 2, p. 75-86, 2006.

KLEIN, R. Uma re-análise dos resultados do PISA: Problemas de comparabilidade. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 717-742, 2011.

LINDBECK, A.; SNOWER, D. J. The insider-outsider theory of employment and unemployment. Cambridge, Mass.: MIT Press, 1988.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. Cortez Editora: São Paulo, 2002.

MARTINS, R. C. D. R. A Organização AcadAamica do Ensino Médio Brasileiro ao Longo do Tempo. No prelo.

MENEZES FILHO, N. A. Tecnologia e Demanda por Qualificação na InduÌstria Brasileira. Rio de Janeiro: CEPAL, 2006.

MENEZES-FILHO, N. A. Apagão de mão de obra qualificada?: as profissões e o mercado de trabalho brasileiro entre 2000 e 2010. São Paulo: Centro de Políticas Públicas do INSPER; USP, 2012.

MENEZES-FILHO, N. A.; RIBEIRO, F. Os Determinantes da Melhoria do Rendimento Escolar. In: VELOSO, et al. (Ed.). Educação básica no Brasil: construindo o país do futuro. Rio de Janeiro: Editora Campus; Elsevier, 2009. p. 171-188.

NATIONAL SCIENCE RESOURCE CENTER. NSRC Inquiry-Based Science Education Programs. Washington: National Science Resources Center, 2005.

NEAVE, G. The Bologna Declaration: Some of the Historic Dilemmas Posed by the Reconstruction of the Community in Europe’s Systems of Higher Education. Educational Policy, [ S. l.], v. 17, n. 1, p. 141-164, 2003.

OECD. Organisation for Economic Co-operation and Development . PISA 2009 Results: What Students Know and Can Do: Student Performance in Reading, Mathematics and Science. Paris: OECD, 2009.

OLIVEIRA, M. A. D. Pronatec Resultados e Perspectivas. Brasília, DF: MEC; Secretaria de Educação Profissional e TecnoloÌgica, 2012.

OSBORNE, J. F. Beyond constructivism. Science Education, [S. l.], v. 80, n. 1, p. 53-82, 1996.

PACHECO, J. Escola da Ponte: formação e transformação em educação. petrópolis: Editora Vozes, 2008.

PATU, G. Sob Dilma: infraestrutura perde e educação expande. Folha de SãoPaulo, São Paulo, seção A4, p. 38-40, 2013.

PEREIRA, S. C. S. A Política de Educação Profissional Média Integrada: entre o legal e o 'real'. 2012. Dissertação(Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Piauí, Piauí, 2012.

RAFFE, D. et al. Participation, Inclusiveness, Academic Drift and Parity of Esteem: a comparison of post-compulsory education and training in England, Wales, Scotland and Northern Ireland. Oxford Review of Education, [S. l.], v. 27, n. 2, p. 173-203, 2001.

REDDING, S. The low-skill, low-quality trap: strategic complementarities between human capital and R & D. The Economic Journal, [S.l.], v. 106, n. 435, p. 458-470, mar. 1996.

SABOIA, J. (Ed.). TendAancias da Qualificação da Força de Trabalho: Projeto PIB : perspectivas do Investimento no Brasil: estudo Transversal. Rio de Janeiro: Instituto de Economia da UFRJ; Instituto de Economia da UNICAMP, 2009.

SCHIEL, D. Ensino de Ciências baseado em indagação (ECBI) no Brasil: o programa ABC na Educação Científica Mão na Massa. Estocolomo: Poster apresentado, 2005. (International Meeting IBSE/Inquiry-Based Science Education).

SCHWARTZMAN, S. Education-oriented social programs in Brazil: the impact of Bolsa Escola. Paper submitted to the Global Conference on Education Research in Developing Countries (Research for Results on Education), Global Development Network. Prague: IETS - Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade, 2005.

______. O viés acadAamico na educação brasileira. In: BACHA, E.; SCHWARTZMAN, S. (Ed.). Brasil: a nova agenda social. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2011.

SCHWARTZMAN, S.; BOMENY, H. M. B.; COSTA, V. M. R. Tempos de Capanema. 2ed. São Paulo: Paz e Terra; Editora FGV, 2000.

SCHWARTZMAN, S.; CHRISTOPHE, M. A Educação em Ciências no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade, 2009.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLA“GICA. Educação Profissional e Tecnológica: projetos e ações. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2010a.

______. Educação Profissional e Tecnológica: projetos e ações 2010. Brasília, DF: Ministério da Educação,2010b.

______. Prestação de contas Ordinária Anual: relatório de gestão 2010. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2011.

SENAI. Relatório de atividades 2011. Brasília, DF: SENAI/DN, p. 74, 2012.

SNOWER, D. J. The Low-Skill: bad-job trap. International Monetary Fund Research Department, 1994.

SOARES, F. O efeito da escola no desempenho cognitivo de seus alunos. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 6, 2004.

SOUZA, A. P. Políticas de Distribuição de Renda no Brasil e o Bolsa Familia. In: BACHA, E.; SCHWARRZMAN, S. (Ed.). Brasil: a nova agenda social. Rio de Janeiro: LTC, 2011. p. 166-186.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. De Olho nas Metas 2011: Qiuarto Relatório de Monitoramento das 5 metas do Todos Pela Educação. São Paulo, 2012.

UNITED KINGDOM DEPARTMENT F EDUCATION AND EMPLOYMENT. The national curriculum for England. London: Department of Education and Employment, 2000.

VELOSO, F.; FERREIRA, P. C.; PESSOA, S. ExperiAancias Comparadas de Crescimento Econômico no pós-guerra. In: VELOSO, F. et al. (Ed.). Desenvolvimento Econômico- Uma Perspectiva Brasileira. Rio de Janeiro: Campus/ Elsevier, 2013. cap. 1, p. 3-38.

VELOSO, F. et al. (Ed). Educação básica no Brasil: construindo o país do futuro. Rio de Janeiro: Editora Campus; Elseviered. 2009.

WOLF, A. Review of vocational education: the Wolf report. London: Stationery Office, 2011.

WORLD BANK. World Development Report 2013. Washington, DC: World Bank, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Apoio:




Programa de Apoio às Publicacoes Cientificas (AED) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e tecnologico (CNPq), Ministerio da Educação (MEC), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ.
 

SCImago Journal & Country Rank