Afinal, para que servem as condicionalidades em educação do Programa Bolsa Familia?

Andre Pires

Resumo


Esse artigo objetiva refletir sobre estrategias de enfrentamento da pobreza a partir da exigencia de frequencia escolar minima presente no desenho do programa de transferencia de renda condicionada do governo federal Bolsa Familia. Num primeiro momento, sao apresentadas algumas consideracoes, fundamentadas em trabalhos científicos, que problematizam a efetividade das condicionalidades em educação presentes no Programa Bolsa Familia (PBF). Na sequencia, apresento resultados de pesquisa desenvolvida entre 2008 e 2010 que entrevistou vinte e duas pessoas participantes do PBF e cujo objetivo foi compreender a visao dos proprios beneficiarios em relação a esta politica de transferencia de renda. Os resultados dessa investigação levaram-me a considerar que as condicionalidades do PBF podem ser vistas como instauradoras de uma relação de troca e reciprocidade entre os beneficiarios dessa politica e o Estado. Pensado nesses termos, proponho neste artigo que as discussoes sobre as condicionalidades em educação do PBF devem ser pensadas numa perspectiva ampliada, nao se restringindo somente aos seus efeitos praticos em termos de frequencia escolar ou ganhos de escolaridade, mas tambem aos seus efeitos simbolicos, notadamente, o fortalecimento dos sentimentos de pertencimento e reconhecimento sociais por parte das entrevistadas gerados pelo cumprimento das condicionalidades em educação.

Palavras-chave


Educação; Politicas Públicas; Programas de Transferencia de Renda Condicionada; Campinas (SP)

Referências


BOURDIEU, P. Escritos de educaA§A£o. PetrA³polis: Editora Vozes, 2010.

______. RazAµes prA¡ticas: sobre a teoria da aA§A£o. Campinas: Papirus, 1996.

CAMARGO, J. M. Pobreza e garantia de renda mA­nima. Folha de SA£o Paulo, SA£o Paulo, dez. 1991.

CASTEL, R. As metamorfoses da questA£o social: uma crA´nica do salA¡rio. PetrA³polis: Vozes, 1998.

______. El asenso de las incertidumbres: trabajo, protecciones, estatuto del individuo. Buenos Aires: Fondo de Cultura EconA³mica, 2010.

CHAUI, M. A atual reforma do Estado incorpora a lA³gica do mercado e ameaA§a esvaziar a instituiA§A£o universitA¡ria: a universidade operacional. Folha on line, SA£o Paulo, maio 1999. DisponA­vel em: . Acesso em: 20 dez. 1999.

COHN, A. O PBF e seu potencial como polA­tica de Estado. In: CASTRO, J. A.; MODESTO, L. Bolsa FamA­lia 2003-2010: avanA§os e desafios. BrasA­lia, DF: Ipea, 2010. p. 215-234.

FONSECA, A. M. FamA­lia e PolA­tica de Renda MA­nima. SA£o Paulo: Cortez, 2001.

______. Transferencias condicionadas, estrategias de combate al hambre y la desnutricion en America Latina y el Caribe. Santiago: FAO, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ANALISES SOCIAIS E ECONA”MICAS. RepercussAµes do Programa Bolsa FamA­lia na seguranA§a alimentar e nutricional: relatA³rio sA­ntese. Rio de Janeiro: Ibase, 2008.

KERSTENETZKY, C. L. RedistribuiA§A£o e desenvolvimento?: A Economia PolA­tica do Programa Bolsa FamA­lia. Dados: Revista de CiAancias Sociais, Rio de Janeiro, v. 52, n. 1 , p. 53-83. maio 2009.

KERSTENETZKY, C. L.; BRITO, A. S. SA©rie CEDE de textos para discussA£o. Rio de Janeiro: CEDE, 2011. DisponA­vel em: . Acesso em: 17 jan. 2012.

KRUGMAN, P. Os conservadores e o mito da igualdade de oportunidades. O Estado de SA£o Paulo, SA£o Paulo, p. A8, jan. 2012.

LA“PEZ-RUIZ, O. Os executivos das transacionais e o espA­rito do capitalismo: capital humano e empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2007.

MAUSS, M. Ensaio sobre a dA¡diva: forma e razA£o da troca nas sociedades arcaicas. In: MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. SA£o Paulo: Cosac & Naify, 2003. p. 185-314.

MEDEIROS, M.; BRITTO, T.; SOARES, F. TransferAancia de Renda no Brasil. Novos Estudos, [S.l.], n. 79, p. 5-21, nov. 2007.

MINISTA‰RIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL (Brasil). BenefA­cio de PrestaA§A£o Continuada. BrasA­lia, DF: 2012. DisponA­vel em: . Acesso em: 08 out. 2012.

MINISTA‰RIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME (Brasil). Condicionalidades. BrasA­lia, DF: 2011. DisponA­vel em: . Acesso em: 24 jan. 2012.

PIRES, A. OrA§amento familiar e gAanero: percepA§Aµes do Programa Bolsa FamA­lia. Cadernos de Pesquisa, SA£o Paulo, v. 42, n. 145, p. 130-161, mar. 2012.

______. RelaA§Aµes de troca e reciprocidade entre os participantes do Programa Bolsa FamA­lia em Campinas (SP). PolA­tica & Trabalho, SA£o Paulo, v. 1, n. 3, p. 171-195, abr. 2013.

REIMERS, F.; SILVA, C. D.; TREVINO, E. Where is the "Education" in Conditional Cash Transfers in Education?. Montreal: Unesco Institute for Statistics, 2006.

SCHULTZ, T. W. Valor econA³mico de la educaciA³n. MA©xico: UniA³n TipogrA¡fica Editorial Hispano Americana, 1968.

SENNETT, R. A corrosA£o do carA¡ter: consequAancias pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SUPLICY, E. Renda de Cidadania: a saA­da A© pela porta. SA£o Paulo: Cortez, 2004.

VILAS-BA”AS, L. SA©rie CEDE de textos para discussA£o. Rio de Janeiro: CEDE, 2011. DisponA­vel em: . Acesso em: 17 jan. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank