Memoria coletiva e insurgencia contra o olvido: em favor da convivencia na escola

Roseli Fischmann

Resumo


O artigo busca analisar como o abandono amnesico a que o Estado e a sociedade brasileira tem relegado a memoria coletiva pode impactar a convivencia escolar, por meio de estudo comparativo, com base em levantamento bibliografico e documental. Procura discutir o direito à memoria como fonte de transformação social, em especial na escola. Pontua a reflexão de Habermas sobre o “Memorial às vitimas da Guerra e da dominação violenta”, em Berlim. Analisa temas ligados à discriminação a indigenas e negros no Brasil, bem como dispositivos constitucionais que devem repercutir sobre o fazer escolar, a gestao, e sobre politicas públicas de educação. Tendo como objetivo propiciar alguns meios que auxiliem na definicao de politicas públicas de educação, procura sugerir fontes de subsidios, na escola e na sociedade, para a reflexão sobre relevantes processos que tem sido marginalizados da consciencia nacional e, contudo, resistem como conteúdos recalcados que retornam quando e onde menos se espera.

Palavras-chave


Memoria coletiva; consciencia nacional; memoria e politicas públicas; convivencia escolar

Referências


ADORNO, T. W. et al. The authoritarian personality. New York: The Norton Library, 1969. (Studies in prejudice).

ADORNO, T.W. EducaA§A£o e emancipaA§A£o. SA£o Paulo: Paz & Terra, 1995.

AGAMBEN, G. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha (Homo Sacer III). SA£o Paulo: Boitempo, 2008.

ARAAšJO, R. IAa, Viva Meu Mestre: a Capoeira Angola da escola pastiniana como prA¡xis educativa. 2004. 152 f. Tese (Doutorado)–Faculdade de EducaA§A£o da Universidade de SA£o Paulo, Universidade de SA£o Paulo, SA£o Paulo, 2004.

ARAAšJO, S. Cultura e Escolas-de-Fazenda: elementos para uma reflexA£o. 2002. 143 f. Tese (Doutorado)–Faculdade de EducaA§A£o da Universidade de SA£o Paulo, Universidade de SA£o Paulo, SA£o Paulo, 2002.

ARENDT, H. Eichmann em JerusalA©m: um relato sobre a banalidade do mal. SA£o Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BESANA‡ON, A. Le malheur du siA¨cle: Comunisme – Nazisme – Shoah. Paris: Perrin, 2005.

CARNEIRO, S. A construA§A£o do outro como nA£o-ser como fundamento do ser. 2005. 167 f. Tese (Doutorado)– Faculdade de EducaA§A£o da Universidade de SA£o Paulo, Universidade de SA£o Paulo, SA£o Paulo, 2005.

FISCHMANN, R. AnotaA§Aµes para uma arqueologia de processos de publicaA§A£o cientA­fica: o caso da editora MandruvA¡-Cemoroc. International Studies on Law and Education, [S.l.], n. 13/14, jan./ago., p. 23-31, 2013.

FISCHMANN, R. Historical and legal remarks on cultural diversity and higher education in Brazil in the context of the school system. Higher Education Policy: The Quarterly Journal of the International Assocation of Universities (IAU), v. 18, p. 375-395, 2005.

FOUCAULT, Vigiar e Punir. PetrA³polis: Vozes, 1977.

GRAAšNA, G. Contrapontos da literatura indA­gena contemporA¢nea no Brasil. Belo Horizonte: Mazza, 2013.

HABERMAS, J. Era das transiA§Aµes. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HENRIQUES, R. Desigualdade racial no Brasil: evoluA§A£o das condiA§Aµes de vida na dA©cada de 90. Rio de Janeiro: IPEA, 2001. (Texto para DiscussA£o 807). DisponA­vel em: . Acesso em: 30 jul. 2013.

HORKHEIMER, M.; ADORNO, T.W (Org.). Temas bA¡sicos da sociologia. SA£o Paulo: Cultrix; EDUSP, 1973.

KELMAN, H. I.; KELMAN, H. C. Violence without moral restraint: reflections on the dehumanization of victims and victimizers. Journal of Social Issues, [S.l.], v. 29, n. 4, p. 25-61, 1973. DisponA­vel em: . Acesso em: 30 ago. 2013.

LAFER, C. Parecer - o caso Ellwanger : anti-semitismo como crime da prA¡tica do racismo. Revista de informaA§A£o legislativa, [S. l.], v. 41, n. 162, p. 53-89, abr./jun. de 2004. DisponA­vel em: . Acesso em: 31 jul. 2013.

MOLINA, T. S. RelevA¢ncia da dimensA£o cultural na escolarizaA§A£o de crianA§as negras. 2011. 153 f. DissertaA§A£o (Mestrado)–Faculdade de EducaA§A£o, Universidade de SA£o Paulo, SA£o Paulo, 2011. DisponA­vel em: . Acesso em: 21 ago. 2013.

MUNDURUKU, D. O carA¡ter educativo do movimento indA­gena brasileiro (1970-1990). SA£o Paulo: Paulinas, 2012.

PEREIRA, J. H.V. EducaA§A£o e fronteira: processos indenitA¡rios de migrantes de diferentes etnias. 2002. 150 f. Tese (Doutorado)–Faculdade de EducaA§A£o da Universidade de SA£o Paulo, Universidade de SA£o Paulo, SA£o Paulo, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank