Os desafios da institucionalização do ensino superior na modalidade a distância: a visao dos gestores de uma universidade federal

Joao Paulo Rodrigues do Nascimento, Maria das Gracas Vieira

Resumo


O presente estudo apresenta as especificidades da EaD que se constituem em desafios para que essa modalidade de ensino se institucionalize nas Instituicoes de Ensino Superior. Realizou-se um levantamento dos gestores academicos associados aos cursos de graduação em oferta na UFRN, tracando um perfil destes por meio da identificação dos cargos que exercem, unidades de lotação e tempo de servico. O presente estudo assume uma natureza qualitativa, por meio de pesquisa participante, considerando tratar-se de amostra nao probabilistica intencional. Os resultados apontam que o processo de institucionalização ainda se encontra num estagio embrionario, embora se reconhecam os esforcos dos gestores academicos em compreender a importância da modalidade a distância no momento atual, com a insercao das tecnologias de informação e comunicação.


Palavras-chave


Educação a Distância; Ensino Superior; Institucionalização

Referências


ASSMAN, H. Redes digitais e metamorfose do aprender. Petropolis: Vozes, 2005.

BELLONI, M. L. Educacao a distância. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

BRASIL. Decreto nº 5.800, de 9 de julho de 2006. Dispoe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil- UAB. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, DF, 9 jun. 2006.

________. Ministerio da Educacao. Portaria nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, DF, 13 dez. 2004. Secao 1, p. 34.

CAPES-Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior. Programa Nacional de Formacao de Professores da Educacao Basica - PARFOR. Disponivel em: Acesso em: 29 out. 2013a.

________. PARFOR à distância. 2012. Disponivel em:. Acesso em: 29 out.2013.

________.O que e a Universidade Aberta do Brasil? Disponivel em: Brasilia: Acesso em: 30 out. 2013b.

________. Programa Nacional de Formacao em Administracao Pública – PNAP. Disponivel em:. 2009. Acesso em: 31 maio 2014.

COSTA, C. J. Modelos de educacao superior à distância e implementacao da Universidade Aberta do Brasil. Revista Brasileira de Informatica na Educacao, Florianopolis, v. 15, n. 2, p. 9-16, 2007.

DIMAGGIO, P.; POWELL, W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, Menasha, v. 48, n. 2, p. 147-160, 1983. doi:10.2307/2095101

EISENHARDT, K. Agency and institutional theory explanations: the case of retail sales compensation. Academy of Management Journal,Champaign, v. 31, n. 3, p. 488-511,1988. doi:10.2307/256457

ESMAN, M. J. The elements of institution building. In: EATON, J. W. (Ed.). Institution building and development: from concepts to application. London: Sage, 1972. p. 21-339.

ESMAN, M. J.; BLAISE, H. C. Institution building research: the guiding concepts. Pittsburgh: Inter-University Research Program, 1966.

FERREIRA, M.; MILL, D. Institucionalizacao da educacao a distância no ensino superior público brasileiro: desafios e estrategias. In: FIDALGO, F.S. et al. (Org.). Educacao à distância: meios, atores e processos. Belo Horizonte:CAED-UFMG, 2013. p. 43-57.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Sao Paulo, Loyola, 1996. Disponivel em: . Acesso: 05 ago. 2014.

GREENWOOD, R.; HININGS, C. R. Understang radical organizational change: bringing together the old and the new institucionalism.1996. Disponivel em: Acesso em: 17 fev.2014.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C. A.; FREZATTI, F. Evaluating management accounting change according to the institutional theory approach:a case study of a Brazilian bank. Journal of Accounting & Organizational Change, United Kingdom, v. 2, n. 3, p. 196-228, 2006. doi:10.1108/18325910610690063

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institutionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, Chicago, v. 83, n. 2, p. 340-363, 1977. doi:10.1086/226550

NOVAIS, S. M.; FERNANDES, A. S. A. A institucionalizacao do Ensino a Distância no Brasil: o caso da Graduacao em Administracao na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Revista de Ciencias da Administracao, Florianopolis, v. 13, n. 29, p. 173-201, 2011. doi:10.5007/2175-8077.2011v13n29p173

PORTO, G. Analise do discurso. Disponivel em:. Acesso em: 26 ago.2012.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social, metodos e tecnicas. 3. ed. Sao Paulo: Atlas, 1999.

SCHUTZ, A. et al. Collected papers: the problems of social reality. The Hague: Martinus Nijhoff, 1962.

SCOTT, R. The adolescence of institutional theory. Administrative Science Quarterly, Ithaca, v. 32, n. 4, p. 493-511, 1987. doi:10.2307/2392880

SILVA, A. B. Como os gerentes aprendem. Sao Paulo: Saraiva, 2009.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A institucionalizacao da teoria institucional. In: CLEGG, S. Handbook de estudos organizacionais. Sao Paulo: Atlas, 1999. v. 3, p. 196-219.

UAB-UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL. Informacoes da Universidade Aberta. 2006. Disponivel em: . Acesso em: 13 maio 2014.

ZUCKER, L. G. Institutional patterns and organizations: culture and environment. Cambridge, Mass: Ballinger, 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362016000200003

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

SCImago Journal & Country Rank