Auto Avaliação Institucional em uma Instituicao Federal de Ensino Superior: um olhar sob a perspectiva docente

Marcia Zampieri Grohmann, Zulmar Belmonte Nascimento, Daiane Lindner Radons

Resumo


A partir do crescimento da globalização, a avaliação da qualidade do servico prestado pelas Instituicoes de Ensino Superior tornou-se imperativa. O artigo teve como objetivos: verificar como os docentes percebem o processo de Auto Avaliação Institucional utilizado na Universidade e identificar a influencia do perfil do respondente na percepcao do processo de Auto Avaliação Institucional. Para tanto, foi realizada pesquisa descritiva com aplicação de questionarios aos docentes, elaborados com base no estudo de Morales (2001). Os resultados mostram que ha concordância, por parte dos docentes, com a estrategia adotada para implantar a avaliação institucional na Universidade. Por outro lado, os docentes apresentam percepcao menos favoravel em relação ao processo de comunicação, especialmente nas questoes sobre o nivel de conhecimento da comunidade universitaria. A interferencia do perfil dos docentes na avaliação das dimensoes e fraca (15%), sendo que a dimensao mais afetada e a da lideranca (27%) e a menos afetada e a da participação e comprometimento (6%).

Palavras-chave


Avaliação, Docente; Instituicao Ensino Superior

Texto completo:

PDF PDF Espanhol

Referências


ANDRIOLA, W. B.; SOUZA, L. A. Representações sociais dos gestores e dos técnicos das unidades acadAamicas da Universidade Federal do Ceará(UFC) acerca da autoAvaliação institucional. Avaliação (Campinas), v.15, n.2, p.45-72, 2010.

AUGUSTO, R.; BALZAN, N. C. A vez e a voz dos coordenadores das CPAS das IES de Campinas que integram o SINAES. Avaliação (Campinas) [online]. 2007, vol.12, n.4, pp. 597-624. ISSN 1414-4077.

BATISTA, M. A.; FREITAS, M. F.; OLIVEIRA, M. I.; ALMEIDA, E. E. Avaliação institucional no ensino superior: construção de escalas para discentes e docentes. Avaliação (Campinas), v.18, n.1, p.201-218, 2013.

BELLONI, I. A Função Social da Avaliação Institucional. In: DIAS SOBRINHO, J.; RISTOFF, D. I. Universidade desconstruída: Avaliação institucional e resistAancia. Florianópolis: Insular, 2000.

BRASIL, A. R.; BARBOSA, C. I. V.; RODRIGUES, F. P. M.; BLOIS, M. D.; CUNHA, M. S.; XAVIER, R. T. O. O processo da Avaliação institucional como multiplicador de iniciativas para o aperfeiçoamento docente: 2ª parte. Avaliação (Campinas), v.12, n.4, p.663-684, 2007.

CONAES - Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior. Orientações gerais para o roteiro da autoAvaliação das instituições. Brasília: Ministério da Educação, 2004.

FRANCISCO, T. H. A.; MELO, P. A.; NUNES, R. S.; MICHELS, E.; AZEVEDO, M. I. N. A contribuição da Avaliação in loco como fator de consolidação dos princípios estruturantes do SINAES. Avaliação (Campinas), v.17, n.3, p.851-876, 2012.

HAIR, JR., J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. 6. ed. Porto Alegre, Bookman, 2009. 688 p.

LEHFELD, N. A. S.; GABARRA, M. H. C.; COSTA, C.; SOUSA, Y. T. C. S. Reflexões sobre o processo de autoAvaliação institucional: o olhar de uma comissão própria de Avaliação. Avaliação (Campinas), v.15, n.1, p.177-194, 2010.

MORALES, R. E. A Avaliação institucional da IFES na percepção dos seus docentes. 2001. 145 p. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

NICOTARI, M. A.; NISHIKAWA, M. AutoAvaliação Institucional: Bases de uma metodologia participativa e emancipada para o seu desenvolvimento em IES de Educação A Distância. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A€ DISTA‚NCIA E ENCONTRO DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO A€ DISTA‚NICA. 2012., São Carlos. Anais... UFSCar: São Carlos, 2012.

OLIVEIRA, A. P.; SOUZA, V. C.; SOUSA, J. V.; TAVARES, E. P. G. Políticas de Avaliação e regulação da educação superior brasileira: percepções de coordenadores de licenciaturas no Distrito Federal. Avaliação (Campinas), v.18, n.3, p.629-655, 2013.

PEIXOTO, M. C. L. Avaliação institucional externa no SINAES: considerações sobre a prática recente. Avaliação (Campinas), v.16, n.1, p.11-36, 2011.

POLIDORI, M. M.; FONSECA, D. G.; LARROSA, S. F. T. Avaliação institucional participativa. Avaliação, 12, 333-348, 2007.

RISTOFF, D. Avaliação institucional: pensando princípios. In: DIAS SOBRINHO, J.; BALZAN, N. C. (Org.). Avaliação Institucional: teoria e experiências. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

RODRIGUES, C. M. C. Proposta de Avaliação Integrada ao Planejamento Anual: um modelo para as UCGs. 2003. 302 p. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

ROTHEN, J. C.; BARREYRO, G. B. Expansão da educação superior no Brasil e Avaliação institucional: um estudo do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) na “Revista Avaliaçãoâ€. Série-Estudos, n. 30, v. 2, p. 167-181, 2010.

SANTOS, E. G.; SADALA, M. G. S.; BORGES, S. X. A. Avaliação institucional: por que os atores silenciam? Educação & Realidade, v.37, n.2, p.551-568, 2012.

SCHLICKMANN, R.; MELO, P. A.; ALPERSTEDT, G. D. Enfoques da teoria institucional nos modelos de Avaliação institucional brasileiros. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 13, n. 1, Mar. 2008.

SINAES - Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior: da concepção A regulamentação / [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira]. - 2. ed., ampl. - Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2004.

SILVA, A. L.; GOMES, A. M.; Avaliação institucional no contexto do SINAES: A CPA em questão. Avaliação, v. 16, n. 3, p. 573-601, 2011.

SILVA, E. A.; MENDES, M. C. B. Avaliação institucional na Universidade Agostinho Neto (Angola) e regulação estatal: perspectivas, práticas e desafios. Avaliação (Campinas), v.17, n.2, p.317-350, 2012.

SILVA JR., A.; POLIZEL, C. E. G.; SOUZA, S.; SILVA, A. R. L.; SILVA, P. O. M.; SOUZA, S. P. Políticas públicas para a educação superior: a Avaliação, a regulação e a supervisão de IES privadas em debate. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, v.22, n.82, p.215-240, 2014.

SORDI, M. R. L. Comissão própria de Avaliação (cpa): similaridades e dessemelhanças no uso da estratégia na educação superior e em escolas do ensino fundamental. Avaliação (Campinas), v.16, n.3, p.603-617, 2011.

SORDI, M. R. L.; LUDKE, M. Da Avaliação da aprendizagem A Avaliação institucional: aprendizagens necessárias. Avaliação (Campinas), v.14, n.2, p.313-336, 2009.

SGUISSARDI, V. Regulação estatal versus cultura de Avaliação institucional? Avaliação (Campinas), v.13, n.3, p.857-862, 2008.

VENTURINI, J. C.; PEREIRA, B. A. D.; MORALES, R.; FLECK, C. F.; BATISTELLA Jr, Z.; NAGEL, M. B. Percepção da Avaliação: um retrato da gestão pública em uma instituição de ensino superior (IES). Revista de Administração Pública, v.44, n.1, p.31-53, 2010.

VIEIRA, R. L. B.; FREITAS, K. S. O SINAES na universidade pública estadual: análise do processo de construção da Avaliação interna na Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas, 18, 443-464, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v6i17.218



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliação e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliação e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.