Avaliação da aprendizagem escolar em matemática no contexto remoto: reflexões a partir de dizeres docentes

Juliana Alves de Souza, Mariana Souza Innocenti

Resumo


O presente trabalho, de natureza qualitativa, tem como objetivo investigar e discutir processos relacionados à avaliação da aprendizagem escolar em matemática durante o período remoto, sob a perspectiva de professores. Para tanto, foi realizado um questionário com dez professores de matemática atuantes na Educação Básica para buscar conhecer como lidaram com a avaliação da aprendizagem escolar nesse período. As informações foram agrupadas por similaridade e as discussões realizadas à luz de autores da Avaliação Formativa. A atuação remota movimentou algumas “estruturas” dos processos avaliativos, dentre elas, a drástica redução do controle do professor sobre a produção do aluno; a consulta e a cola, que podem amenizar a carga emocional no avaliado; além de dificuldades de comunicação.


Texto completo:

PDF

Referências


AGRUPAR. In: HOUAISS, A. Dicionário eletrônico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

BARLOW, M. Avaliação escolar: mitos e realidades. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CELLINI, N.; DI GEORGIO, E.; MIONI, E.; DI RISO, D. Sleep and psychological difficulties in Italian school-age children during COVID-19 lockdown. Journal of Pediatric Psychology, Oxford, v. 46, n. 2, p. 153-167, 2021. DOI: 10.1093/jpepsy/jsab003. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33517438/. Acesso em: 30 abr. 2022.

DOMINGUES, I. O copianço na universidade: o grau zero na qualidade. Lisboa: RÉS XXI, 2006.

FERNANDES, D. Avaliação em educação: uma discussão de algumas questões críticas e desafios a enfrentar nos próximos anos. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 78, p. 11-34, jan./mar. 2013. Disponível em: https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio/article/view/352. Acesso em: 3 abr. 2022.

ESTEBAN, M. T.; PINA, B. de S. F. Silenciamento e diálogo na avaliação escolar. Teias, Rio de Janeiro, v. 22, n. 67, out./nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2021.52977. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/52977. Acesso em: 1 maio 2022.

FIGUEIREDO, C. S. de; SANDRE, P. C.; PORTUGAL, L. C. L.; OLIVEIRA, T. M. de; CHAGAS, L. S.; RAONY, I.; FERREIRA, E. S.; ARAÚJO, E. G. de; SANTOS, A. A. dos; BOMFIM, P. O. S. COVID-19 pandemic impact on children and adolecents' mental health: biological, environmental, and social factors. Progress in Neuropsychopharmacology and Bilogical Psychiatry, [S. l.], v. 126, p. 1-7, 2021. DOI: 10.1016/j.pnpbp.2020.110171. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278584620304875. Acesso em: 30 abr. 2022.

FONSECA, R. P.; SGANZERLA, G. C.; ENÉAS, L. V. Fechamento das escolas na pandemia de COVID-19: impacto socioemocional, cognitivo e de aprendizagem. Debates em Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 28-37, out./dez. 2020. DOI: 10.25118/2763-9037.2020.v10.23. Disponível em: https://revistardp.org.br/revista/article/view/23. Acesso em: 1 maio 2022.

FORSTER, C. A utilização da prova-escrita-com-cola como recurso à aprendizagem. Orientadora: Regina Luzia Corio de Buriasco. 2016. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) - Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016. Disponível em: http://www.uel.br/grupo-estudo/gepema/Dissertacoes/2016_Forster_dissertacao.pdf. Acesso em: 23 ago. 2021.

GARNICA, A. V. M. Pesquisa qualitativa e educação (matemática): de regulações, regulamentos, tempos e depoimentos. Mimesis, Bauru, SP, v. 22, n. 1, p. 35-48, 2001. Disponível em: https://secure.unisagrado.edu.br/static/biblioteca/mimesis/mimesis_v22_n1_2001_art_02.pdf. Acesso em: 2 maio 2022.

HADJI, C. A avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed, 2001.

HADJI, C. A avaliação, regras do jogo: das intenções aos instrumentos. Porto: Porto Editora, 1994.

INNOCENTI, M. S. Prova-escrita-com-cola em aulas de matemática no 8º ano do ensino fundamental. Orientadora: Regina Luzia Corio de Buriasco. 2020. 78 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2020. Disponível em: https://pos.uel.br/pecem/wp-content/uploads/2021/08/INNOCENTI-Mariana-Souza.pdf. Acesso em: 22 ago. 2021.

PEDROCHI JUNIOR, O.; BURIASCO, R. L. C. de. A avaliação como fio condutor da prática pedagógica. Revista de Ensino e Educação e Ciências Humanas, Londrina, v. 20, n. 4, p. 370-377, 2019. DOI: 10.17921/2447-8733.2019v20n4p370-377. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/ensino/article/view/7615. Acesso em: 1 maio 2022.

SANTOS, E. R. dos. Estudo da produção escrita de estudantes do ensino médio em questões discursivas não rotineiras de matemática. Orientadora: Regina Luzia Corio de Buriasco. 2008. 166 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008. Disponível em: https://pos.uel.br/pecem/wp-content/uploads/2021/08/SANTOS-Edilaine-Regina-dos.pdf. Acesso em: 22 ago. 2021.

SOUZA, J. A. de. Cola em prova escrita: de uma conduta discente a uma estratégia docente. Orientadora: Regina Luzia Corio de Buriasco. 2018. 146 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2018. Disponível em: http://www.uel.br/grupo-estudo/gepema/Teses/2018_Souza_tese.pdf. Acesso em: 21 ago. 2021.

SOUZA, J. A.; BURIASCO, R. L. C. de. Influências da natureza da avaliação na utilização de uma cola. Educação Matemática em Pesquisa, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 140-159, 2020. DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i1p133-1521983-3156.2020v22i1p140-159. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/43223. Acesso em: 21 ago. 2021.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v14i43.3669



Direitos autorais 2022 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.