Avaliação da satisfação de alunos dos programas de pós-graduação da CNEN, em relação ao Sistema Internacional de Informação Nuclear (INIS)

Sergio Negri Ferreira, Ovidio Orlando Filho

Resumo


O estudo teve por objetivo avaliar o nível de satisfação dos alunos dos cursos de pós-graduação na área nuclear, oferecidos pela Comissão Nacional de Energia Nuclear, em relação à base INIS. Adotou-se como norte metodológico a abordagem centrada nos consumidores, com foco em duas categorias - Funcionalidades Gerais do Sistema e Recuperação da Informação – e respectivos indicadores. Os resultados evidenciaram que em relação às Funcionalidades Gerais do Sistema, o nível de satisfação foi médio, com destaque para a deficiência no recurso de ajuda, como ponto negativo. Em relação à Recuperação da Informação, o estudo apontou um nível de satisfação alto, com destaque para a variedade dos tipos de documentos e de assuntos, a rapidez da busca e o grande volume de itens.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, C. A. Á.; SILVA, J. C. P.; COUTINHO, L. F.; SOUZA, P. B. A contribuição de F. W. Lancaster para a ciência da informação no Brasil. Revista Ponto de Acesso, Salvador, v. 3, n. 2, p. 132-146, ago. 2009. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/3355/2614. Acesso em: 24 jun. 2018.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Discentes. In: BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plataforma Sucupira. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/discente/listaDiscente.jsf. Acesso em: 14 ago. 2018.

CARDOSO, E. de M. Energia nuclear e suas aplicações. 3. ed. Rio de Janeiro: CNEN, 2012. Disponível em: http://www.cnen.gov.br/images/cnen/documentos/educativo/apostila-educativa-aplicacoes.pdf. Acesso em: 27 jul. 2019.

COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR (Brasil). Quem somos?. In: COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR (Brasil). Página inicial, Rio de Janeiro, [2018]. Disponível em: http://www.cnen.gov.br/quem-somos. Acesso em: 7 out. 2017.

COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR (Brasil). Relatório de gestão do exercício de 2016. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: http://www.cnen.gov.br/images/cnen/documentos/acesso_a_informacao/Rel-gestao-2016.pdf. Acesso em: 12 ago. 2018.

DANTAS, V. CIN: 45 anos disseminando o conhecimento técnico-cientifico. Brasil Nuclear: Informativo da Associação Brasileira de Energia Nuclear, Rio de Janeiro, ano 20, n. 44, p. 8-12, 2015. Disponível em: http://www.aben.com.br/Arquivos/424/424.pdf. Acesso em: 5 dez. 2018.

GARVEY, W. D. Communication: the essence of science. New York: Pergamon Press, 1979.

GROSS, B. Sistema Internacional de Informações Nucleares (SIIN). [S. l.: s. n.], 1968.

INTERNATIONAL ATOMIC ENERGY AGENCY. INIS progress and activities report 2017. Vienna, AT: IAEA, [2018]. Disponível em: https://www.iaea.org/sites/default/files/18/04/inis_progress_and_activitiy_report_2017.pdf. Acesso em: 13 ago. 2018.

INTERNATIONAL ATOMIC ENERGY AGENCY. International Nuclear Information System (INIS). Vienna, AT, 2019. Disponível em: https://inis.iaea.org/search/. Acesso em: 7 jun. 2019.

LAMBERT, M. B. M. A. Manual de coleta de documentos para alimentação da base de dados INIS. Rio de Janeiro: CNEN, 1999. Disponível em: http://memoria.cnen.gov.br/manut/ImprimeRef.asp?AN=B0001008. Acesso em: 18 nov. 2018.

LAMBERT, M. B. M. A. Metodologia de coleta para alimentação de uma base de dados em energia nuclear. Orientadora: Lena Vania Ribeiro Pinheiro. 1996. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996. Disponível em: http://memoria.cnen.gov.br/manut/ImprimeRef.asp?AN=28060060. Acesso em: 18 nov. 2018.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2004.

MARTÍN-ARRIBAS, M. C. Diseño y validación de cuestionários. Matronas Profesión, Madrid, v. 5, n. 17, p. 23-29, 2004. Disponível em: http://www.federacion-matronas.org/wp-content/uploads/2018/01/vol5n17pag23-29.pdf. Acesso em: 26 fev. 2019.

MARZO, M. A. S.; ALMEIDA, S. G. de. A evolução do controle de armas nucleares: desarmamento e não-proliferação. Rio de Janeiro: Ed. Ciência Moderna Ltda., 2006.

MESQUITA, R.; BRAMBILLA, S.; LAIPELT, R. do C.; MAIA, M. de F.; VANZ, S.; CAREGNATO, S. E. Elaboração e aplicação de instrumentos para avaliação da base de dados Scopus. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 11, n. 2, p. 187-205, maio/ago. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v11n2/v11n2a04.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019.

NEGRI FERREIRA, Sergio. O Sistema Internacional de Informação Nuclear e sua Base de Dados: um estudo avaliativo. Orientador: Ovidio Orlando Filho. 2019. 111 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Avaliação) – Faculdade Cesgranrio, Fundação Cesgranrio, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: http://mestrado.cesgranrio.org.br/pdf/dissertacoes2019/29%20agosto%202019_Dissertacao%20Sergio%20Negri%20T2018%20Final1.pdf. Acesso em: 15 junho 2021.

NOGUEIRA, E. F.; LAMBERT, M. B. M. A.; QUADROS, A. L. L. A formação da base INIS: cooperação internacional para acesso ao conhecimento nuclear. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 23., 2009, Bonito, MS. Trabalhos apresentados [...]. Bonito, MS: APB/MS, 2009. Disponível em: http://memoria.cnen.gov.br/manut/ImprimeRef.asp?AN=M00000290. Acesso em: 21 nov. 2018.

SILVA, M. da G. dos S. da. Avaliação das bases de dados da biblioteca de história das ciências e da saúde da Fiocruz. Orientadora: Lucí Mary Araújo Hildenbrand. 2013. 64 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Avaliação) – Faculdade Cesgranrio, Fundação Cesgranrio, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: http://mestrado.cesgranrio.org.br/pdf/dissertacoes2011/29%20de%20Agosto%202013Dissertacao_Maria%20da%20Gloria_Turma%202011.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

TODESCHINI, C. The International Nuclear Information System (INIS): the first forty years 1970-2010. Vienna, AT: IAEA, 2010. Disponível em: https://www.iaea.org/sites/default/files/inis-40-anniversary.pdf. Acesso em: 19 nov. 2018.

VASCONCELLOS-GUEDES, L.; GUEDES, L. F. A. E-surveys: vantagens e limitações dos questionários eletrônicos via internet no contexto da pesquisa científica. In: SEMINÁRIO EM ADMINISTRAÇÃO FEA/USP, 10., 2007, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: USP, 2007. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Luis_Guedes/publication/233852786_E-surveys_Vantagens_e_limitacoes_dos_questionarios_eletronicos_via_internet_no_contexto_da_pesquisa_cient'ifica/links/55b635b608ae9289a08aad62.pdf. Acesso em: 8 abr. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v13i39.3564



Direitos autorais 2021 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.