A avaliação da pós-graduação no Brasil: resultados e determinantes da avaliação da Capes (2013-2016)

Cesar Augusto Marques, Alinne de Carvalho Veiga, Letícia Maria Correia Borges

Resumo


No Brasil, a regulação e a avaliação da qualidade dos programas de pós-graduação são feitas pela Fundação de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES). A avaliação é central para todo o sistema de pós-graduação, distribuindo recursos financeiros e legitimando os diferenciais entre os programas. Assim, avaliar a avaliação é crucial para aperfeiçoar os modelos e compreender os resultados vigentes. Com este escopo, o presente trabalho coletou, estruturou e analisou os resultados e determinantes do processo avaliativo da Quadrienal 2013-2016, realizado em 2017. Para isso foram utilizadas técnicas de Web Scraping para construção de uma base de dados única, contendo as informações das fichas de avaliação de todos os programas avaliados. A partir de tal base foi aplicado um modelo de regressão logística para estimação das relações dos quesitos da avaliação com as mudanças de nota dentre as grandes áreas do conhecimento. Destaca-se a importância da produção acadêmica cientifica, sendo os quesitos de Produção intelectual e do Corpo Discente, Teses e Dissertações os que apresentaram maior relevância na alteração das notas.


Texto completo:

PDF

Referências


BIANCHETTI, L.; SGUISSARDI, V. (org.). Dilemas da pós-graduação. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

BIANCHETTI, L.; VALLE, I. R. Produtivismo acadêmico e decorrências às condições

de vida/trabalho de pesquisadores brasileiros e europeus. Ensaio: Avaliação e Políticas

Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 82, p. 89-110, jan./mar. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v22n82/a05v22n82.pdf. Acesso em: 11 jun. 2020.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Avaliação quadrienal 2017. Avaliação Quadrienal, Brasília, DF, 2017c. Disponível em: https://sites.google.com/a/capes.gov.br/avaliacao-quadrienal. Acesso em: 29 jul. 2019.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Comissão especial de acompanhamento do PNPG-2011-2020: relatório final 2016: sumário executivo. Brasília, DF: Capes, 2017a. Disponível em: http://uab.capes.gov.br/images/stories/download/relatorios/231117-Relatorio-PNPG-Final-2016-CS.pdf. Acesso em: 29 jul. 2019.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação: PNPG 2005-2010. Brasília, DF: CAPES, 2005.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação: PNPG 2011-2020. Brasília, DF: CAPES, 2010.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 59, 21 de março de 2017. Dispõe sobre o regulamento da Avaliação Quadrienal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, mar. 2017b. Disponível em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=240. Acesso em: 14 out. 2020.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Resolução nº 05, de 11 de dezembro de 2014. Estabelce nova periodicidade para avaliação de programas de pós-graduação scrito sensu. Diário Oficial da União, Brasília, DF, dez. 2014. Disponível em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=885. Acesso em: 28 jul. 2018.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Avaliação. In: BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Ações e programas. Brasília, DF, [2019]. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao. Acesso em: 21 jul. 2019.

FÁVERO, L. P. L.; CHAN, B. L.; BELFIORE, P. P.; SILVA, F. L. da. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GLEZ-PEÑA, D.; LOURENÇO, A.; LÓPEZ-FERNÁNDEZ, H.; REBOIRO-JATO, M.; FDEZ-RIVEROLA, F. Web scraping technologies in an api world. Briefings in Bioinformatics, London, v. 15, n. 5, p. 788–797, 2013. Disponível em: https://academic.oup.com/bib/article/15/5/788/2422275. Acesso em: 21 jul. 2020.

GUIMARÃES, R. O futuro da pós-graduação: avaliando a avaliação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 4, n. 8, p. 282-292, 2007.

HARRISON, J. Rselenium: R bindings for ’selenium webdriver’. [S. l.: s. n.], 2017.

HOSTINS, R. C. L. Os Planos Nacionais de Pós-graduação (PNPG) e suas repercussões na pós-graduação brasileira. Perspectiva, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 133-60, 2006.

KUENZER, A. Z.; MORAES, M. C. M. de. Temas e tramas na pós-graduação em educação. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 26, n. 93, p. 1341- 1362, set./dez. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000400015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v26n93/27284.pdf. Acesso em: 11 jun. 2020.

LIEVORE, C.; PICININ, C. T.; PILATTI, L. A. Los campos de conocimiento en postgrado en Brasil: crecimiento longitudinal entre 1995 y 2014. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 25, n. 94, p. 207-237, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-40362017000100008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v25n94/1809-4465-ensaio-25-94-0207.pdf. Acesso em: 11 jun. 2020.

MAIA, L. F. Recomendação de cervejas baseada em avaliações e comentários de sites especializados. 2018. Monografia (Bacharel em Estatística) – Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Rio de Janeiro, 2018.

RELATÓRIO da Comissão Internacional de Avaliação sobre o processo de avaliação do Programa de pós-graduação da CAPES. Boletim Informativo da CAPES, Brasília, DF, v. 5, n. 2, p. 21-26, abr./jun. 1997.

RIBEIRO, R. J. Os critérios da avaliação. Brasília, DF, 2007. Informativo. Disponível em:

http://www1.capes.gov.br/images/stories/download/artigos/Artigo_10_08_07.pdf. Acesso em: 11 jun. 2018.

SGUISSARDI, V. Produtivismo acadêmico. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A.; VIEIRA, L. (org.). Dicionário de trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: Faculdade de Educação/ UFMG, 2010.

WICKHAM, H. Rvest: easily harvest (scrape) web pages. [S. l.: s. n.], 2016.

YAMAMOTO, O. H.; TOURINHO, E. Z.; BASTOS, A. V. B.; MENANDRO, P. R. M. Produção científica e “produtivismo”: há alguma luz no final do túnel?. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 9, n. 18, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v12i37.2825



Direitos autorais 2020 Fundacao Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.