Revista Meta: Avaliação

A revista do Mestrado Profissional em Avaliação da Fundação CESGRANRIO - Meta: Avaliação é uma publicação científica, de periodicidade quadrimestral, veiculada exclusivamente através da internet, nos meses de abril, agosto e dezembro. A publicação focaliza o campo da avaliação, com ênfase especial nas áreas de educação, saúde e sociedade, caracterizando assim sua natureza multidisciplinar. Meta: Avaliação é um canal de divulgação da prática e da teoria da avaliação no Brasil e no mundo. O periódico dedica-se a publicar pesquisas, estudos, artigos, resenhas de livros, teses e dissertações, relacionadas ao campo da avaliação.

Notícias

 
Nenhuma notícia publicada.
 
Outras notícias...

v. 10, n. 30 (2018): Revista Meta: Avaliação Set./Dez.

A Revista Meta: Avaliação, em seu volume 10, número 30, é integrada por vários artigos que abordam a questão da avaliação sob diferentes aspectos, tendo todos como referência o Ensino Superior. Nela, discute-se a importância da avaliação para dar maior visibilidade à produção científica. Dois artigos tratam da avaliação na formação de professores. Outros três falam da aplicação de instrumentos em processos de avaliação. Um outro discute a aplicação do currículo por competência no ensino naval e sua relação com provas padronizadas. No oitavo artigo foi abordada a necessidade da autoavaliação no subsistema de ensino superior de Angola e, finalmente, foi feito um relato de experiência sobre a criação e aplicação de uma dinâmica avaliativa envolvendo alunos de uma instituição de ensnino superior, localizada na região sul do país.

O primeiro artigo, de autoria de Pinho e Diogo, tem como referência estudos recentes sobre monitorização e avaliação de impacto, realizados em dois centros de investigação vinculados a universidades de Portugal, para discutir ferramentas e estratégias usadas neste domínio. Os autores admitem a necessidade de melhorar a visibilidade da investigação, para aumentar o seu impacto, seja em nível acadêmico como a nível societal.

Saiz-Linares e Susinos-Rada analisam, no segundo artigo, o papel da avaliação formativa e da retroalimentação como elementos favorecedores de processos reflexivos desenvolvidos no contexto de uma proposta de practicum para futuros professores de magistério infantil e primário. Tal proposta se faz em acordo com o novo paradigma formativo adotado pelo Espaço Europeu de Educação Superior, que privilegia o desenvolvimento da competência reflexiva nos estudantes desses cursos.

Zanrosso, Costa e Kinast assinam o artigo de número três, que abordou a qualificação didático-pedagógica de professores engenheiros a partir de um aporte teórico. Foi realizado um diagnóstico da qualificação de docentes dos cursos de engenharia química das Instituições de Ensino Superior do Rio Grande do Sul, considerando informações contidas em seus currículos Lattes. Variáveis como gênero, titulação e natureza da instituição foram cruzadas estatisticamente com a qualificação docente. Esses dados foram correlacionados com outros, a saber: o desempenho dos alunos obtido no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, o ENADE, e o crescimento médio do número de formandos.

O quarto artigo, de Kruchelski, Moraes e Lang, traz como contribuição uma revisão da literatura integrativa que buscou compreender como os mapas conceituais são usados na avaliação dos professores, potencializando a aprendizagem significativa. Nesta direção, apresentam os mapas conceituais como uma eficiente ferramenta para melhorar os processos de aprendizagem e de avaliação.

No quinto artigo, que teve por objetivo adaptar e revalidar a Escala Engajamento Discente de Burch et al. (2015) para o contexto brasileiro, Carneiro, Orsini e Costa, desenvolveram procedimentos de tradução e adaptação dos itens da escala que, complementados por questões sociais e demográficas, deram origem ao questionário utilizado na pesquisa.A adaptação e revalidação resultaram em uma métrica final consistente, válida para sua utilização em estudos quantitativos que envolvam o construto no Brasil.

Rodriguez-Sabiote, Alvarez-Rodríguez e Gámez-Durán, autores do sexto artigo, expõem um conjunto de limitações metodológicas relacionadas às rubricas e à proposta de soluções viáveis para superá-las. Admitem que os vieses derivados dos usos de coeficientes de correlação e confiabilidade no uso da confiabilidade intra e inter–observador e na validade de conteúdo podem ser substituídos por coeficientes de concordância.

No sétimo artigo, Aguiar,  Mendonça e Dopcke, tendo a concepção de currículo por competência como suporte teórico, abordam a experiência do Curso de Formação de Marinheiros na Marinha do Brasil. Discutem, também, os perfis profissionais necessários ao exercício dessa profissão. Relatam como foi desenvolvido, nas quatro Escolas de Aprendizes de Marinheiros, um calendário unificado de atividades e como foi realizada uma sistemática que possibilitou avaliar, por meio de provas padronizadas, as competências dellineadas no currículo

Padron, Spinola e Hernandez, autores do oitavo artigo, discutem a necessidade, expressa em documentos normativos do subsistema de educação angolano, de adotar a autoavaliação contextualizada, dinâmica e participativa, considerando as condições históricas concretas do país. Apresentaram um modelo teórico-funcional de autoavaliação institucional, para ser implementado na melhoria da qualidade das instituições politécnicas de educação superior em Angola. Os autores buscaram evidenciar a validade teórica e prática deste modelo.

Por último, Cardenas apresenta um relato de experiência conduzido na disciplina Gestão da Inovação em um curso de graduação de uma instituição de ensino superior pública, localizada na região sul do país. Neste relato é desenvolvida uma avaliação alternativa, na forma de atividade peagógica, em que os alunos, agrupados em duplas, construíram perguntas de uma prova teórica e respondem às perguntas feitas por outros alunos. Eles avaliam as respostas às suas perguntas, sendo também avaliados pelas perguntas construídas pelos outros alunos. Foram vivenciados todos os passos da criação e aplicação de uma dinâmica avaliativa.

Desse modo, avaliadores e pesquisadores encontram, nos artigos apresentados, diversas contribuições ao Ensino Superior que podem servir de referência tanto na ampliação de conhecimento específico, quanto na utilização de abordagens ou metodologias, e ainda de instrumentos replicáveis naquele nível de ensino. Não deixem de ler!

Sumário

Estudos e Artigos

Isabel Pinho, Sara Diogo
502-532
Angela Saiz-Linares, Teresa Susinos-Rada
533-554
Crissie Dossin Zanrosso, Luciano Andreatta Carvalho da Costa, Eder Júlio Kinast
PDF
555-578
Silvano Kruchelski, Anibal de Moraes, Claudete Reisdorfer Lang
PDF
579-599
Jailson Santana Carneiro, Anna Carolina Rodrigues Orsini, Francisco Jose da Costa
PDF
600-620
Clemente Rodriguez-Sabiote, José Alvarez-Rodríguez, Rosa del Pilar Gámez-Durán
621-637
Luiza de Sousa Ferreira de Mendonca, Natalia Morais Correa Borges Aguiar, Rosa Neira Dopcke
PDF
638-660
Alexander Lopez Padron, Manuel Octavio Isaac Spinola, Feliberto Mohar Hernandez
661-691

Relatos de experiências

Alfredo Ribeiro Cardenas
PDF
692-707