Avaliação Educacional: formas de uso na pratica pedagogica

Sirley Leite Freitas, Michele Gomes Noe da Costa, Flavine Assis de Miranda

Resumo


Neste artigo discute-se o tema avaliação abordando seus tipos, formas e usos. Apresenta conceitos relacionados à avaliação diagnostica, formativa e somativa, segundo os conceitos de autores como Bloom (1983) e Haydt (2008). Destaca a avaliação apresentando suas formas sob uma visao tradicional em que a avaliação e usada com finalidade ora classificatoria, ora punitiva e como controle social. Tambem apresenta a avaliação sob uma visao mediadora da aprendizagem sendo essa um processo continuo de ação-reflexão-ação em relação à pratica pedagogica. Ao final se propoem superar essa visao classificatoria e punitiva da avaliação, e vista como medida de valor para classificação do conhecimento e exclusao social.

Palavras-chave


Avaliação; Tipos; Formas;

Texto completo:

PDF

Referências


BELLONI, Isaura, MAGALHAƒES, Heitor de, e SOUSA, Luzia Costa de. Metodologia de avaliaA§A£o em polA­ticas pAºblicas: uma experiAancia em educaA§A£o profissional. 2. ed. SA£o Paulo: Cortez, 2001.

BLOOM, Benjamim S. et. al. Manual de avaliaA§A£o formativa e somativa do aprendizado escolar. SA£o Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1983.

CARMO, JosuA© Geraldo Botura do. AvaliaA§A£o ClassificatA³ria X AvaliaA§A£o Progressiva. Maio/2003. DisponA­vel em http://www.educacaoliteratura.com/index%2098.htm. Acesso em 19 de maio de 2014.

CARMINATTI, Simone Soares Haas. e BORGES, Martha Kaschny. Perspectivas da avaliaA§A£o da aprendizagem na contemporaneidade. Est. Aval. Educ. SA£o Paulo, v. 23, n. 52, p. 160-178, maio/ago. 2012. DisponA­vel em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1734/1734.pdf. Acesso em: 29 abr. 2014.

ESTEBAN, Maria Teresa. (org.). AvaliaA§A£o: uma prA¡tica em busca de novos sentidos. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

HOFFMANN, Jussara, Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: MediaA§A£o, 2009.

LIBA‚NEO, JosA© Carlos. DidA¡tica. SA£o Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, Cipriano Carlos. AvaliaA§A£o da aprendizagem escolar: estudos e proposiA§Aµes. 22. ed. SA£o Paulo: Cortez, 2011.

______.O que A© mesmo o ato da avaliar a aprendizagem. PA¡tio. Porto alegre: ARTMED. Ano 3, n. 12 fev./abr. 2000. DisponA­vel em https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2511.pdf. Acesso em 18 de maio de 2014.

MORETTO, Vasco Pedro. Prova: Um momento privilegiado de estudo, nA£o um acerto de contas. 9° ediA§A£o. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.

SOUZA, A‚ngelo Ricardo de. DITTRICH, Douglas Danilo. AvaliaA§A£o na Escola, AvaliaA§A£o da Escola: AnA¡lise de uma experiAancia escolar. Est. Aval. Educ. SA£o Paulo, v. 23, n. 52, p. 26-46, maio/ago. 2012. DisponA­vel em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1727/1727.pdf. Acesso em: 29 abr. 2014.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. AvaliaA§A£o da aprendizagem: PrA¡ticas de mudanA§a – por uma prA¡xis transformadora. 13. ed. SA£o Paulo: Libertad, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v6i16.217



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  3. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  4. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  5. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  6. Qualis/CAPES - Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (Brasilia, DF)

  7. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

  8. Google Scholar

 

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank