Edições anteriores

2017

v. 9, n. 25 (2017): Revista Meta: Avaliação Jan./Abr.

Em abril de 2017, a revista Meta: Avaliação contempla, por meio de sete artigos, diferentes estudos avaliativos que se voltam para objetos situados no campo da educação, dos programas sociais, da saúde e tecnologia. São artigos de autores brasileiros, portugueses, espanhóis, evidenciando o alcance do periódico no meio acadêmico nacional e internacional.

Na área da educação, Figueiredo, Leite e Fernandes focalizam a avaliação externa de escolas em dois países europeus – Portugal e Inglaterra – concluindo que, embora os processos de avaliação sejam claros, abrangentes e formativos em suas concepções, a concretização desses processos ainda está distante do que seria desejável.

No Brasil, com a utilização da Análise Envoltória de Dados, Ferreira, Salgado Junior, Novi, Chiaretti e Miura identificam práticas pedagógicas e de gestão que possam ter uma parcela de contribuição na composição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB, de escolas municipais paulistas. Este é um estudo que pode servir de referência a ações de melhoria do desempenho de outras escolas.

Em Portugal, Calha apresenta interessante estudo sobre o uso de portfólios como instrumento de avaliação da aprendizagem, nos processos de reconhecimento, validação e certificação de competências escolares, com ênfase na narrativa autobiográfica de adultos.

Também focalizando a avaliação de competências de estudantes de Pedagogia, Casillas Martín, Cabezas González e Serrate González trazem a análise de casos provenientes de práticas externas realizadas pelos estudantes da Universidade de Salamanca na Espanha.

Na área social, Dugand e Brandão fazem uso da Teoria da Mudança para proceder à meta-avaliação do Programa de Ações Estruturantes nas Comunidades Remanescentes de Quilombos, um tema tão interessante quanto a metodologia adotada.

Na área da saúde, o Índice de Desempenho do Sistema Único de Saúde é abordado por Macedo e Theóphilo, para analisar os índices de eficácia e eficiência em saúde pública em municípios mineiros.

A tecnologia a serviço da gestão em instituição de saúde é avaliada pelos usuários em estudo de Almeida e Elliot, especificamente focalizando uma ferramenta de Business Inteligence que mostrou trazer ganhos de operacionalidade, retorno financeiro, qualidade dos serviços prestados e vantagens competitivas.


2016

v. 8, n. 24 (2016): Revista Meta: Avaliação Set./Dez.

O número 24 da Revista Meta: Avaliação ressalta, novamente, a característica multidisciplinar da avaliação. Os sete artigos que compõem esta edição tratam de temas que vão da área da educação, variando do ensino fundamental ao ensino superior, passando pela área da gestão e planejamento, indo para o campo de instrumentos de avaliação, na educação e na saúde.

O primeiro artigo, de autoria de Ferreira, analisa o plano decenal de educação para o período 2014-2024, no qual se identifica a valorização das avaliações oficiais “como instrumentos de aferição da qualidade da educação”. Assim, as estratégias do Plano Nacional de Educação que contemplam a avaliação são analisadas, com ênfase em programas e documentos legais que as amparam.

O artigo seguinte, de Lima, Fonseca Júnior e Oliveira, apresenta um estudo voltado para a determinação da eficiência do ensino fundamental e de seus condicionantes, nos municípios de Goiás. Para isso, se vale da técnica de análise envoltória de dados e da análise de regressão beta inflacionada, obtendo interessantes resultados.

Focalizando o ensino superior, o artigo de Raasch e Silveira-Martins, e o de Sales Junior, Brasil, Carneiro e Corassa mostram, respectivamente, a preocupação com a procrastinação e o desempenho acadêmico, e com os fatores associados ao fenômeno da evasão que se observa em ascendência. Enquanto o primeiro pode gerar a reflexão sobre ações acadêmicas para os discentes que atendam às necessidades da sociedade, o segundo artigo revela que há fatores antecedentes associados à evasão que precisam ser considerados. O modelo de integração de estudantes, de Tinto, embasou a discussão desses resultados.

O quinto artigo, de Andriola e Araújo, aborda, com pertinência, importantes indicadores de gestão propostos pelo Tribunal de Contas da União. São indicadores que têm a função de ajudar os gestores na atividade de planejamento estratégico, que por sua vez resultam da atividade de avaliação institucional.

O sexto artigo é uma colaboração de Elisa Lisi, Docente da Universidade Nacional de Educação à Distância, da Espanha. Ao tratar do portfólio como instrumento de avaliação de competências de estudantes Europeus, a autora amplia as possibilidades de utilização dessa ferramenta, introduzida no processo de tomada de decisão e fortalecendo dessa forma a autonomia dos estudantes.

Ainda na temática de instrumentos de avaliação, o sétimo artigo, de Santos e Oliveira, na área da saúde, se dedica a relatar o processo de obtenção de equivalência semântica de uma ferramenta de Análise de Riscos e Vulnerabilidade, usada em uma instituição hospitalar. As etapas da metodologia utilizada são descritas em detalhe, de modo que o leitor possa entendê-la e adotá-la em ocasião similar. 

v. 8, n. 23 (2016): Revista Meta: Avaliação Maio/Ago.

O número 23 da Revista Meta: Avaliação é composto por seis artigos de autores filiados a instituições nacionais e dois de autores atuando em instituições de ensino superior estrangeiras. São artigos relacionados ao desenvolvimento da cultura avaliativa, em diferentes contextos.

O primeiro artigo, de Cruz, Taveira e Souza, focalizou a Avaliação Nacional da Alfabetização, especificamente as contribuições voltadas para a avaliação da aprendizagem no Ciclo de Alfabetização, privilegiando a educação básica em seus primeiros anos escolares.

Os dois artigos seguintes se detiveram no contexto de instituições do ensino superior. Um, de Lima e Melo relata a “avaliação das ações do Programa Nacional de Assistência Estudantil, na percepção de estudantes de baixa condição socioeconômica, matriculados uma universidade pública federal localizada em Belo Horizonte”, enquanto o de Bernardes e Rothen teve por “objetivo identificar quais são os conceitos que fundamentam as pesquisas referentes à Comissão Própria de Avaliação”, em que se destaca “a preocupação com a política pública de avaliação a respeito da forma como o Estado faz apropriação da avaliação regulatória para determinar indicadores de qualidade do ensino a ser ofertado nas instituições de ensino superior”.

 O quarto artigo, de Carvalho, se volta para o processo avaliativo que se desenrola em torno do Projeto Escola, desenvolvido por uma OSCIP denominada Comunidade Educativa Centro de Educação e Documentação para Ação Comunitária. Traz como resultante a construção de uma matriz avaliativa de projeto, passível de utilização por outros interessados.

Com um toque de contemporaneidade, o quinto artigo, de autoria de Marinho, Almeida e Cardoso, trata da “Avaliação da Eficiência Técnica dos Países nos Jogos Olímpicos de Londres/2012”. O estudo precede os recentes Jogos sediados no Rio de Janeiro e oferece uma forma antecipada de ranking dos resultados.

O sexto artigo traz a colaboração de Martínez-Mediano e Díaz, de Espanha, que relatam o julgamento de um Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001, em Centros Educativos da Fundación Escuelas Profesionales de la Sagrada Familia. A metodologia variada traz contribuições interessantes para a área da avaliação.

O sétimo artigo, de Ferreira, tomou a avaliação externa de escolas em Portugal como tema, desvelando determinadas fragilidades e constrangimentos no processo, tendo como principal intenção a superação desses aspectos, com vistas à melhoria dos resultados das escolas.

Finalmente, o oitavo artigo, de Sales e Elliot, apresenta o processo metodológico de elaboração e validação de um instrumento para avaliar empreendimentos de doces gourmet, na perspectiva dos consumidores. Além da validação do instrumento, em diferentes etapas, os resultados trouxeram possibilidades adicionais de melhoria na comercialização dos doces, mantendo o padrão de qualidade.

v. 8 (2016): Edição Especial - Meta-Avaliações: Exercícios de Aplicação

Este Número Especial da Revista Meta: Avaliação aborda o tema meta-avaliação. De início, pode parecer um jogo de palavras, mas é preciso esclarecer o sentido das duas ‘metas’ aqui mencionadas. A Revista tem por finalidade apresentar artigos, estudos e trabalhos no campo da avaliação. Aqui, o termo meta tem origem do Latim e significa alvo, escopo, propósito. Já a meta-avaliação, que designa a avaliação de uma avaliação, buscando-lhe a qualidade, se vale do Grego metá, um prefixo que significa além, transcendência, reflexão crítica sobre. Pode ser ilustrada na composição dos termos metacognição e metalinguagem, ampliando seus significados.

O Mestrado Profissional em Avaliação da Fundação Cesgranrio é responsável pela edição da Revista Meta: Avaliação. Em sua estrutura curricular, possui, dentre as disciplinas eletivas, a Meta-Avaliação. Por intermédio do estudo de metodologias apropriadas a julgar o mérito de avaliações, essa disciplina tem o propósito principal de capacitar os mestrandos na elaboração de estudos meta-avaliativos.

Durante a realização do Mestrado, a elaboração de artigos dos discentes, escritos em coautoria com docentes do Curso, precisa ser publicada. É uma forma de tornar conhecida sua produção acadêmica, divulgando-a a outros cursos de pós-graduação e interessados no campo da avaliação, de forma, também, a poder aperfeiçoar essa atividade por intermédio de críticas e sugestões recebidas. Afinal, esse é um dos papéis da avaliação.

O Número Especial da Revista Meta: Avaliação, agora disponibilizado, apresenta os trabalhos de conclusão da disciplina Meta-Avaliação, escritos no último período letivo de 2015. São nove artigos elaborados pelos mestrandos e docentes responsáveis pela disciplina, que relatam meta-avaliações. Trata-se de uma produção variada pois é fruto da análise de relatórios de avaliação, realizada sobre diferentes programas e projetos. Fazem parte desse conjunto a meta-avaliação dos relatórios de avaliação: do desempenho de alunos dos anos iniciais do ensino fundamental, de auto avaliação de uma instituição de ensino superior e do desempenho de uma universidade, na área da educação; da plataforma do CNPq para deficientes visuais; do Programa Bolsa Família em favelas cariocas, do Programa de Avaliação Econômica de Projetos Sociais, do Programa Segundo Tempo, na área de programas sócio educacionais; do Programa de Desenvolvimento Rural no continente europeu e dos impactos de tecnologias geradas por projeto da Embrapa, no norte do país, estes dois com foco na área da agricultura.

Considerando tanto os objetos diferenciados, como a utilização de metodologias apropriadas à meta-avaliação, os artigos são verdadeiros exercícios de aplicação de procedimentos – podem ensinar o caminho metodológico de um estudo avaliativo. Por intermédio de seus resultados, podem também servir de referência a futuros estudos de objeto semelhante ou mesma metodologia, ou podem ainda indicar o que não se deve fazer em uma avaliação, se as lacunas encontradas nos estudos meta-avaliados forem evitadas ou contornadas.

Além dessas intenções e possibilidades que este Número Especial contém, a Revista Meta: Avaliação abre espaço para a publicação de conjunto de artigos provenientes deste Mestrado ou de outros cursos de pós-graduação que desejem compor um número para sua produção acadêmica de discentes e docentes. As propostas serão bem-vindas!

 

Ligia Gomes Elliot

Editora

 

v. 8, n. 22 (2016): Revista Meta: Avaliação Jan./Abr.

O número 22 da Revista Meta: Avaliação nos traz um pouco do mosaico produzido pela avaliação na área da educação que, por vezes utilizando metodologias de pesquisa, mostra a utilidade de resultados obtidos em estudos sobre temas bastante interessantes.

Preocupados com a temática da eficiência escolar de escolas públicas municipais do ensino fundamental do estado de São Paulo e seus impactos no desempenho dos alunos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), Regalo, Salgado Junior, Novi e Falsarella Junior aplicam metodologia específica destinada a identificar as melhores práticas que contribuíram para se obter um bom desempenho dos alunos.

Rangel, Mocarzel e Pimenta focalizam, em seu artigo, propostas de competências e habilidades que permeiam a avaliação desde o primeiro Exame Nacional do Ensino Médio e como se relacionam nas avaliações e no delineamento do perfil dos candidatos a cursos de ensino superior. O estudo se coloca como um ensaio teórico e representa contribuição para os interessados nas associações entre competências e habilidades e nas reflexões decorrentes.

No âmbito institucional, Paixão e Almeida analisam a percepção sobre o trabalho de docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, em um estudo realizado pela Comissão Própria de Avaliação. O foco do estudo foi o confronto entre dados sobre a utilização ideal e a utilização real de práticas pedagógicas docentes, do ponto de vista avaliativo dos alunos.

Ainda no nível da educação superior, a atenção de Mondini, Borges, Floriani, Domingues e Lavarda se voltou para a intenção de os alunos de cursos de graduação a distância utilizarem o ambiente virtual de aprendizagem instalado em uma instituição da região sul. Tanto a qualidade da informação quanto a da qualidade do sistema tiveram papel decisivo na percepção dos benefícios e da satisfação dos usuários.

Dois outros artigos, de cunho analítico, oferecem, aos leitores, revisão de temas sobre a avaliação educacional e sobre políticas públicas assistenciais em universidades federais. O primeiro deles, de Borges, focaliza a produção sobre avaliação educacional publicada nos dois números da Revista Educação e Avaliação, em 1980 e 1981. Consiste em fonte para estudos sobre o estado da arte da avaliação em educação ao identificar, nos 12 artigos analisados, o entendimento sobre avaliação, as funções da avaliação e as experiências dos autores em avaliação.

O segundo artigo, de Lima e Ferreira, se volta para as políticas públicas de assistência estudantil praticadas em 60 Universidades Federais Brasileiras e faz um mapeamento dessas políticas promovidas pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil. O atingimento do objetivo do Programa concretiza sua avaliação.

Além dos artigos que normalmente compõem a revista, foi acrescentado um artigo já publicado no periódico The Qualitative Report, com autorização do Editor Chefe. Este artigo é uma tradução de Vasconcelos, de um estudo teórico elaborado por Yazan, professor assistente no Departamento de Currículo e Instrução da Universidade de Alabama. Por sua importância ao abordar autores renomados como Yin, Merriam e Stake, na metodologia qualitativa de estudo de caso aplicada à educação e também utilizada em avaliação, o artigo pretende contribuir, de diversas formas, com pesquisadores e avaliadores interessados no tema.

A nova seção Vale a pena conhecer marca sua primeira presença neste número da Meta:Avaliação. Em separata, divulga os textos que foram base para as apresentações de diferentes professores por ocasião do Seminário Os 50 Anos da Pós-Graduação no Brasil. O seminário, comemorativo da aprovação do Parecer no 977/1965 de autoria do insigne educador Newton Buarque Sucupira, deu origem a atual estrutura dos programas de Pós-Graduação no Brasil. As falas são testemunho das grandes contribuições do Professor Sucupira à educação.


2015

v. 7, n. 20 (2015): Revista Meta: Avaliação Maio/Ago.

O número 20 do volume 7 da Revista Meta: Avaliação reúne artigos sobre o Ensino Superior e ainda a área de projetos sociais, trazendo diversas contribuições interessantes.

No artigo de Silva, Dias, Castro e Silva, os conceitos de habitus, capital conforme adotado por Bourdieu e teoria institucional são abordados em estudo junto a discentes de seis instituições de ensino superior do estado da Bahia.

No texto de Miranda, Lemos, Oliveira e Ferreira, o ensino superior na área de negócios é abordado, no intuito de verificar, em estudos selecionados, as variáveis que podem explicar o desempenho acadêmico do corpo discente. Além de explorar diversas medidas estatísticas, o artigo localiza as variáveis pesquisadas em relação aos estudos analisados.

Fora da área da Educação, o estudo de Fontes, Crivelaro, Amaral, Ferreira e Peres focaliza os impactos econômicos e sociais de um programa social patrocinado pelo Serviço Social da Indústria – SESI. Este programa revela as contribuições, em âmbito nacional, para a geração de riquezas econômicas e sociais.

A definição de critérios de correção de provas escritas deu origem a um estudo que contou com a participação de 10 professores, discentes de curso de pós-graduação em Educação, que assumiram o papel de corretores. Este é o tema do estudo de Terribili Filho e Chirinea, que consta como um relato de experiência.

 

v. 7, n. 19 (2015): Revista Meta: Avaliação Jan./Abr.

Os artigos que compõem esse número da Revista Meta: Avaliação focalizam o ensino a distância, a avaliação externa de alunos do Ensino Básico e possíveis efeitos no desenvolvimento profissional de professores de Matemática, e ainda contribuições de práticas escolares para o desempenho dos alunos, em avaliação externa nacional.

O primeiro artigo, de Crispim, Archer, Gomes, Gomig, e Cruz, trata dos aspectos teóricos e metodológicos que envolvem a avaliação de um curso de formação profissional, de abrangência nacional, na modalidade da educação a distância. Para seu desenvolvimento, foi construído um sistema de avaliação com a finalidade aferir o processo de ensino-aprendizagem.

O segundo artigo, de Silva, Bastos, Rodrigues, Silva, e Brito, também no âmbito da educação a distância (?), faz parte de um projeto de avaliação desenvolvido pela extensão da Fundação CECIERJ. Traz os resultados de uma avaliação centrada no usuário sobre o grau de satisfação de professores de Língua Portuguesa e Matemática, regentes do segmento de Jovens e Adultos, com o Curso de Formação Continuada.

O terceiro artigo, também sobre professores, por meio de metodologia quantitativa apresenta os resultados de um estudo empírico sobre os efeitos da realização de provas externas nacionais de matemática do 2º e 3º ciclos do ensino básico, no desenvolvimento profissional docente, em Portugal. É de autoria de Marques, Sousa, Costa, e Pacheco.

O quarto artigo, de Salgado Junior, Novi, Ferreira, Oliveira, e Miranda, faz o uso integrado das abordagens quantitativa e qualitativa para se estudar um dado objeto: a eficiência escolar. Tem por objetivo relatar resultados de pesquisa empírica realizada em escolas públicas municipais brasileiras do ensino fundamental para evidenciar práticas escolares que podem ter contribuído para o desempenho dos alunos na Prova Brasil.

Finalmente, o quinto artigo, de Silva e Leite, teve por finalidade avaliar a interface gráfica do curso a distância denominado Voluntariado, Conceitos e Motivação do AFS Intercultura Brasil, em relação a sua ergonomia e usabilidade. O estudo adotou a abordagem de avaliação por especialistas, em uma avaliação heurística.



2014

v. 6, n. 18 (2014): Revista Meta: Avaliação Set./Dez.

No número 18 da Revista Meta: Avaliação são apresentados quatro artigos que lidam com a avaliação com diferentes focos e diversidade de metodologias.

O primeiro, de autoria de Machado e Almeida, pretendeu caracterizar os efeitos de uma proposta de consultoria colaborativa na perspectiva dos professores do ensino público do interior do Estado de São Paulo, que atuavam com turmas. Os resultados indicam se os alunos-alvo pioraram, mantiveram, melhoraram ou melhoraram muito, a partir da implementação da proposta.

No segundo artigo, Scremin e Dallacort tratam da trajetória da Comissão Própria de Avaliação Institucional em um Centro Universitário, do interior do Estado do Rio Grande do Sul, nos 10 anos do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Os efeitos positivos do trabalho destacam a participação da comunidade acadêmica e a validade das informações.

No terceiro artigo, é a vez de Santos apresentar as contribuições do Ciclo de Políticas, como método de análise de políticas educacionais, no contexto da política de avaliação em larga escala. O estudo se volta para dois municípios com diferente Índice de Desenvolvimento da Educação Básica no Estado de Santa Catarina e identifica dificuldades e implicações ocasionadas pelas avaliações na educação municipal.

O quarto artigo, de Pereira e Elliot, relata a avaliação dos editais de seleção de professores do Colégio Pedro II dos anos de 2007, 2008 e 2009. Como abordagem avaliativa, utilizou a avaliação do produto, proposta por Stufflebeam e componente do modelo conhecido por CIPP.

 

v. 6, n. 17 (2014): Revista Meta: Avaliação Maio/Ago.

A edição número 17, volume 6 de 2014 da Revista Meta: Avaliação traz algumas mudanças no Corpo Editorial. A Dra. Fátima Cunha Ferreira Pinto deixa a Editoria da publicação e assume posição no Comitê Editorial. Pela criação da Meta: Avaliação e manutenção desse periódico por mais de cinco anos, sua inestimável atuação só pode merecer agradecidos cumprimentos. Aprende-se muito com sua experiência e competência. A Editora que assume a revista, Professora Ligia Gomes Elliot, Ph D. em Educação/Avaliação, é Coordenadora do Programa de Pós-Graduação/Mestrado Profissional em Avaliação da Fundação Cesgranrio. Para a posição de Editora Associada, foi convidada a Professora Esther Hermes Lück, Doutora em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, é Professora Adjunta da Universidade Federal Fluminense e Vice Coordenadora do MBA Gestão Empreendedora. O número 17 volume 6 divulga cinco artigos sobre avaliação, com focos variados. O primeiro artigo, A Liderança das Escolas: avaliação externa e percepções dos professores, de José Augusto Lourenço e Maria Beatriz Bettencourt, aborda também a percepção docente, desta vez sobre os líderes de escolas portuguesas. Os resultados vão mostrar se, nas escolas estudadas, a liderança foi capaz de conduzir um processo de auto avaliação e de lançar bases para sua possível melhoria. O segundo artigo, Autoavaliação Institucional em uma Instituição Federal de Ensino Superior: um olhar sob a perspectiva docente, elaborado por Marcia Zampieri Grohmann, Zulmar Belmonte Nascimento e Daiane Lindner Radons, teve como objetivos verificar como os docentes percebem o processo de Autoavaliação Institucional utilizado na Universidade e identificar a influência do perfil do respondente nessa percepção. A metodologia do estudo e suas sugestões poderão ser referência a estudos com o mesmo foco e preocupação. O terceiro artigo, sobre Avaliação e gestão da qualidade no ensino superior em Angola: traços emergentes, de Maria da Conceição Barbosa Mendes, teve por objetivo descrever os sentidos e traços subjacentes à configuração da avaliação enquanto estratégia de gestão da qualidade. As descrições se basearam nas percepções dos atores organizacionais e nas tendências implícitas à legislação existentes, o que confere ao estudo natureza fundamentalmente qualitativa. O quarto artigo, Avaliação da autoeducação: construção e validação de instrumento para o professor Montessoriano, de autoria de Maria de Fátima Morgado Cortez Batista, egressa do Mestrado Profissional em Avaliação e de sua orientadora, relata o desenvolvimento de um instrumento de avaliação capaz de aferir, concretamente, se os comportamentos dos escolares estão consistentes com os princípios filosóficos indicados pelo Sistema Montessori de Educação. O instrumento vem preencher uma lacuna na área da avaliação e da educação. Finalmente, o quinto artigo, Avaliação das Aprendizagens: uma síntese de teses de doutoramento realizadas em Portugal (2001-2010), apresentado por Domingos Fernandes e Andreia Gaspar, identificou problemas e questões, opções metodológicas e conclusões de cada uma das teses para então produzir sua síntese. Os temas mais discutidos no domínio da avaliação das aprendizagens foram avaliação formativa, avaliação somativa, auto e heteroavaliação e feedback. O estudo dá prosseguimento a anteriores, o que vem a somar nesse mapeamento de temas e metodologias no campo da avaliação da aprendizagem.


2012

v. 4, n. 10 (2012): Revista Meta: Avaliação

Editorial ..................................................................................................................................................................................................................................................

 

Começamos o ano com uma novidade que muito nos orgulha: nossa publicação foi indexada pelo Qualis/CAPES e recebeu o conceito B3.  Continuamos a caminhada em busca da publicação de trabalhos relevantes nas áreas de sua atuação - Educação, Saúde e Projetos Sociais, tendo sempre como fio condutor a avaliação. O sucesso da revista, cremos, dá-se pela projeção alcançada em 2012, quando atingimos 59.334 acessos vindos de 85 países e por sua indexação nas bases:

  • Ibict - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia;
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals;
  • Latindex - Sistema regional de información en línea para revistas científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal;
  • OEI - Organización de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI);
  • RCAAP - Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal;
  • Sumários.org - Base indexadora de periódicos científicos brasileiros da Fundação de Pesquisas Científicas de Ribeirão Preto (FUNPEC-RP);
  • LivRe! - Portal do CNEN-Comissão Nacional de Energia Nuclear, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Qualis/CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Brasília, DF)

Neste número, destacamos os seguintes artigos na área de educação: 1- "Formação Continuada de Professores Alfabetizadores: uma avaliação do Programa Pró-Letramento". Escrito por Márcia Aparecida Alferes e Jefferson Mainardes, o artigo apresenta uma análise da concepção e gestão do Programa Pró-letramento, destinado à formação continuada de professores nas áreas de alfabetização/ linguagem e matemática; e 2- "O Portfólio Como Instrumento de Avaliação da Aprendizagem em Escola Montessoriana", trabalho pruduzido por Delcy Lacerda de Oliveira e Ligia Gomes Elliot. As autoras têm por objetivo registrar o processo de construção, em tempo real, do portfólio como avaliação da aprendizagem de alunos de 6 a 9 anos de uma escola montessoriana.

Na área da saúde, os destaques foram para os artigos: 1-"(Re)avaliando o Programa de Pós-graduação em Neurologia da UNIRIO: os estudantes ampliam sua avaliação", no qual Tânia Maria Rodrigues de França faz uma comparação da primeira e segunda avaliação (2008 e 2009, respectivamente) realizadas no programa de neuroligia da UNIRIO a partir da ótica discente;                            2- "Atenção em Saúde Bucal aos Pacientes do Centro de Medicina do Idoso do Hospital Universitário de Brasília: uma visão especial da odontologia no contexto multidisciplinar - avaliação do Projeto de Extensão".  O artigo escrito por Alexandre Franco Miranda,  Yeda Maria Parro, Sueli Ferri Pontual de Lemos, Liana Rodrigues Taminato de Carvalho, Maria Helena Lucas Fernandes e Érica Negrini Lia tem por finalidade apresentar as principais ações e orientações aos cuidadores e familiares de idosos a respeito da saúde bucal; e 3- "Qualidade de Vida: um processo avaliativo pós-cirúrgico" foi o tema escolhido pelas autoras Bernadette Valente Faria e Ligia Leite Silva, que objetiva avaliar os resultados do Programa de Obesidade Mórbida do Hospital da Força Aérea do Galeão.  Para essa avaliação, foram consultados 46 pacientes e analisados aspectos da qualidade de vida dos operadores em relação aos que aguardavam operação.

Resenha

Rosenilda Moura da Silva apresenta uma bem elaborada resenha sobre a abordagem dos grupos focais no enfoque da pesquisa qualitativa. A obra Grupos Focais faz parte da Coleção Pesquisa Qualitativa, coordenada por Uwe Flick e de autoria de Rosaline Barbour, publicada pela Artmed, Porto Alegre 2009.

Tenham todos uma ótima leitura!

Fátima Cunha

Editora

 

 





1 a 27 de 27 itens