(Re)avaliando o Programa de Pós-graduação em Neurologia da UNIRIO: os estudantes ampliam sua avaliação

Tânia Maria Rodrigues de França

Resumo


O estudo visa fazer uma comparação da primeira (2008) e da segunda avaliação (2009) realizada no Programa de Pós-Graduação em Neurologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) a partir da ótica discente. Ressaltamos que a segunda avaliação em questão foi realizada com o objetivo de também compor o Relatório Anual a ser enviado à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Foi desenvolvida uma avaliação quantiqualitativa concebida pelo princípio formativo e centrada nos participantes, como proposto por Scriven e Stake (apud WORTHEN; SANDERS; FITZPATRICK, 2004), respectivamente. Foi possível identificar os pontos fortes e as fragilidades do Programa para melhoria de sua qualidade. Os critérios de avaliação praticados pela Capes, no triênio 2004-2007, para a Grande Área das Ciências da Saúde, no que diz respeito ao Programa, às suas linhas de pesquisa, disciplinas e organização foram a base para dimensionar as 14 categorias avaliadas. Nas duas avaliações a satisfação dos discentes centrou-se na qualidade do corpo docente, nas disciplinas oferecidas e nos serviços prestados pela secretaria. A insatisfação, nas disciplinas e na infraestrutura das salas de aula e de estudo. A ausência das categorias Comunicação e Critérios da avaliação, considerados como ponto forte e fragilidade, na primeira avaliação, respectivamente, podem indicar que estas questões não é mais preocupação dos discentes, apesar de que parte dos participantes da segunda avaliação não foi respondente da primeira, como também o momento foi diferente.

Palavras-chave


Avaliação; Avaliação interna; Autoavaliação; Unirio

Texto completo:

PDF PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v4i10.80



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.