Abordagem do Ciclo de Politicas e Suas Contribuicoes para Analise da Politica de Avaliação em Larga Escala

Almir Paulo dos Santos

Resumo


 

O objetivo deste trabalho e apresentar as contribuicoes do Ciclo de Politicas, como metodo de analise de politicas educacionais, no contexto da politica de avaliação em larga escala, a partir das leis de criação dos sistemas municipais de ensino. Foram focalizados dois municipios com diferente Indice de Desenvolvimento da Educação Basica no Estado de Santa Catarina, identificando as dificuldades e implicacoes que as avaliações promoveram na educação municipal. O Ciclo de Politicas e um metodo para analise de politicas, formulado pelos sociologos Stephen Ball e Richard Bowe, utilizado em diferentes contextos, como referencial teorico-analitico para estudo das politicas educacionais. A partir do Ciclo de Politicas, identíficou-se que as avaliações em larga escala, estao presentes no contexto do curriculo escolar, porem, ainda persistem muitas dificuldades em conduzir o processo avaliativo a partir das práticas escolares. Salienta-se a necessidade da articulação das politicas de educação municipal com suas unidades escolares, para que possam conduzir o processo avaliativo, de maneira eficaz, focalizando a qualidade na educação.


Texto completo:

PDF PDF Espanhol

Referências


BALL, S. Reformar escolas/reformar professores e os terrores da performatividade. Revista Portuguesa de Educacao, v. 15, n. 2, p. 03-23, 2002.

BALL, S.; BOWE, R. Subject departments and the ‘implementation’ of National Curriculum policy: anoverview of the issues. Journal of Curriculum Studies, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BARRETO, R. G. As politicas de formacao de professores: novas tecnologias e educacao à distância. In: BARRETO, R. G. Tecnologias educacionais e educacao à distância: avaliando politicas e praticas. Rio de Janeiro: Quartet, 2008. p. 331-334.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educacao nacional. Diario Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasilia, DF, 23 dez. 1996. Disponivel em: . Acesso em: 10 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educacao – PNE e da outras providencias. [Diario Oficial da Uniao], Brasilia, DF, 26 jun. 2014. Edicao Extra. Disponivel em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

COUTINHO, Carlos Nelson. Marxismo e politica: a dualidade de poderes e outros ensaios. Cortez: Sao Paulo, 1996.

CURY, C. R. J. Gestao democratica da educacao pública. Gestao democratica da educacao, Brasilia, DF, Boletim 19, p. 14-19, out. 2007.

FISCHER, Beatriz T. Daudt. Avaliacao da aprendizagem: a obsessao pelo resultado pode obscurecer a importância do processo. In: WERLE, Flavia Obino Correa (Org.). Avaliacao em larga escala: foco na Escola. Brasilia, DF: Liber Livro, 2010.

LOPES, A. C. Os parâmetros curriculares nacionais para o ensino medio e a submissao ao mundo produtivo: o caso do conceito de contextualizacao. Educacao e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 386-400, set. 2002.

MAINARDES, J.; MARCONDES, M. I. Entrevista com Stephen J. Ball: um dialogo sobre justica social, pesquisa e politica educacional. Educacao & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 303-318, jan./abr. 2009. Disponivel em: . Acesso em: 10 jun. 2014.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de politicas: uma contribuicao para a analise de politicas educacionais. Educacao e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006.

Almir Paulo dos Santos

Meta: Avaliacao | Rio de Janeiro, v. 6, n. 18, p. 263-280, set./dez. 2014

SARMENTO, M. J. Geracoes e Alteridade: interrogacoes a partir da sociologia da infância. Educacao e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 361-378, maio/ago. 2005.

SHIROMA, E. O.; CAMPOS, R. F.; GARCIA, R. Decifrar textos para compreender apolitica: subsidios teorico-metodologicos para analise de documentos. Perspectiva, Florianopolis, v. 23, n. 2, p. 427-446, jul. /dez. 2005.

WERLE, F. O. C. Sistemas Municipais de Ensino como contexto da gestao democratica e dos Conselhos Escolares. In: SIMPOSIO BRASILEIRO, 23., 2007, Porto Alegre; CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO, 5., Porto Alegre, COLOQUIO IBEROAMERICANO DE POLITICA E ADMINISTRACAO DE EDUCACAO, 1., 2007, Porto Alegre. De politica e administracao da educacao: trabalhos apresentados... Porto Alegre: ANPAE, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v6i18.391



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. Edubase 

  3. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  4. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  5. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  6. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  7. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

  8. Google Scholar
  9. REDIBRed Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

 
 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.