Habitus, Capitais e Praticas de Estudantes de Ensino Superior: uma relação inquietante e esquecida pelas instituicoes de ensino

Lindomar Pinto Silva, Luciana Costa Freitas Dias, Miguel Angel Rivera Castro, Janayna Souza Silva

Resumo


Este artigo avalia, na percepcao dos alunos de Instituicoes de Ensino Superior(IESs) do curso de Administração de uma regiao no estado da Bahia, os fatores que explicam suas escolhas e práticas ao longo de sua jornada academica. Para a compreensao deste fenômeno, foram utilizados os conceitos de habitus e capital (BOURDIEU 1983) e teoria institucional (MEYER e ROWAN, 1991). A partir de questionarios aplicados em 6 IESs, no periodo entre fevereiro e junho de 2014, foram obtidas 527 respostas de alunos do primeiro ao oitavo semestre. Os dados foram analisados a partir de analise fatorial e regressao múltipla. Os resultados indicam que fatores como docentes, familia, capital social e as práticas da IES sao correlacionadas com as escolhas e práticas dos alunos durante o curso, especialmente o seu grau de envolvimento com os estudos, o que pode afetar suas chances de insercao profissional no futuro.

Texto completo:

PDF PDF Espanhol

Referências


BONNEWITZ, P. Pierre Bourdieu: vie, oeuvre, concepts. Paris : Ellipses, 2002.

BOURDIEU, P. EsboA§o de uma teoria da PrA¡tica. In: ORTIZ, Renato. Pierre Bourdieu: sociologia. Slio Paulo : Atica, 1983,p.46-81

BOURDIEU, P. MeditaA§Aµes Pascalinas. Rio de Janeiro : Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, P. O poder SimbA³lico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1989

BOURDIEU, P. QuestAµes de Sociologia. Lisboa: Fim de sA©culo, 2003

BOURDIEU, P. RazAµes prA¡ticas: sobre a teoria da aA§A£o. Campinas: Papirus, 1996

BOURDIEU, P. Escritos de EducaA§A£o. PetrA³polis, Vozes, 2007

BOURDIEU, P; WACQUANT, L J.D. An invitation to reflexive sociology. Chicago : The University of Chicago Press, 1992

BOURDIEU, P; PASSERON, J.C.. Os herdeiros: os estudantes e a cultura. FlorianA³polis : Editora da Universidade Federal de SA£o Carlos, 2014.

CAMPOS, E. Quer ser presidente? Revista A‰poca NegA³cios, EdiA§A£o 81, nov.2013, p.118-140, 2013

DATAFOLHA. O ranking geral de universidades. DisponA­vel em: Acesso em: 27 abr. 2013

DIMAGGIO, P. J. & POWELL, W. W. 2006. Jaula de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. In: CALDAS, Miguel; BERTERO, Carlos Osmar(Coords). Teoria das OrganizaA§Aµes. SA©rie RAE-ClA¡ssicos. SA£o Paulo : Atlas, 2007. pp. 235-255

GONA‡ALVES, N. G.; GONA‡ALVES, S. A. Pierre Bourdieu: Para alA©m da reproduA§A£o. PetrA³polis : Editora Vozes, 2010

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. AnA¡lise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HALL, P. A. & TAYLOR, R. C.. As trAas versAµes do neo-institucionalismo. Lua Nova. No. 58: 193-223, 2003

HAWLEY. A. H. Human Ecology: a theoretical essay. Chicago: The University of Chicago Press, 1986

MEYER, J. W. & ROWAN, B. Institutionalized Organizations: formal structure as myth and ceremony. In: Powell, W. W. & Dimaggio, P. J. The new institutionlism in organizational analysis. Chicago: The University of Chicago, 1991.

MEYER, J. W. The effects of education as an institution. The American Journal of Sociology, V.83, no.1, Jul: 55-77, 1977.

SCOTT, W. R.. Instituitions and organizations (2nd ed). California; Foundations for organizational science, 2001

SILVA, L. P.; PINHEIRO, T. A.; DIAS, L. C.; SILVA, J. S.. O Papel das InstituiA§Aµes de Ensino Superior na TransformaA§A£o das Classes Sociais de Estudantes de Cursos de AdministraA§A£o em RegiAµes Distantes dos Centros do Brasil: Uma AnA¡lise A Luz dos Conceitos de Bourdieu e da Teoria Institucional. ENEO 2014. Anpad, Gramado-RS. Rio De Janeiro, 2014.

SILVA, L. P.; DIAS, L. C.; SILVA, J. S.; PINHEIRO, T. A. Habitus, Escolhas e PrA¡ticas de Estudantes de InstituiA§Aµes de Ensino Superior em uma regiA£o da Bahia: Igualando Oportunidades? SEMEAD 2014. USP –SA£o Paulo, 2014b

THIRY-CHERQUES, H. R.. Pierre Bourdieu: Teoria e P´ratica. Revista de AdministraA§A£o PAºblica 40 (1):27-55, jan./Fev.. 2006

WACQUANT, L.. Esclarecer o habitus. EducaA§A£o & Linguagem. Ano 10, n.16, jul./dez, 2007, p.63-71

WEICK, K. E. Educational Organizations as loosely coupled systems. Administrative Science Quartely. V.21, mar.1976, pp. 1-19




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v7i20.253



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.