Avaliação Institucional: análise da participação e percepção dos discentes de uma IES

Rafael Rudolfo Kreutz, Kelmara Mendes Vieira, Flavio Naccheri Vilar Costa

Resumo


O artigo buscou identificar o panorama da participação dos discentes do curso de engenharia de produção (E.P.) na avaliação institucional. Como estrategia de pesquisa escolheu-se como metodo o estudo de caso e abordagem quantitativa. A coleta de dados foi realizada em tres etapas. A primeira foi feita atraves de uma pesquisa bibliografica. Na segunda, realizou-se a coleta dos dados secundarios atraves do banco de informações disponibilizadas pelo CPD da Universidade. Em seguida, foram construidos os graficos comparando as participacoes dos discentes. Para analise dos dados utilizou-se a estatistica descritiva e analise multivariada. Os resultados evidenciam que, no geral, houve uma baixa participação dos discentes na avaliação. A E.P. obteve os menores indices de participação em relação às demais engenharias, alem de ter apenas 12,5% de participação media. Os estudantes de E.P. conhecem o Projeto Pedagogico do curso, mas classificam como ruim ou regular diversos quesitos da avaliação.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, D.; SWEENEY, D.; WILLIAMS, T. Estatistica Aplicada Administracao e economia. 2nd ed. Sao Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003

ANDRIOLA, W. B.; SOUZA, L. A. Representacoes sociais dos gestores e dos tecnicos das unidades academicas da Universidade Federal do Ceara (UFC) acerca da autoavaliacao institucional. Revista Avaliacao, Campinas, v. 15, n. 2, p. 45-72, 2010.

BASTOS, I. D.; SILVA, R. Autoavaliacao institucional como ferramenta de gestao estrategica universitaria: estudo de uma instituicao de ensino superior pblica municipal do sul do Brasil. Anais Avalies 2017, 3 Simposio Avaliacao da Educacao, Florianopolis, SC, Brasil, 2017.

DA SILVA, C. M. Avaliacao do Ensino Superior: entre a teoria e a pratica. FaSCi-Tech, v. 1, n. 4, 2011.

DEMO, P. Avaliacao qualitativa. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

FABRIZIO, S. B. et al. Avaliacao da Educacao Superior: Uma Analise do Processo de Avaliacao de uma Unidade Descentralizada da UFSM, Anais, Simposio de Avaliacao da Educacao Superior, Porto Alegre, RS, Brasil, 2015.

FELIX, G. T.; FURTADO, D. B. V. Autoavaliacao institucional e (in) cultura de participacao na universidade. Holos, v. 1, p. 69-80, 2016.

FERREIRA, P. V. Avaliacao Institucional Como Instrumento de Gestao e Planejamento Estrategico. Revista Formadores: Vivencias e Estudos, Cachoeira-BA, v. 7 n. 3, p. 45-62, Nov. 2014.

FREUND, J. E. Estatistica aplicada: economia, administracao e contabilidade. 11. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. 536 p.

GALDINO, M. N. D. A Autoavaliacao Institucional no Ensino Superior como Instrumento de Gestao. Fundacao CESGRANRIO/ Universidade do Grande Rio. 2011. Anais, XXV Simposio Brasileiro II Congresso IBERO-AMERICANO de Politicas e Administracao da Educacao. Jubileu de Ouro da ANPAE, no periodo de 26 a 29 de abril de 2011.

HAIR, J. F. et al. Analise multivariada de dados. Bookman Editora, 2009.

JACOB, R. C. G. Avaliacao institucional e indicadores de qualidade nos cursos superiores. Dissertacao (Mestrado em engenharia de producao) UFSC. Florianopolis, p.229. 2003.

LEITE, D. et al. Estudantes e avaliacao da universidade: um estudo conjunto Brasil Portugal. Cadernos de Pesquisa, Sao Paulo, v. 37, n. 132, p. 661-686, set./dez. 2007.

LEITE, D. Reformas universitarias: avaliacao institucional participativa. Editora Vozes, 2005.

FIELD, A. Discovering Statistics Using SPSS. 3rd Edition, Sage Publications, London, 2009.

LINS, J. M. O et al. Avaliacao institucional: estudo de caso em uma IES particular no Brasil. Espacios (Caracas), v. 38, p. 20, 2017.

MABA; E. G.; MARINHO, S. V. A Autoavaliacao Institucional no Processo de Tomada de Decisao em IES: Estudo de Caso das Faculdades SENAC/SC. Revista Avaliacao, Campinas; Sorocaba, SP, v. 17, n. 2, p. 455-480, jul. 2012.

MARBACK NETO, G. Avaliacao: Instrumento de gestao universitaria. Vila Velha, ES: Hoper, 2007.

MARINS, C. M. O.; FERREIRA, M.; FILHO, O. O. Meta-avaliacao do Relatorio de Autoavaliacao Institucional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Revista Meta: Avaliacao, v. 8, p. 37-56, 2016.

MAZZURANA, J. E. J.; JUNG, C. F. Um modelo aplicado melhoria dos processos de planejamento estrategico e autoavaliacao em Instituicoes de Ensino Superior Privadas. COLOQUIO Revista do Desenvolvimento Regional - Faccat - Taquara/RS - v. 11, n. 1, jan./jun. 2014.

NUNES, E. B. L. L. P.; DUARTE, M. M. S. L. T.; PEREIRA, I. C. A. Planejamento e avaliacao institucional: um indicador do instrumento de avaliacao do SINAES. Avaliacao: Revista da Avaliacao da Educacao Superior, v. 22, n. 2, 2017.

OLIVEIRA, S. B.; CASTRO, B. S.; SENA, F. C. Autoavaliacao: a percepcao dos discentes sobre o curso de bacharelado em Administracao Pblica da UFRRJ. Revista Meta: Avaliacao, v. 7, n. 21, p. 332-363, 2016.

PAIVA, L. D. C.; SOUZA, N. M. P. Perspectivas da autoavaliacao institucional na universidade. Revista Eletrnica Novo Enfoque, v. 13, n. 13, p. 132 141, 2011.

PALITOT, M. D.; SANTOS, C. P.; BRITO, L. V. Avaliacao do ensino superior: a construcao da cultura avaliativa na universidade federal da paraiba. Mpgoa, 4(2), 2-10, 2015.

PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J.N. Analise de dados para ciencias sociais: a complementaridade do SPSS. Lisboa: Silabo, 2003.

PINTO, R. S. et al. Meta-avaliacao: uma decada do Processo de Avaliacao Institucional do SINAES. Tese (Doutorado em administracao) UFSC. Florianopolis, p.269.2015.

POLIDORI, M. M.; FONSECA, D. G.; LARROSA, S. F. T. Avaliacao institucional participativa. Revista Avaliacao, Campinas, v. 12, n. 2, p. 333-348, 2007.

ROSSES, G. F. et al. O PROCESSO DE AUTOAVALIACAO INSTITUCIONAL: O CASO DO COLEGIO POLITECNICO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. 2017.

UFSM. Universidade Federal de Santa Maria. Relatorio de Avaliacao Interna: Auto-avaliacao da UFSM. Santa Maria, 2016. 122 p. Disponivel em: < http://coral.ufsm.br/avaliacaoufsm/images/documentos/relatorios/2016-2017.pdf> Acessado em: abril de 2018.

UFSM. Centro de Processamento de Dados (CPD). Relatorio de Dados do SIE. Santa Maria, RS, Brasil, 2017.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Metodos. Bookman editora, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v11i32.1894



Direitos autorais 2019 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. EBSCO - Information Services

  3. Edubase

  4. Google Scholar

  5. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  6. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  7. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  8. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  9. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  10. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 
 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.