Repercussoes das Politicas Educacionais no Âmbito Escolar

Ana Maria Falsarella

Resumo


Estudo de carater teorico-reflexivo. Objetivo: abordar, de uma perspectiva critica, as politicas públicas para a educação desencadeadas a partir da Constituicao Federal (CF/88), do Estatuto da Crianca e do Adolescente (ECA/Lei n.8069/90) e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB/Lei n.9394/96). Foco: repercussao dessas politicas nas decisoes tomadas pelas equipes escolares, em especial no que tange à proposta pedagogica. Temas correlatos fundamentais ao entendimento do assunto tambem sao abordados: avaliação de politicas públicas, indicadores educacionais, avaliações de larga escala, Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) e gestao escolar. A titulo de conclusao, identifica-se a elaboração, a execução e a avaliação da proposta pedagogica como forma de a escola fazer politica pública no contexto local (e nao apenas executa-la) e como instrumento de trabalho e de formação continuada em servico, relevando-se a atuação da equipe gestora na lideranca do grupo-escola.

Palavras-chave


Politicas públicas educacionais; Avaliação de politicas educacionais; Proposta pedagogica da escola; Indicadores educacionais; Gestao escolar

Texto completo:

PDF PDF (Español (España))

Referências


ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de. Tecnologias e gestA£o do conhecimento na escola. In: VIEIRA, Alexandre T., ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de e ALONSO, Myrtes. GestA£o educacional e tecnologia. SA£o Paulo: Avercamp, 2003, p. 113-130.

APROVA Brasil – o direito de aprender: boas prA¡ticas em escolas pAºblicas avaliadas pela Prova Brasil. BrasA­lia: MEC, Inep, UNICEF, 2007.

BLASIS, E., FALSARELLA, A. M., ALAVARSE, O. M. AvaliaA§Aµes Externas: perspectivas para a aA§A£o pedagA³gica e a gestA£o do ensino. SA£o Paulo: Cenpec/FundaA§A£o ItaAº Social, 2013.

BRANT DE CARVALHO, Maria do Carmo. AvaliaA§A£o de projetos sociais. In: BRANT DE CARVALHO, Maria do Carmo (coord.). AvaliaA§A£o: construindo parA¢metros das aA§Aµes socioeducativas. SA£o Paulo: Cenpec, 2005, p. 47-75.

BRASIL. ConstituiA§A£o da RepAºblica Federativa do Brasil (CF/1988).

BRASIL. Estatuto da CrianA§a e do Adolescente (ECA/Lei n.8069/1990).

BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Bases da EducaA§A£o Nacional (LDB/ Lei n.9394/1996).

BRASIL. MEC-SEB. Pradime, Caderno de Textos, 2006, v.3, p. 22

CUNHA, Carla G. S. AvaliaA§A£o de PolA­ticas PAºblicas e Programas Governamentais: tendAancias recentes e experiAancias no Brasil. (trabalho elaborado durante o curso “The Theory and Operation of a Modern National Economyâ€). USA, George Washington University, Programa Minerva, 2006.

DIALOGOS sobre a GestA£o Municipal. FALSARELLA, Ana Maria e FONSECA, Vanda N. (coord.) e BRANT DE CARVALHO, Maria do Carmo (supervisA£o), cad.1. SA£o Paulo: Cenpec, 2009.

FALSARELLA, Ana Maria. Autonomia escolar e elaboraA§A£o do projeto pedagA³gico: o trabalho cotidiano da escola face A nova polA­tica educacional. Tese de doutoramento apresentada A PUC-SP – Programa de Estudos PA³s-Graduados em EducaA§A£o: HistA³ria, PolA­tica, Sociedade, 2005.

__________. AvaliaA§A£o das polA­ticas pAºblicas educacionais no A¢mbito escolar (trabalho apresentado no 25º SimpA³sio Brasileiro e 2º Congresso Ibero-Americano de PolA­tica e AdministraA§A£o da EducaA§A£o da AssociaA§A£o Nacional de PolA­tica e AdministraA§A£o da EducaA§A£o-Anpae). SA£o Paulo: PontifA­cia Universidade CatA³lica, 26-30 abr.2011.

HA–FLING, Eloisa de M. Estado e polA­ticas (pAºblicas) sociais. Campinas-SP: Cadernos Cedes, n. 55, nov.2001.

LA‰VY, Pierre. As tecnologias da inteligAancia: o futuro do pensamento na era da informA¡tica. Rio de Janeiro: Edit. 34, 2001.

LIBA‚NEO, JosA© Carlos. A polA­tica educacional e o funcionamento interno das escolas. PresenA§a PedagA³gica, v.14, n.80, mar.abr.2008, p.76-78.

MAAR, Wolfang Leo. O que A© polA­tica. SA£o Paulo: Brasiliense, 1994.

MACEDO E CASTRO, JoA£o Paulo. UNESCO – educando os jovens cidadA£os e capturando redes de interesses: uma pedagogia da democracia no Brasil. Tese de doutoramento apresentada A UFRJ – Programa de PA³s-GraduaA§A£o em Antropologia Social, 2006.

MASETTO, Marcos T. Cultura educacional e gestA£o em mudanA§a. In: VIEIRA, Alexandre T., ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de e ALONSO, Myrtes. GestA£o educacional e tecnologia. SA£o Paulo: Avercamp, 2003, p. 69-83.

NOVO DicionA¡rio AurA©lio da LA­ngua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

PACHECO, JosA© A. O municA­pio e as polA­ticas educativas pAºblicas. PA¡tio, n. 25, fev.abr.2003, p. 16-18.

PRIETO, RosA¢ngela G. PolA­ticas pAºblicas de inclusA£o: compromissos do poder pAºblico, da escola e dos professores, 2002. DisponA­vel em http://www.educacaoonline.pro.br. Acesso em 20.jul.2010.

RIBEIRO, JoA£o Ubaldo. PolA­tica – quem manda, por que manda, como manda. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

ROCKWELL, Elsie e MERCADO, Ruth. La escuela, lugar del trabajo docente – descripciones y debates. MA©xico: Centro de InvestigaciA³n y de Estudios Avanzados del Instituto PolitA©cnico Nacional, 1986.

SCHWARTZMAN, Simon. As causas da pobreza – ConclusA£o: polA­ticas sociais e pobreza. Rio de Janeiro: FundaA§A£o GetAºlio Vargas, 2004. DisponA­vel em http://www.schwartzman.org.br/simon/causaspfiles/causasp8.htm. Acesso em 03.abr.2012.

SCRIVEN, Michael. Evaluation Theasaurus. Newbury Park, CalifA³rnia-USA: Sage, 1991.

SILVA, Pedro Luiz B., MELO, Marcus AndrA© B. O processo de implementaA§A£o de polA­ticas pAºblicas no Brasil: caracterA­sticas determinantes da avaliaA§A£o de programas e projetos. Campinas-SP: Caderno n. 48, Nepp-Unicamp, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v5i15.180



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  3. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  4. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  5. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  6. Qualis/CAPES - Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (Brasilia, DF)

  7. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

  8. Google Scholar

 

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank