Sistema de Ensino Integral: um estudo avaliativo

Elaine Domingues da Silva Freitas, Ligia Gomes Elliot

Resumo


Esse estudo focaliza a avaliação da qualidade da Proposta de Ensino Integral do Colegio Instituto Padre Leonardo Carrescia, colegio catolico da rede particular do Rio de Janeiro. O Ensino Integral vem sendo acolhido pela educação para atender às novas necessidades da sociedade e tentar formar alunos pensantes dentro de uma vivencia socializada e predominante em seus valores. Ao avaliar o processo de ensino e de aprendizagem, sua metodologia, projetos, estrutura e desenvolvimento no seu âmbito geral, o estudo destaca a contribuicao da Proposta inovadora para o campo da Educação. O estudo incluiu o acompanhamento do processo de desenvolvimento da Proposta, relato de opinioes, sugestoes e respostas de questionarios direcionados de acordo com as observacoes sobre os stakeholders (envolvidos no contexto). Com o intuito de assegurar a fidedignidade da avaliação, desde a sua concepcao ate seus resultados, foram ponderados os valores, as preocupacoes e as percepcoes dos interessados na Proposta de Ensino em questao. Concluiu-se que a Proposta de Ensino Integral apresenta uma forte tendencia de qualidade e nao somente de maior quantidade de horas do aluno dentro da escola.

Palavras-chave


Ensino Integral; Avaliação; Sistema de Ensino

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educaA§A£o nacional. DiA¡rio Oficial da [RepAºblica Federativa do Brasil], BrasA­lia, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Senado Federal. Lei nº 234 de 02 de agosto de 2006. Altera os arts. 24 e 34 da Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educaA§A£o nacional, para instituir a jornada de tempo integral no ensino fundamental, no prazo de 5 (cinco) anos. [DiA¡rio do Senado Federal], BrasA­lia, DF, 05 dez. 2006. p. 36836-36838. DisponA­vel em: . Acesso em: 30 out. 2009.

CAVALIERE, A. M. V. Escolas de tempo integral: uma ideia forte, uma experiAancia frA¡gil. In: COELHO, L. M.; CAVALIERE, A. M. V. (Org.). EducaA§A£o brasileira e(m) tempo integral. PetrA³polis: Vozes, 2002.

CUNHA, R. R. da. Tempo integral melhora ensino. O Popular. GoiA¢nia, jul. 2008. DisponA­vel em: . Acesso em: 29/10/2009.

CURY, C. R. J. LegislaA§A£o educacional brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

FERRARI, M. Henri Wallon: o educador integral. Nova Escola, SA£o Paulo, out. 2008. DisponA­vel em: . Acesso em: 15 out. 2009.

FONG, D. Escolas de turno integral ganham espaA§o na Alemanha. Deustch Welle: Bonn, mar. 2007. DisponA­vel em: . Acesso em: 15/9/2009.

FREITAS, E. D. da S. Sistema de ensino integral: qualidade ou quantidade? 2009. 60 f. DissertaA§A£o (Mestrado Profissional em AvaliaA§A£o)–Programa de PA³s-GraduaA§A£o em AvaliaA§A£o, FundaA§A£o Cesgranrio, Rio de Janeiro, 2009.

GUARA, I. M. F. R. EducaA§A£o integral: articulaA§A£o de projetos e espaA§os de aprendizagens: artigos CENPEC. [200?]. DisponA­vel em: . Acesso em: 20/05/2008.

MAXI lanA§a ensino integral. Revista Maxi In, SA£o Paulo, n. 35, out. 2004. DisponA­vel em: . Acesso em: 27 nov. 2009. (Entrevista com VirgA­lio Tomasetti Junior).

REIS, V. Proposta de ensino integral do Instituto Padre Leonardo Carrescia: um pouco da histA³ria. Rio de Janeiro, 2009. (Depoimento).

SAVIANI, N. Saber escolar: currA­culo e didA¡tica. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

SCRIVEN, M. The methodology of evaluation. In: STAKE, R. E. (Ed.). Curriculum evaluation. Chicago: Rand McNally, 1967. (AERA Monograph Series on Curriculum Evaluation; v. 1).

______. The logic of evaluation. [S. l.]: Edgepress, 1981.

VIANNA, H. M. AvaliaA§A£o educacional: teoria, planejamento e modelos. SA£o Paulo: Ibrasa, 2000.

WORTHEN, B. R.; SANDERS, J. R.; FITZPATRICK, J. L. AvaliaA§A£o de programas: concepA§Aµes e prA¡ticas. SA£o Paulo: Ed. Gente, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v5i14.172



Direitos autorais 2015 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  3. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  4. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  5. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  6. Qualis/CAPES - Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (Brasilia, DF)

  7. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

  8. Google Scholar

 

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank