Concepcoes de Professores de Biologia sobre Avaliação: um estudo de Caso

Carlos Bruno Cabral de Oliveira, Mariana Guelero do Valle, Brenna Yonarah Santiago Avelar

Resumo


Este trabalho objetivou analisar as concepcoes de professores de Biologia sobre avaliação, tendo como foco os entendimentos sobre a tematica presentes em seus discursos, bem como identificar as estrategias e instrumentos utilizados. Esta pesquisa se caracteriza como um estudo de caso e foi realizada com os professores de Biologia de uma escola pública, em que os dados foram coletados por meio de observacoes de aulas e entrevistas semiestruturadas com os docentes. Realizou-se analise de conteúdo dos dados obtidos das entrevistas. Foram identificados elementos de concepcao formativa, ainda que elementos somativos tenham prevalecido em alguns entendimentos. Desse modo, trabalhar as concepcoes de avaliação dos professores e imprescindivel para o alcance de práticas avaliativas que favorecam as individualidades dos alunos.


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Anlise de contedo. Trad. Augusto Lus Antero Reto. So Paulo: Edies 70, 2011.

BRASIL. Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Mdia e Tecnolgica. Parmetros Curriculares Nacionais: ensino mdio. Braslia: Ministrio da Educao, 1999.

BIZZO, N. Metodologia do ensino de Biologia e estgio supervisionado. So Paulo: tica, 2012.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Qualitative research for education: an introduction to theories and methods. 5th ed. Boston: Pearson, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessrios prtica educativa. So Paulo: Paz e Terra, 2011.

HADJI, C. Avaliao desmistificada. Trad. Patrcia C. Ramos. Porto Alegre: Artmed, 2001.

HOFFMANN, J. M. L. Avaliao mediadora: uma prtica em construo da pr-escola Universidade. Porto Alegre: Mediao, 2003.

INEP. Indicadores de Fluxo Escolar da Educao Bsica. Braslia: INEP/ Ministrio da Educao, 2017. Disponvel em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/apresentacao/2017/apresentacao_indicadores_de_fluxo_escolar_da_educacao_basica.pdf. Acesso em: 18/09/2017.

KRASILCHIK, M. Prtica de Ensino de Biologia. So Paulo: Editora da Universidade de So Paulo, 2004.

LUCKESI, C.C. Avaliao da aprendizagem escolar: estudos e proposies. 18. ed. So Paulo: Cortez, 2008.

LDKE, M.; ANDR, M. E. D. Pesquisa em Educao: abordagens qualitativas. So Paulo: EPU, 1986.

MARANDINO, M; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Ensino de Biologia: histrias e prticas em diferentes espaos educativos. So Paulo: Cortez, 2009.

ONU. Declarao de Salamanca: Sobre Princpios, Polticas e Praticas na rea das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca: S.l., 1994. Disponvel em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 16/09/2017.

PERRENOUD, P. Da excelncia regulao das aprendizagens: entre duas lgicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SCRIVEN, M. S. The methodology of evaluation. In: TYLER, R.; GAGNE, R.; SCRIVEN, M., Perspectives of curriculum evaluation. AERA Monograph Series on Curriculum Evaluation. p. 3983. Chicago: Rand McNally, 1967.

TARDIF, M. Saberes docentes e formacao profissional. Petropolis: Vozes, 2006.

ZABALA, A. A pratica educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v10i28.1555



Direitos autorais 2018 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. DOAJ- Directory of Open Access Journals

  2. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  3. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  4. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  5. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  6. Qualis/CAPES - Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (Brasilia, DF)

  7. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

  8. Google Scholar

 

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank