A Narrativa Autobiográfica nos Processos de Avaliação e Certificação de Competências Escolares

António Calha

Resumo


Em Portugal os processos de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC) adotaram o Portfólio Reflexivo de Aprendizagem (PRA) como instrumento de identificação de competências adquiridas nos diferentes contextos de vida. É através da construção do PRA que cada adulto evidencia as aprendizagens que realizou ao longo da vida e as competências que delas decorreram. Dada a natureza dos processos RVCC a construção do PRA assenta em metodologias de balanço de competências e na abordagem autobiográfica. É através dos materiais que o adulto produz e que colige, de forma contextualizada e crítica, que se validam e certificam as competências. Propomos neste artigo analisar as especificidades inerentes à produção da narrativa autobiográfica nos processos RVCC. Importa-nos, sobretudo, perceber a forma como a narrativa autobiográfica contida nos Portefólios é determinada pela subjetividade do narrador e pelo trabalho desenvolvido com os técnicos que acompanham os candidatos à certificação escolar. Para fazer face a estes objetivos serão apresentados os resultados da análise de quatro entrevistas (semi-estruradas na sua preparação e semi-diretivas na sua aplicação) realizadas a Profissionais de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências bem como de um corpus analítico constituído por cem autobiografias realizadas no âmbito do processo RVCC.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v9i25.1215



Direitos autorais 2017 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.