Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA): Contribuicoes deste Instrumento na Percepcao de Gestores e Professores

Magna do Carmo Silva Cruz, Andreza de Santana Taveira, Sara Leite de Souza

Resumo


A pesquisa buscou investigar a concepcao dos professores e gestores sobre o instrumento Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) e suas possiveis contribuicoes na organização da aprendizagem no Ciclo de Alfabetização. Os procedimentos adotados foram (i) a entrevista semiestruturada com 08 professoras do 3º ano do ciclo de alfabetização e as gestoras de suas escolas e (ii) a analise documental dos documentos oficiais da ANA. A analise revelou que os documentos norteadores da ANA adotam a perspectiva de avaliação formativa. Professores e gestores indicam perceber a prova enquanto instrumento diagnostico da situação escolar que contribui para a democratização do ensino. Porem, ficou evidenciado nao haver preparação para aplicação dessa avaliação. Apenas um pequeno percentual das gestoras diz ter feito este movimento na escola. Averiguou-se, ainda, que as professoras nao dominam os objetivos do instrumento avaliativo, apesar de ressaltarem a contribuicao do instrumento para a sua pratica.


Texto completo:

PDF PDF (Español (España))

Referências


ALAVARSE, Ocimar Munhoz. Avaliar as avaliacoes em larga escala: desafios politicos. 2014. Disponivel em: . Acesso em: 22 ago. 2015.

ARROYO, M. G. Fracasso-sucesso: o peso da cultura escolar e do ordenamento da educacao basica. In: ABRAMOWICZ, A.; MOLL, J. (Orgs.). Para alem do fracasso escolar. Campinas, SP: Papirus, 1997, p. 11 – 26.

BARDIN, Laurence. Analise de Conteúdo. Lisboa: ed. 70, 1977.

BRASIL. INEP. Avaliacao Nacional da Alfabetizacao (ANA) Documento basico. – Brasilia: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Anisio Teixeira, 2013.

______. Ministerio de Educacao e do Desporto. CNE - Conselho Nacional de Educacao. Portaria normativa nº 10, de 26 de abril de 2007. Diario Oficial da Uniao, Poder Executivo, Brasilia, DF, n. 80, 26 abr. 2007. Secao 1, p. 4. Disponivel em:. Acesso em: 15 jun. 2015.

______. Parecer CNE/CEB nº 4/2008, de 20 de maio de 2008b. Orientacao sobre os tres anos iniciais do Ensino Fundamental e nove anos. Disponivel em: . Acesso em: 25 nov. 2015.

______. Plano Nacional de Educacao PNE/2014-2024. Brasilia: MEC/SEF, 2014a.

______. Portaria normativa nº 867, de 04 de julho de 2012. Diario Oficial da Uniao, Poder Executivo, Brasilia, DF, n. 129, Secao 1, p. 22. 05 jul. 2012. ______. Portaria normativa nº 120, de 19 de marco de 2014. Diario Oficial da Uniao, Poder Executivo, Brasilia, DF, n. 54, Secao 1, p. 9. 20 marc. 2014b.

COOL, Cesar; MARCHESI, A; PALACIO, J. Desenvolvimento psicologico e educacao: Psicologia da educacao escolar. Porto Alegre: Artmed, 2004.

CORTELLA, Mario Sergio. Os conceitos de avaliacao em ciclos: Repercussao da politica pública voltada para a cidadania. In: ALMEIDA, F. J. De (Org.). Avaliacao educacional em debate: experiencias no Brasil e na Franca. Sao Paulo: Cortez Editora; EDUC, 2005. p. 45-57

CRUZ, Magna do Carmo Silva. Tecendo a alfabetizacao no chao da escola seriada e ciclada: a fabricacao das praticas de alfabetizacao e a aprendizagem da escrita e da leitura pelas criancas. Tese Doutorado. Programa de Pos-Graduacao da Universidade Federal de Pernambuco, 2012.

______. Ciclo de Alfabetizacao e avaliacao: progressao escolar e das aprendizagens. In: Brasil. Secretaria de Educacao Basica. Diretoria de Apoio à Gestao Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetizacao na Idade Certa. Gestao Es¬colar no Ciclo de Alfabetizacao. Caderno para gestores / Ministerio da Educacao, Secretaria de Educacao Basica, Diretoria de Apoio à Gestao Educacional. – Brasilia: MEC, SEB, 2015.

CRUZ e ALBUQUERQUE. Eliana Borges Correia de. Progressao escolar no ciclo de alfabetizacao: avaliacao e continuidade das aprendizagens na escolarizacao. In: Brasil. Secretaria de Educacao Basica. Diretoria de Apoio à Gestao Educacional. Pacto nacional pela alfabetizacao na idade certa: progressao escolar e avaliacao: o registro e a garantia de continuidade das aprendizagens no ciclo de alfabetizacao: ano 03, unidade 08 / Ministerio da Educacao, Secretaria de Educacao Basica, Diretoria de Apoio à Gestao Educacional. -- Brasilia: MEC, SEB, 2012. 47 p

DEPESBITERIS, Lea. Diversificar e preciso... instrumentos e tecnicas de avaliacao da aprendizagem. Sao Paulo: Editora Senac, 2009. Pp. 41-182.

FERNANDES, Domingos. Dos Fundamentos e das praticas. Da Avaliacao como medida à Avaliacao Alternativa (AFA). In: Avaliacao das aprendizagens: desafios às teorias, praticas e politicas. Lisboa: Texto - Editores, 2005.

FERREIRO, Emilia; TEBEROSKY, Ana. Psicogenese da Lingua Escrita. Porto Alegre: Artes Medicas, 1986.

FONTANIVE, Nilma. O uso Pedagogico dos testes. In: MELLO e SOUZA, Alberto de (org). Dimensoes da Avaliacao Educacional. Petropolis, RJ: Vozes, 2011.

GUBA, Egon. G.; LINCOLN, Yvonna. S. (1994). Competing paradigms in qualitative research. In N. K. Denzin & Y. S. Lincoln (Eds.), Handbook of qualitative research. Thousand Oaks, CA: Sage. pp. 105-117.

HAYDT, R. C. Avaliacao do Processo de ensino aprendizagem. SP.1997.

HOFFMAN, Jussara. Avaliacao Mediadora: uma pratica em construcao da pre-escola à universidade. Porto Alegre: Mediacao, 2008.

______. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediacao, 2011.

KLEIN, Ruben. Testes de Rendimento Escolar. In: MELLO e SOUZA, Alberto de (org). Dimensoes da Avaliacao Educacional. Petropolis, RJ: Vozes, 2011.

LIBÂNEO, Jose Carlos. Didatica. 2. ed. Sao Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, C. Avaliacao da aprendizagem escolar. Sao Paulo: Cortez, 2000.

LUDKE, Marli e ANDRE, Menga E. D. A. Pesquisa em educacao: Abordagens qualitativas. Sao Paulo: EPU, 1986.

MAINARDES, Jefferson. A escola em ciclos: fundamentos e debates. Sao Paulo: Cortez, 2009.

MARTINS, S. Paulo. O financiamento da educacao basica como politica pública. Revista Brasileira de Politica e Administracao da Educacao v.26, set/dez. 2010.

MORAIS, Artur Gomes. Concepcoes e metodologias de alfabetizacao: por que e preciso ir alem da discussao sobre velhos metodos. Palestra ministrada no Seminario de alfabetizacao e letramento do MEC, 2007, p. 1 – 7. Acessado em 15/11/15. Disponivel na pagina da Web: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/alf_moarisconcpmetodalf.pdf

______. Sistema de Escrita Alfabetica. Sao Paulo: Melhoramento, 2012.

PERRENOUD, Philippe. Uma abordagem pragmatica da avaliacao formativa. In: ______. Avaliacao. Da excelencia à Regulacao das aprendizagens: entre duas logicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SILVA, Assis Leao da; GOMES, Alfredo Macedo. Avaliacao Institucional no Contexto do Sinaes: A CPA em Questao. Avaliacao, Campinas; Sorocaba, SP, v. 16, n. 3, p. 573-601, nov. 2011. Disponivel em: . Acesso em: 02 mar. 2015.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em tres generos. Belo Horizonte: Autentica, 2006.

ZABALA, Antônio. A pratica educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.22347/2175-2753v8i23.1018



Direitos autorais 2016 Fundação Cesgranrio

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Principios Norteadores para o Avaliador

Guiding Principles for Evaluators American Evaluation Association (AEA)

Com o proposito de guiar o trabalho dos profissionais de avaliacao e assegurar a etica de sua atuacao, a American Evaluation Association (AEA) - Associacao Profissional de Avaliadores - estabeleceu cinco principios norteadores aqui resumidos:

1.  Indagacao Sistematica, no que se refere à capacidade de coletar dados utilizando tecnicas apropriadas e comunicando metodos e abordagens com a devida transparencia para permitir acesso e critica.

2.  Competencia, no que se refere a demonstrar atuacao competente perante os envolvidos no processo avaliativo e desenvolver continuamente sua capacidade para alcancar o mais alto nivel de desempenho possivel.

3.  Integridade/Honestidade, no que se refere a assegurar honestidade e integridade ao longo de todo o processo avaliativo, negociando com os envolvidos e interessados na avaliacao e buscando esclarecer e orientar procedimentos que venham provocar distorcoes ou indevidas utilizacoes.

4.  Respeito pelas pessoas, no que se refere ao respeito pela seguranca, dignidade e auto-valorizacao dos envolvidos no processo avaliativo, atuando sempre com etica profissional, evitando riscos e prejuizos que possam afetar os participantes para assegurar, o melhor possivel, o respeito às diferencas e o direito social de retorno dos resultados, aos envolvidos.

5.  Responsabilidade pelo bem estar geral e público, no que se refere a levar em consideracao a diversidade de interesses e valores que possam estar relacionados ao público em geral,buscando responder nao somente às expectativas mais imediatas, mas tambem às implicacoes e repercussoes mais amplas e, nesse sentido, disseminar a informacao sempre que necessario.

Indexado em:

  1. Diadorim - Diretório de políticas editoriais das revistas científicas brasileiras

  2. DOAJ - Directory of Open Access Journals

  3. EBSCO - Information Services

  4. Edubase

  5. Google Scholar

  6. Latindex -  Sistema regional de informacion en linea para revistas cientificas de America Latina, el Caribe, España y Portugal

  7. LivRe! - Portal do CNEN-Comissao Nacional de Energia Nuclear, do Ministerio de Ciencia, Tecnologia e Inovacao

  8. OEI - Organizacion de Estados Iberoamericanos (Madri, Espanha, CREDI)

  9. RCAAP - Repositorio Cientifico de Acesso Aberto de Portugal

  10. REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

  11. Scopus - A maior base de dados de abstracts e citacao de literatura revisada por pares:periodicos cientificos, livros e anais

 

Scimago

SJR : Scientific Journal Rankings

SCImago Journal & Country Rank
  
  

Meta: Aval., Rio de Janeiro, ISSN 2175-2753.