O impacto da formação pós-graduada nos professores e nas escolas – dois estudos de caso: as perceções dos professores pós-graduados

Ana Rita Faria, Pedro Guilherme Rocha dos Reis, Maria Helena Peralta

Resumo


O estudo aqui apresentado tem como problema central estudar o impacto da Formação Pós-Graduada (FPG) num conjunto de professores do Ensino Básico4 e do Ensino Secundário5 em Portugal. Pretendemos compreender se os professores consideram essa formação como uma mais-valia e em que medida isso se traduz na melhoria do seu desempenho profissional, das escolas e das aprendizagens dos alunos. Os resultados preliminares da investigação revelam, entre outros aspetos, que os motivos que levam os professores a fazerem FPG estão associados sobretudo a questões de realização pessoal e apontam para o reconhecimento da importância da FPG por parte dos professores e das lideranças, no entanto com poucos efeitos.


Palavras-chave


Formação pós-graduada; Professores; Avaliação do impacto; Currículo

Referências


BARBIER, J. A avaliação em formação. Porto: Edições Afrontamento, 1985.

CAMPOS, B. Formação contínua e pós-graduação de professores em Portugal. In: GOMEZ, J.; BAPTISTA, V. (Ed.). Educar, sem fronteiras/Educar sin fronteras. Universidades de Huelva e Faro, 1995. 145-160.

CARR, W. Reconstructing the curriculum debate: as editorial introduction. Curriculum Studies, v. 1, n. 1, 5-9, 1993.

CORBETT, J.; NORWICH, B. Common or specialized pedagogy? In: NIND, M.; RIX, J.; SHEEHY, K.; SIMMONS, K. (Eds.). Curriculum and Pedagogy in Inclusive Education. Values into practice. USA: RoutledgeFalmer, 2005. 13-30.

CRUZ, E.; POMBO, L.; COSTA, N. Dez anos (1997-2007) de estudos sobre o impacto de cursos de mestrado nas práticas de professores de ciências em Portugal. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 8, n.1, 2008.

CUNHA, A. Ser professor: bases de uma sistematização teórica. Braga: Casa do Professor, 2008.

CUNHA, A. Experimentar Bolonha: testemunhos de uma experiência. In: VIEIRA, F. (Org.), Transformar a pedagogia na universidade. 1ªed. Santo Tirso: De Facto Editores, 2009. 79-95.

Cury, C. (2004). Graduação/ Pós-Graduação: A busca de uma relação virtuosa. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, 777-793, Out./ 2004.

DOYLE, W. Curriculum and pedagogy. In: JACKSON, PH. Handbook of Research on Curriculum. New York: Macmillan Library Reference USA, 1992. 486-516.

ESTEVES, M. Para a excelência pedagógica no ensino superior. Sísifo/ Revista de Ciências da Educação, v. 7, 101-110, set/dez/2008. Available in: . Access: 18 fev. 2016.

ESTRELA, M. (2010). Complexidade da epistemologia do currículo. In: LEITE, C.; PACHECO, J.; MOREIRA, A.; MOURAZ, A. (Orgs.). Políticas, Fundamentos e Práticas do Currículo. Porto: Porto Editora, 2011. 29-36.

FERNANDES, D. Avaliação de programas e de projectos pedagógicos. In: SAPIENS. VIII CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2009. Available in: . Access: 20 fev. 2016.

FERNANDES, D. Acerca da articulação de perspectivas e da construção teórica em avaliação educacional. In: AFONSO, A.; ESTEBAN, M. (Orgs.). Olhares e interfaces - reflexões críticas sobre a avaliação. São Paulo: Cortez Editora, 2010. 15-44.

FITZPATRICK, J.; SANDERS, J.; WORTHEN, B. Program evaluation: alternative approaches and practical guidelines. 3ªed. Estados Unidos da América: Pearson, 2004.

GASPAR, M.; ROLDÃO, M. Elementos do desenvolvimento curricular. Lisboa: Universidade Aberta, 2007.

GRESS, J.; PURPEL, D. (Ed.). Curriculum: an introduction to the field. United States of America: Clutchan Publishing Corporation, 1978.

JESUS, A. Currículo e educação: conceito e questões no contexto educacional. [S.I.], 2008. Available in: . Access: 17 fev. 2016.

LEITE, C. Percursos e tendências recentes da formação de professores em Portugal. Educação, Porto Alegre, v. 57, n. 3, 371-389, set/dez/2005.

LEITE, C. A formação de professores em Portugal e a Declaração de Bolonha. [S.I.], n.d. Available in: . Access: 18 fev. 2016.

LEWIS, S. Curriculum planinning for better teaching and learning. 4ªed. United States of America: Holt, Rinehart and Winston, 1902.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. Evolução do programa de desenvolvimento do Ensino Superior, 2010 – 2014. [S.I.], 2010. Available in: . Access: 18 fev. 2016.

PACHECO, J. Teoria curriculares: políticas, lógicas e processos de regulação regional das práticas curriculares. In: SEMINÁRIO “O CURRÍCULO REGIONAL”, 2003, Açores. Available in: . Access: 18 fev. 2016.

PERALTA, M. Currículo: o plano como texto – Um estudo sobre a aprendizagem da planificação na formação inicial de professores de alemão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação para a Ciência e Tecnologia, 2005.

PERALTA, M. Inovação curricular: A propósito do projecto metas de aprendizagem. In: XIX COLÓQUIO DA SECÇÃO PORTUGUESA DA AFIRSE: REVISITAR OS ESTUDOS CURRICULARES – ONDE ESTAMOS E PARA ONDE VAMOS?, 2012, Lisboa. Atas XIX Colóquio da Secção Portuguesa da AFIRSE: Revisitar os Estudos Curriculares – Onde estamos e para onde vamos?. Lisboa: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, 2013.

PEREIRA, G.; COSTA, N. A construção de conceitos sobre avaliação do impacto da formação: um primeiro passo para a acção. In: XIIIº COLÓQUIO DA SECÇÃO PORTUGUESA DA AFIRSE: REGULAÇÃO DA EDUCAÇÃO E ECONOMIA – ORGANIZAÇÃO, FINANCIAMENTO E GESTÃO, 2004, Lisboa. Atas XIIIº Colóquio da Secção Portuguesa da AFIRSE: Regulação da Educação e Economia – Organização, Financiamento e Gestão. Lisboa: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, 2005.

POMBO, L.; COSTA, N. Avaliação de impacte de cursos de mestrado nas práticas profissionais de professores de ciências – Exemplos de boas práticas. Investigações em Ensino das Ciências, v. 14, n.1, 83-99, 2009.

POUZADA, A.; MARTINS, M.; LUCAS, C.; CABRAL, D.; CRISTINO, J. Articulação formação graduada – formação pós-graduada: Uma proposta de reflexão para o Conselho Académico da Universidade do Minho. [S.I.], 2003. Available in: . Access: 17 fev. 2016.

REIS, P.; CAMACHO, G. A avaliação da concretização do processo de Bolonha numa instituição de Ensino Superior portuguesa. Revista Española de Educación Comparada, v. 15, 41-59, set./ 2009.

ROLDÃO, M. Gestão curricular - fundamentos e práticas. Lisboa: Ministério da Educação - Departamento de Educação Básica, 1999.

ROLDÃO, M. (Coord.). Formação e práticas de gestão curricular. Crenças e equívocos. Porto: Edições ASA, 2005.

ROLDÃO, M. et al. Avaliação do impacto da formação: um estudo dos Centros de Formação da Lezíria e Médio Tejo 1993-1998. Lisboa: Edições Colibri, 2000.

SACRISTÁN, J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3ªed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Texto da Declaração de Bolonha - Declaração conjunta dos Ministros da Educação europeus reunidos em Bolonha a 19 de Junho de 1999. [S.I.], 1999. Available in: . Access: 17 fev. 2016.

TRINDADE, R. O Ensino Superior como espaço de formação: do paradigma pedagógico da aprendizagem ao paradigma da comunicação. In: LEITE, C. (Org.). Sentidos da Pedagogia no Ensino Superior. Porto: CIIE/ Livpsic, 2010. 75-98.

VIEIRA, F. Transformar a pedagogia na universidade? Currículo sem fronteiras, v.5, n. 1, 10-27, jan/jun/ 2005. Available in: . Access: 21 fev. 2016.

VIEIRA, F.; SILVA, J.; ALMEIDA, J. Transformar a pedagogia na universidade: possibilidades e constrangimentos. In: VIEIRA, F. (Org.) (2009). Transformar a pedagogia na universidade. Santo Tirso: De Facto Editores, 2009. 17-35.

ZABALZA, M. Planificação e desenvolvimento curricular na escola. 6ªed. Porto: ASA Editores, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362017000100009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2017 Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional