Com um lapis e um papel ... cria-se um novo texto: As representacoes de práticas democraticas nos Colegios de Aplicação

Miriam Abduche Kaiuca

Resumo


Este artigo apresenta uma pesquisa sobre as representacoes que os professores do Ensino Fundamental dos Colegios de Aplicação da UFRJ e da UERJ constroem sobre a escola pública democratica. O objetivo geral foi o de apreender a dinâmica de construção das representacoes de uma escola democratica, procurando verificar suas motivacoes historicas e ideologicas e as mudancas que sofreram ao longo do tempo; os valores, as normas, as atitudes, os simbolos e as resistencias docentes ao processo de democratização das práticas pedagogicas contemporâneas. As representacoes docentes sobre a escola democratica articulam-se ao projeto de educação que esta em curso nos CAps ou foi implantado em outra conjuntura historica, projeto esse que assume o referencial de escola pública, democratica e de qualidade. No cruzamento dos discursos surgiram as categorias norteadoras para analise dos dados: alteridadepoder e resistencia. Concluiu-se que a educação democratizante nao pode basear-se em qualquer nocao a-historica e transcendente de verdade ou autoridade. Foram encontradas representacoes que conservam a funcao original seletiva e elitista dos CAps; representacoes que defendem uma formação diferenciada de acordo com a proveniencia de classe social do estudante que ingressa no CAp e, finalmente, representacoes que reforcam a possibilidade de implantação de um projeto educacional que avance na direcao do reconhecimento do aluno das classes populares e de sua integração na vida escolar.

Palavras-chave


Colegios de Aplicação; Escola pública democratica; Representacoes docentes de práticas democraticas

Referências


ABREU, A. A. Intelectuais e guerreiros: o Colegio de Aplicacao da UFRJ de 1948 a 1968. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1992.

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideologicos do Estado. Lisboa: Editorial Presenca, 1974.

AMADO, G. Classes experimentais. Revista Brasileira de Estudos Pedagogicos, Rio de Janeiro, v. 30, n. 72, p. 73-83, out./dez. 1958.

______. Classes secundarias experimentais: balanco de uma experiencia. Revista Brasileira de Estudos Pedagogicos, Rio de Janeiro, v. 40, n. 91, p. 90-151, jul./set. 1963.

APPLE, M. W. O que os pos-modernistas esquecem: capital cultural e conhecimento oficial. In: SILVA, T. T. et al. Neoliberalismo, qualidade total e educacao. Petropolis: Vozes, 1995.

ARENDT, H. A condicao humana. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitaria, 2000.

______. Entre o passado e o futuro. 3. ed. Sao Paulo: Perspectiva, 2001.

BAUDELOT, C.; ESTABLET, R. A Escola capitalista. Sao Paulo: Cortez, 1971.

BENEVIDES, M. V. M. A cidadania ativa: referendo, plebiscito e iniciativa popular. 3. ed. Sao Paulo: Atica, 1999.

______. Educacao para democracia. Notandum: revista semestral internacional de estudios academicos, Sao Paulo, v. 1, n. 2, jul./dic. 1998. p. 83- 96.

BOBBIO, N. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

______. Igualdade e liberdade. 3. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997.

BOLETIM DO CAp/UERJ. Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, maio 1997.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. Sao Paulo: Brasiliense, 1996.

______. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Escritos de educacao. Petropolis: Vozes, 1998.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reproducao: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

CHAUI, M. Conformismo e resistencia: aspectos da cultura popular no Brasil. 4. ed. Sao Paulo: Brasiliense, 2000.

______. Cultura e democracia: discurso competente e outras falas. Sao Paulo: Moderna, 1999.

CUNHA, N.; ABREU, J. Classes secundarias experimentais: balanco de uma experiencia. Revista Brasileira de Estudos Pedagogicos, Brasilia, DF, v. 40, n. 91, p. 90-151, jul./set. 1963.

DELUIZ, N. Metodologia da pesquisa. Rio de Janeiro, 2001. Mimeografado.

DEL PRETTE, A. Pesquisa em movimentos sociais: uma analise historica . Ciencia e Cultura: revista da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciencia , Sao Paulo, n. 42 , p 101-116, 1993.

DOUGLAS, M. Como as instituicoes pensam. Sao Paulo: Editora da Universidade de Sao Paulo, 1998.

ESTABLET, R. A escola. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 35, 1973.

FORQUIN, J. C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemologicas do conhecimento escolar. 3. ed. Porto Alegre: Artes Medicas, 2000.

FOUCAULT, M. Power and knowledge: selected interviews and other writings, 1972-1977. New York: Pantheon Books, 1992.

______. A verdade e as formas juridicas. Rio de Janeiro: PUC-RJ, 1973. Mimeografado.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisao. Rio de Janeiro: Vozes, 1988.

FREIRE, P. Professora sim, tia nao: cartas a quem ousa ensinar. Sao Paulo: Olho d'Agua, 1995.

GADOTTI, M. Educacao e poder. Sao Paulo: Cortez, 1999.

GONDRA, J. G. Excelencia e exclusao. Rio de Janeiro: Biblioteca do Colegio de Aplicacao da UERJ, 1997. Mimeografado.

GRAMSCI, A. Concepcao dialetica da historia. Rio de Janeiro: Civilizacao Brasileira, 1998.

HABERMAS, J. La logica de las ciencias sociales. Madri: Tecnos, 1988.

JODELET, D. La representation social: fenômeno, concepto y teoria. In: MOSCOVICI, S. (Org.). Psicologia social. Barcelona: Paidos,1993.

______. Representations sociales: un domaine en expansion. In: JODELET, D. (Ed.) Les representations sociales. Paris: PUF, 1989.

JOVCHELOVITCH, S. Representacoes sociais: a construcao simbolica dos espacos públicos no Brasil. Petropolis: Vozes, 2000.

LINHARES, C. O direito ao saber com sabor: educacao de professores na escola pública. Niteroi: Faculdade de Educacao, Universidade Federal Fluminense, 2000. Trabalho academico.

LÜDKE, M.; ANDRE, M. E. D. Pesquisa em educacao: abordagem qualitativa. Sao Paulo: Loyola, 1996.

MADEIRA, M. Um aprender do viver: educacao e representacao social. In: MOREIRA, A. S. P.M.; OLIVEIRA, D.C. (Org.). Estudos interdisciplinares de representacao social. Goiânia: AB Ed., 1998. p. 239-249.

MANCEBO, D. Da genese utilitaria aos compromissos: uma historia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1950-1978). 1995. Tese (Doutorado)- Pontificia Universidade Catolica de Sao Paulo, Sao Paulo, 1995.

MOSCOVICI, S. A representacao social da psicanalise. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

NAGLE, J. A educacao e sociedade na Primeira República. Sao Paulo: EPU; Rio de Janeiro: FENAME, 1974.

NOVOA, A. Profissao professor. 2. ed. Porto, PT: Porto Ed., 1998.

NUNES, C. Escola basica e cidadania: notas para um debate. In. ______. (Org.). Escola e cidadania: aprendizado e reflexao. Salvador, BA: OEA, UFBA, EGBA, 1990.

______. Escola & dependencia: o ensino secundario e a manutencao da ordem. Rio de Janeiro: Achime, 1979.

OLIVEIRA, F. Uma alternativa democratica ao liberalismo. In: WEFFORT, F. et al. A democracia como proposta. Rio de Janeiro: IBASE, 1991.

______. Medusa ou classes medias e a consolidacao democratica. In: REIS, F. W.; O'DONNELL, G. (Org.). A democracia no Brasil: dilemas e perspectivas. Sao Paulo: Vertice, 1988. p. 258-292.

______. Requiem para um falsificador. Folha de Sao Paulo, Sao Paulo, 7 ago. 1998. Caderno Tendencias e Debates, p. 2.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. 4. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

______. Interpretacao: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbolico. Petropolis, RJ: Vozes, 1996.

______. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1999.

SARTORI, G. A teoria da democracia revisitada: o debate contemporâneo. 3. ed. Sao Paulo: Atica, 2000a.

______. A teoria da democracia revisitada: as questoes classicas. 3. ed. Sao Paulo: Atica, 2000b.

SILVA, T. T. Identidade e diferenca: a perspectiva dos estudos culturais. Petropolis: Vozes, 2000.

______. Identidades terminais: as transformacoes na politica da pedagogia e na pedagogia da politica. Petropolis: Vozes, 1996.

______. Quem escondeu o curriculo oculto? In: _____. Documentos de identidade: uma introducao às teorias do curriculo. Belo Horizonte: Autentica, 1999.

TEIXEIRA, A. A educacao e a crise brasileira. Sao Paulo: Cia Editora Nacional, 1956.

TOURAINE, A. Critica da modernidade. Petropolis, RJ: Vozes, 1994.

______. Igualdade e diverisidade: o sujeito democratico. 3. ed. Bauru, SP: EDUSP, 1998.

______. O que e democracia? Petropolis, RJ: Vozes, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362004000400007

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.