Melhoria da qualidade educacional e redução da violencia atraves de abertura de escolas públicas nos finais de semana: uma avaliação quantitativa

Marco Túlio Aniceto Franca, Rogerio Allon Duenhas, Flavio de Oliveira Goncalves

Resumo


A politica pública de abertura de escolas nos finais de semana tem-se tornado pratica comum em muitos estados brasileiros. As avaliações quantitativas apontam resultados auspiciosos dessa politica pública na redução da violencia. O presente trabalho mostra o impacto da abertura de escolas curitibanas da primeira fase do ensino fundamental nos finais de semana às comunidades que estao localizadas em areas vulneraveis. As questoes analisadas serao sobre a violencia percebida pelos diretores das escolas e sobre a aprendizagem dos estudantes. A metodologia empregada na analise da violencia foi os minimos quadrados ponderados por propensity score e para os aspectos envolvendo a qualidade foi empregado o diferencas em diferencas. Dois contrafactuais sao utilizados: escolas que aguardavam a entrada no programa e escolas que nao demonstraram interesse em participar do programa. Os resultados mostram que o programa teve impacto positivo sobre algumas dimensoes da violencia, como a melhoria no relacionamento entre o corpo discente, redução de crimes contra a propriedade e trafico de drogas dentro da escola. Todavia, os resultados mostram impactos negativos sobre o desempenho medio das escolas, embora nao tenham sido estatisticamente significantes. Conclui-se que o programa, apesar de verificar melhorias no ambiente escolar, ainda nao consegue melhorar a qualidade da educação.

Palavras-chave


Escola; Qualidade; Violencia; Microeconometria

Referências


ASHENFELTER, O.; CARD, D. Using the Longitudinal Structure of Earnings to Estimate the Effect of Training Programs. The Review of Economics and Statistics, [S.l.], v. 67, n. 4, p. 648-660. 1985.

BECKER , S.O; ICHINO, A. Estimation of average treatment effects based on propensity score. Stata Journal, [S.l.], v. 2, n. 4, p. 358-377, 2002. DisponA­vel em: . Acesso em: 3 mai. 2010.

BLUNDELL, R.; COSTA DIAS, M. Alternative approaches to evaluation in empirical microeconomics. Portuguese Economic Journal, [S.l.], v. 1, p. 91-115, mar. 2002.

BOURDIEU, P. Cultural reproduction and social reproduction. In: KARABEL, J.; HALSEY, A. H (Ed.). Power and ideology in education. New York: Oxford University Press, 1977.

CALIENDO, M.; KOPENING, S. Some practical guidance for the implementation of propensity score matching. Bonn, Germany: Institute for the Study of Labor (IZA), 2005. (IZA Discussion Papers, 1588).

CALIENDO, M.; HUJER, R. The microeconometric estimation of treatment effects: an overview. AStA Advances in Statistical Analysis, [S.l.], v. 90, n. 1, p. 199-215, mar. 2006.

HIRANO, K.; IMBENS, G. Estimation of causal effects using propensity score weighting: an application to data on right hear catheterization. Health Services and Outcomes Research Methodology, [S.l.], n. 2, p. 259-278, apr. 2001.

IMBENS, G. M.; WOOLDRIGE, J. M. Recent development in the econometrics program evaluation. NBER: Technical Working Paper, n. 14251, aug. 2008. DisponA­vel em: < http://www.nber.org/papers/w14251 >. Acesso em: 25 mar. 2012.

NAšCLEO DE AVALIAA‡AƒO DE POLATICAS PAšBLICAS EDUCACIONAIS. Comunidade Escola: RelatA³rio de AvaliaA§A£o. ParanA¡: Universidade Federal do ParanA¡, 2007.

ROBINS, J. M.; ROTNITZKY, A. Semiparametric efficiency in multivariate regression models with missing data. Journal of the American Statistical Association, [S.l.], v. 90, n. 429, p. 122–129, nov. 1995.

RUBIN, D. B.; THOMAS, N. Matching using estimated propensity scores: relating theory to practice. Biometrics, [S.l.], n. 52, p. 249–264, oct. 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.