Remuneração docente: efeitos do plano de cargos, carreira e remuneração em contexto municipal

Maria Dilnéia Espíndola Fernandes, Solange Jarcem Fernandes, Viviane Gregório de Campos

Resumo


O trabalho objetivou, por meio de estudo de caso, verificar o efeito produzido pelos Planos de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), implantados no município de Campo Grande, no período de 1996 a 2016, em termos de remuneração salarial para um professor, ao longo de 20 anos de carreira. O exame do movimento da remuneração do professor foi feito pela análise dos seus holerites, cotejados aos PCCR e ao salário mínimo. Constatou-se que houve um efeito positivo na remuneração do professor com a obrigatoriedade dos PCCR municipais e que a titulação e o tempo de trabalho foram importantes no contexto de valorização. Permaneceu, contudo, em devir histórico no município, o pagamento integral do PSPN (Piso Salarial Profissional Nacional), que também deveria estar garantido por intermédio do PCCR.


Palavras-chave


Política Educacional; PCCR; Remuneração do Professor; Valorização do Professor

Referências


AMARAL, N. C. O “novo” ensino médio e o PNE: haverá recursos para essa política? Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 20, p. 91-108, 2017. https://doi.org/10.22420/rde.v11i20.759

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Decreto Nº 8.166, de 23 de dezembro de 2013. Regulamenta a Lei n. 12.382, de 25 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre o valor do salário mínimo e a sua política de valorização de longo prazo. Diário Oficial da União, 24 dez. 2013.

BRASIL. Decreto Nº 8.618, de 29 de dezembro de 2015. Regulamenta a Lei n. 13.152, de 29 de julho de 2015, que dispõe sobre o valor do salário mínimo e a sua política de valorização de longo prazo. Diário Oficial da União, 30 dez 2015.

BRASIL.Emenda Constitucional Nº 14, de 12 de setembro de 1996. Modifica os arts. 34, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e dá nova redação ao art. 60 do Ato das Disposições constitucionais transitórias. Diário Oficial da União,13 set. 1996c.

BRASIL. Emenda Constitucional Nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 15 dez. 2016.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, 23 dez. 1996a.

BRASIL. Lei Nº 9.424, de 24 de dezembro de 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério na forma prevista no art. 60 do ADCT e dá outras providências. Diário Oficial da União, 26 dez. 1996b.

BRASIL. Lei Nº 9.971, de 18 de maio de 2000. Dispõe sobre o salário mínimo a partir de 1º de maio de 1996 e dá outras providências. Diário Oficial da União, 19 maio 2000.

BRASIL. Lei Nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, 10 jan. 2001

BRASIL. Lei Nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei n. 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis n.s 9.424, de 24 de dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 22 jun. 2007.

BRASIL. Lei Nº 11.709, de 20 de junho de 2008. Dispõe sobre o salário mínimo a partir de 1º de março de 2008 e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 jun. 2008c.

BRASIL. Lei Nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Diário Oficial da União, 17 jul. 2008a.

BRASIL. Lei Nº 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei n. 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei n. 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 18 nov. 2011.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, 26 jun. 2014b.

BRASIL. Lei Nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei n.5.452, de 1ode maio de 1943, e o Decreto-Lei n. 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei n. 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, 17 fev. 2017b.

BRASIL. Lei Nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei n. 5.452, de 1o de maio de 1943, e as Leis nos 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Diário Oficial da União, 14 jul. 2017a.

BRASIL. Lei Complementar Nº 131, de 27 de maio de 2009. Acrescenta dispositivos à Lei Complementar n. 101, de 4 de maio de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências, a fim de determinar a disponibilização, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Diário Oficial da União, 28 maio 2009.

BRASIL. Medida Provisória Nº 35, de 28 de março de 2002. Dispõe sobre o salário mínimo a partir de 1º de maio de 2002 e dá outras providências. Diário Oficial da União, 28 mar. 2002.

BRASIL. Medida Provisória Nº 182, de 29 de abril de 2004. Dispõe sobre o salário mínimo a partir de 1º de maio de2004 e dá outras providências. Diário Oficial da União, 30 abr. 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Conferência Nacional da Educação Básica: documento final. Brasília, DF: 2008b.

BRASIL. Ministério da Educação. Conferência Nacional de Educação 2010: documento final. Brasília, DF: 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Conferência Nacional de Educação 2014: documento final. Brasília, DF: 2014a.

CAMARGO, R. B. et. al. Financiamento da educação e remuneração docente: um começo de conversa em tempos de piso salarial. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 25, n. 2, p. 341-363, mai./ago. 2009.

CAMPO GRANDE. Decreto Nº 10.343, de 22 de janeiro de 2008. Publica e Consolida a Lei Complementar n. 19, institui o PCRM, com alterações e inclusões das Leis Complementares n. 20, n. 97 e 106. Campo Grande, 2008a. Disponível em: . Acesso em 18 mar. 2015.

CAMPO GRANDE. Lei Nº 5.060, de 3 de abril de 2012. Dispõe sobre a revisão geral de remuneração dos servidores do poder executivo, e dá outras providências. Campo Grande, 2012. Disponível em: Acesso em: 3 de mai. 2018.

CAMPO GRANDE. Lei Nº 5.189, de 24 de maio de 2013. Dispõe sobre a revisão geral da remuneração dos servidores do poder executivo, e dá outras providências. Diogrande, n. 3.775 - segunda-feira, 27 de maio de 2013.Campo Grande: 2013.

CAMPO GRANDE. Lei Nº 5.411, de 4 de dezembro de 2014. Altera a lei n. 5.189∕2013, que dispõe sobre a revisão geral da remuneração dos servidores do poder executivo. Campo Grande, 2014a. Disponível em:. Acesso em 22 fev. 2017.

CAMPO GRANDE. Lei Nº 5.565, de 23 de junho de 2015. Aprova o Plano Municipal de Educação do Município de Campo Grande - MS e dá outras providências. Diogrande, , 24 jun. 2015. Campo Grande: 2015. Disponível em: < http://www.campogrande.ms.gov.br/cme/downloads/plano-municipal-de-educacao-campo-grandems-pme-2015-2025/ >. Acesso em: 20 abr. 2018.

CAMPO GRANDE. Lei Complementar Nº 19, de 15 de julho de 1998. Dispõe sobre o Plano de Carreiras e Remuneração do Magistério de Campo Grande. Campo Grande, 1998a. Disponível em Acesso em: 15 maio 2017.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 1996.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 1998c.

CAMPO GRANDE.Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 2002.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 2004.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 2008b.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 2014b.

CAMPO GRANDE. Prefeitura Municipal. Demonstrativo de Pagamento Servidor Municipal. Campo Grande, 2016.

CAMPO GRANDE. Relatório preliminar de avaliação do Plano Municipal de Educação – PME de Campo Grande-MS Lei Municipal n. 5.565 de 23 de junho de 2015 Período 2016-2017. Campo Grande, 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 mai. 2018.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO. Cadernos de Resoluções. Brasília: 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2018.

DA MATA, F. Por 23 votos a 6, prefeito de Campo Grande é cassado pela Câmara. G1 Mato Grosso do Sul TV Morena, Campo Grande: 2104. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018.

DOURADO, L. F. Plano Nacional de Educação: o epicentro das políticas de estado para a educação brasileira. Goiânia: Imprensa Universitária/ANPAE, 2017.

FERNANDES, M. D. E.; RODRIGUEZ, M. V. O processo de elaboração da lei n. 11.738/2008 (lei do piso salarial profissional nacional para carreira e remuneração docente): trajetória, disputas e tensões. Revista HISTEDBR On-Line, v. 11, n. 41, p. 88-101, mar. 2011. https://doi.org/10.20396/rho.v11i41.8639837

FERNANDES, M. D. E; GOUVEIA, A. B; BENINI, E. G. Remuneração de professores no Brasil: um olhar a partir da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 339-356, jun. 2012 . https://doi.org/10.1590/S1517-97022012000200005

FERNANDES, M. D. E. et al . Remuneration of Basic Education Teachers in the Public and Private Sectors at Municipal Level. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 44, 2018. access on 29 Aug. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/s1678-4634201706161233.

FIORI, J. L. O vôo da coruja: pare reler o desenvolvimentismo brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2003.

GOUVEIA, A. B. Avaliação da política educacional municipal: em busca de indicadores de efetividade nos âmbitos do acesso, gestão e financiamento. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 64, p. 449-476, jul./set. 2009. https://doi.org/10.1590/S0104-40362009000300004

HIRATA, G.; OLIVEIRA, J. B. A.; MEREB, T. M. Professores: quem são, onde trabalham, quanto ganham. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação Rio de Janeiro , v. 27, n. 102, p. 179-203, Mar. 2019 . https://doi.org/10.1590/s010440362018002701888

MORDUCHOWICZ, A. Carreiras, incentivos e estruturas salariais docentes. Preal Brasil, Rio de Janeiro, n. 23, p. 1-60, 2003.

SAVIANI, D. Sistema de educação: subsídios para a Conferência Nacional de Educação. Brasília,DF: Ministério da Educação; 2009. Disponível em: conae.mec.gov.br/images/stories/pdf/conae_dermevalsaviani.pdf. Acesso em: 27 mai. 2019.

SINDICATO CAMPO-GRANDENSE DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO PÚBLICA. – ACP. Tabela salarial. Campo Grande: 2017. Disponível em: < http://www.acpms.com.br/tabela-de-salarios >. Acesso em: 20 abr. 2018.

VALENTE, I. Plano Nacional de Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

VALLE, B. B. R. Salário do professor: da posse à aposentadoria. Revista da ANDE, n. 4, p. 26-42, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-4036201900270197

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.