Ensinar e pesquisar indicadores de qualidade: uma parceria com estudantes do ensino fundamental

Sandra Lúcia Ferreira, Margaréte May Berkenbrock-Rosito, Julio Gomes Almeida

Resumo


A discussão sobre a qualidade da educação oferecida pelo sistema público tem sido objeto de preocupação traduzida em políticas públicas, como o Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), que prevê um padrão de qualidade definido pelos próprios educadores. Tal sistema recebe críticas de autores por seus propósitos meramente reguladores. Este estudo amplia essa discussão, investigando o que pensam estudantes sobre Educação Escolar de Qualidade. Os objetivos são identificar o que os alunos concluintes do Ensino Fundamental entendem por educação de qualidade, investigar quais são os conceitos de qualidade da educação que aparecem com maior frequência nos discursos das escolas e discutir a noção de educação de qualidade na visão dos alunos. A metodologia articula estudos de natureza documental e trabalho de campo – aplicação de questionário e de grupo focal em estudantes. Para o tratamento dos dados, recorreu-se às análises de conteúdo utilizando-se os software Analyse Lexicale par Contexte d’un Ensemble de Segment de Texte (ALCEST) e Statistical Package for the Social Sciences (SPSS). Participaram da pesquisa 227 estudantes de quatro escolas públicas – duas da rede estadual e duas da rede municipal – e o programa de mestrado em educação de uma universidade privada da zona leste da cidade de São Paulo. Os resultados destacam o resgate de respeito e confiança entre alunos e educadores, a realização de atividades em que se sintam valorizados no espaço escolar, a participação da dinâmica da escola e da boa interação entre alunos e demais sujeitos da escola, além da demanda pela formação do educador-pesquisador para a promoção da escuta dos estudantes.


Palavras-chave


Aluno; Autoavaliação; Ensino Fundamental; indicador

Referências


BARBIER, J. M. Lvaluation en formation. Paris: PUF, 1985.

BARDIN, L. Anlise de contedo. Lisboa: Edies 70, 1977.

BAUER, A.; CASSETARI, N.; OLIVEIRA, R. P. de. Polticas docentes e qualidade da educao: uma reviso de literatura e indicaes de poltica. ENSAIO: avaliao e polticas pblicas em educao. Fundao CESGRANRIO. Rio de janeiro, v. 25, n. 97, p. 943-970, out./dez. 2017.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educao nacional. Braslia, DF: Congresso Nacional, 1996.

BRASIL. Lei n. 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliao da Educao Superior SINAES e d outras providncias. Disponvel em: . Acesso em: 10 out. 2017.

BRASIL. Ministrio da Educao; Conselho Nacional de Educao CNE; Cmara de Educao Bsica CEB. Resoluo n. 4, de 13 de julho de 2010. Define diretrizes curriculares nacionais gerais para a educao bsica. Disponvel em: . Acesso em: 15 fev. 2017.

BRASIL. Ministrio da Educao MEC; Instituto Nacional De Estudos E Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira (Inep); Comisso Nacional de Avaliao da Educao Superior (Conaes); Diretoria de Avaliao da Educao Superior (Daes). Nota tcnica INEP/DAES/CONAES n.65: Roteiro para Relatrio de Autoavaliao Institucional de 09 de outubro de 2014. Disponvel em:. Acesso em: 12 out. 2017.

BRASIL. Ministrio da Educao MEC. Portaria n. 482, de 7 de junho de 2013 que dispe sobre o Sistema de Avaliao da Educao Bsica SAEB. Disponvel em: Acesso em: 10 ago. 2017.

BOLIVAR, A. Um olhar actual sobre a mudana educativa: onde situar os esforos de melhoria? In: LEITE, C.; LOPES, A. (orgs.). Educao, currculo e formao de identidades. Porto: Edies ASA, 2006.

BONDIOLLI, A. O projeto pedaggico da creche e a sua avaliao: a qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2004.

DIAS SOBRINHO, J. Dilemas da educao superior no mundo globalizado: Sociedade do conhecimento ou economia do conhecimento? So Paulo: Casa do Psiclogo, 2005.

DOMINGUES, M. R. de S.; OLIVEIRA, N. C. M. de. A avaliao externa na educao bsica e suas implicaes. Trabalho apresentado ao 5 Encontro Internacional de Educao Comparada, Belm, 9 a 11 de maio de 2012.

FIGARI, G. Avaliar: que referencial? Porto: Porto Editora, 1996.

FREITAS, L. C. Avaliao educacional caminhando pela contramo. Petrpolis: Editora Vozes, 2009.

______. Construir outro sistema avaliativo para So Paulo. Revista APASE, So Paulo, v. 1, 2012, p. 28-29.

GARCIA, R. M. A base de uma administrao autodeterminada: o diagnstico emancipador. Educao e Avaliao, So Paulo, n. 2, jan. 1981, p. 43-67.

GATTI, B. A. Avaliao e Qualidade da Educao. So Paulo: Fundao Carlos Chagas, 2007. Disponvel em: . Acesso em: 12 fev. 2017.

HORTA NETO, J. L. Avaliao externa de escolas e sistemas: questes presentes no debate sobre o tema. Revista brasileira de estudos pedaggicos, Braslia, v. 91, n. 227, jan./abr. 2010, p. 84-104.

LAPA, J. dos S.; NEIVA, C. C. Avaliao em educao: comentrios sobre desempenho e qualidade. ENSAIO: Avaliao e Polticas Pblicas em Educao, Rio de Janeiro, v. 4, n. 12, jul./set. 1996, p. 149-158.

LEITE, D. Desafios para inovao pedaggica na universidade do sculo 21. Revista FAEEBA, Salvador, v. 21, 2012, p. 29-39.

MINAYO, M. C. S. Construo de indicadores qualitativos para avaliao de mudanas. Revista Basileira Educao Mdica [online], v. 33, suppl. 1, 2009, p. 83-91. Disponvel em: . Acesso em 10 mar. 2017.

MORGAN, D. L. Focus group as qualitative research. Newbury Park: Sage Publications, 1988. (Qualitative Research Methods Series 16)

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B.; LEITE, D.; FRANCO, M. E. D. P.; CUNHA, M. I. da; ISAIA, S. M. A. A qualidade da educao superior e o complexo exerccio de propor indicadores. Revista Brasileira de Educao, Rio de Janeiro, v. 21, n. 64, 2016, p. 13-37.

MOROSINI, Marlia Costa; FERNANDES, Cleoni Maria Barbosa; LEITE, Denise; FRANCO, Maria Estela Dal Pai; CUNHA, Maria Isabel da; ISAIA, Silva Maria Aguiar. A qualidade da educao superior e o complexo exerccio de propor ndices. Revista Brasileira de Educao, Rio de Janeiro, v. 21, n. 64, p. 13-37, jan./mar. 2016

SORDI, M. R. L.; SOUZA, E. (orgs.). A avaliao institucional como instncia mediadora da escola pblica: a Rede Municipal de Educao de Campinas como espao de aprendizagem. Campinas: Millenium, 2009.

SOUSA, S. M. Z. L. Avaliao escolar e democratizao: o direito de errar. In: AQUINO, J. G. (org.). Erro e fracasso na Escola: alternativas tericas e prticas. So Paulo: Summus, 1997.

STECHER, B. M. Consequences of large-scale, high-stakes testing on school and classroom practice. In: HAMILTON, L; STECHER, B. M.; KLEIN, S. P. (ed.). Making sense of test-based accountability en education. Santa Monica, CA: Rand, 2002.

THURLER, M. G. A eficcia das escolas no se mede: ela se constri, negocia-se, pratica-se e se vive. Ideias, So Paulo, n. 30, 1998, p. 175-192.

WHOLEY, J. S.; HATRY, H. P.; NEWCOMER, K. E. Handbook of Practical Program Evaluation. Jossey Bass Publishers: San Francisco, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362018002601570

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.