Concepcoes e acoes de professoras sobre propostas de um programa de educação integral

Marisa Irene Siqueira Castanho, Marjorie Cristina Rocha da Silva, Sonia Casarin, Leticia de Sousa Dorighello

Resumo


O objetivo deste trabalho foi identificar concepcoes e acoes de professores em relação a um programa de educação integral. Foram analisadas respostas de 11 professoras de Ensino Fundamental I, de uma rede municipal de ensino, a partir de um roteiro semiestruturado de entrevista e questionarios sociodemograficos. A analise de conteúdo, com apoio no software Iramuteq, evidenciou a contribuicao socializadora da educação integral para a educação formal; as dificuldades de integração entre os professores dos dois curriculos; as tentativas de aproximar os pais e a ausencia da nocao de comunidade; o reconhecimento da importância das atividades nao formais e lúdicas; o uso da motivação e interesse do aluno pelas atividades das oficinas como condicionantes da frequencia na sala de aula; a predominância da visao assistencialista. Sugere-se a ampliação de pesquisas, o investimento na formação de professores, visando à melhor compreensao e à atuação em programas articulados e planejamento de politicas públicas.


Palavras-chave


Jornada escolar ampliada; Formação de professores; Ensino Fundamental; Politicas públicas

Referências


BARDIN, L. Anlise de Contedo. Lisboa, Portugal: Edies 70, 2009.

BRASIL. Lei n 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educao nacional. Dirio Oficial da Unio, 23 dez. 1996.

BRASIL. Ministrio da Educao e Cultura. Educao Integral: texto referncia para o debate nacional. Braslia, DF, 2009.

BRASIL. Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Bsica. Educao integral/educao integrada e(m) tempo integral: concepes e prticas na educao brasileira, mapeamento das experincias de jornada escolar ampliada no Brasil: estudo qualitativo. Brasllia, DF, 2013.

BRICEO-LEON, R. Quatro modelos de integrao de tcnicas qualitativas e quantitativas de investigao nas Cincias Sociais. In: GOLDENBERG, P. (Org.). O clssico e o novo: tendncias, objetos e abordagens em cincias sociais e sade. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003. p. 157-83.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: um software gratuito para anlise de dados textuais. Temas em Psicologia, v. 21, n. 2, p. 513-8, dez. 2013. https://doi.org/10.9788/TP2013.2-16

CASTANHO, M. I. S.; MANCINI, S. Educao integral no Brasil: potencialidades e limites em produes acadmicas sobre anlise de experincias. Ensaio: Avaliao e Polticas Pblicas em Educao, v. 24, n. 90, p. 225-48, jan./mar. 2016. https://doi.org/10.1590/S0104-40362016000100010

CAVALIERE, A. M. Tempo de escola e qualidade na educao pblica. Educao e Sociedade, v. 28, n. 100, p. 1015-35, out. 2007. https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300018

CAVALIERE, A. M. Escolas de tempo integral versus alunos em tempo integral. Em Aberto, v. 22, n. 80, p. 51-63, abr. 2009.

FELCIO, H. M. S. A instituio formal e no formal na construo do currculo de uma escola de tempo integral. Educao em Revista, v. 27, n. 3, p. 163-82. dez. 2011. https://doi.org/10.1590/S0102-46982011000300001

GRAZZIOTIN,L. S. S.; WAIMANN, M.; MNDEZ, N. P. Trabalho e formao docente: perfil dos(as) educadores(as) no cenrio ps-LDB (1996 2008). In: V CINFE Congresso Internacional de Filosofia e Educao CINFE, 5., 2010, Caxias do Sul, RS. Anais... [S.n.t.].

LEITE, L. H. A. Educao integral, territrios educativos e cidadania: aprendendo com as experincias de ampliao da jornada escolar em Belo Horizonte e Santarm. Educar em Revista, n. 45, p. 57-72, jul./set. 2012. https://doi.org/10.1590/S0104-40602012000300005

MANCINI, S. Programa Mais Educao: investigando sentidos produzidos por coordenadoras acerca de um Programa de Educao Integral. 2014. 195 f. Dissertao (Mestrado em Psicologia Educacional) Curso de Ps-Graduao em Psicologia Educacional, Centro Universitrio FIEO, Osasco, 2014.

MAURICIO, L. V. Escritos, representaes e pressupostos da escola pblica de tempo integral. Em Aberto, v. 22, n. 80, p. 15-31, abr 2009.

MOREIRA, S. C. Desigualdades educacionais e educao integral: um exame do Programa Mais Educao a partir da Educao Crtica. Revista Pedaggica, v. 15, n. 30, jan./jun. 2013. Recuperado de

MOREIRA, A. M.; CHAMON, E. M. Q. O. Ser professor: representao social e construo identitria. Curitiba: Appris, 2015.

SANTOS, P. P.; CARVALHO, C. B. R.; SILVA, D. C. Reflexes sobre a formao de professores articuladores de atividades de educao de tempo integral na perspectiva do Programa Mais Educao na rede estadual de ensino de Mato Grosso do Sul. Anais do Seminrio em Educao e Colquio de Pesquisa, v. 1, n. 10, p. 56-67, 2015. Disponvel em:

ZUCCHETTI, D. T.; MOURA, E. P. G. Educao integral: uma questo de direitos humanos? Ensaio: Avaliao e Polticas Pblicas em Educao, v. 25, n. 94, p. 257-76, jan./mar. 2017. https://doi.org/10.1590/s0104-403620170001000010




DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362018002601204

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Ensaio: Avaliação e Politicas Públicas em Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.